COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

07/11/2020 Quem chegar primeiro bebe água limpa…

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

07/11/2020 QUEM CHEGAR PRIMEIRO BEBE ÁGUA LIMPA…

 

GABOLA

É uma pena que a sociedade brasileira não conheça, nem acompanhe, o submundo da política. A comunidade não tem a mínima noção, regra geral, do quanto esse distanciamento e alienação alimentam, em escala, a chance de lobos. Mas esta é a realidade com a qual convivemos.

Há inúmeras formas de dizer isso. Mas, como a maioria está alheia, há expressões que vão calar nos ouvidos, em cheio, com endereço certo.

Ainda sob o fetiche típico de falso profeta que usa da tentativa de confundir, criado em torno da agenda com anotações, veio uma antiga expressão indicando a única saída para este labirinto: “Quem chegar primeiro bebe água limpa!”.

VÍTIMA DA FRAUDE

Outro assunto…

O ex-vereador Renato Purini (MDB) teve seus dados pessoais utilizados de forma criminosa na fraude do auxílio emergencial. Uma quadrilha cibernética conseguiu, em milhares de contas, utilizar dados de usuários que não estão no Auxílio Emergencial para sacar a ajuda federal.

O problema é que espalharam nas redes sociais o nome do candidato Purini como tendo sido beneficiado pelo auxílio. E, na verdade, ele é vítima, assim como milhares de outras pessoas. O povo não checa, não apura nada e sai por ai publicando o que não sabe! Eita Internet de dedos e mentes irresponsáveis!

Bom! Há registro policial, desde março, identificando que o ex-vereador é vítima na utilização de seus dados.

AUXÍLIO NATALINO

O mesmo aconteceu, por sinal, com a Prefeitura. A administração municipal expediu nota para alertar que circulou FAKE NEWS com caso inexistente de auxílio natalino.

As quadrilhas nem estão tão mais sofisticadas. O problema é que muitos “engolem” qualquer anúncio, abrem sites e avisos sem checagem. E da-lhe golpe fácil em quem não toma cuidado na Internet.

“VIAJOU” 2018, A GÍRIA

Tem situação na vida pública que é melhor não falar, para a língua não morder os dentes. Parte dos formadores de opinião detectou duas “jogadinhas” na tentativa de enrolação em relação a viagens de agentes políticos em apuração na Promotoria (Gaeco).

1- não há viagem paga pela Cohab! Não perca tempo em procurar, nem esperar. As viagens apresentadas na agenda da ex-secretária foram pagas via “caixa 2”!. É desespero tentar confundir que o esquema fosse “inocente” a ponto de pagar passagem para agente político com registro da despesa na Cohab.

2- ninguém falou, em momento algum, em viagem datada de 2018! Quem soltou a data, no ar, mordeu a língua porque quis! A viagem em apuração é de outro ano! Mas, no tempo certo, isso será explicado. Bem rápido! Eita tática ruim de criar fantasia e complicar ainda mais a situação para a esperada hora de sentar à frente do promotor…

DIREITO DE RESPOSTA

A Aliança de Raul Gonçalves (DEM) não obteve liminar judicial em pedido de direito de resposta formulado contra o PT. E era previsível isso. O vice Fábio Manfrinato fez uma “alegoria” semântica ao tentar acomodar que – quando disse que foi “atendido” pelo governo (na despesa irregular de pagamento de passagem para ir a Brasília) se referiu ao que chamou de “base”. Informe o contato!?

Neste episódio também vale a mesma frase: “O peixe morre pela boca!”. A questão é simples: não tem o menor cabimento ter viagem a Brasília, ou para qualquer lugar, paga por representante do governo, ou por intermédio do governo, para integrante de outro poder.

Se o prefeito Gazzetta, de fato, não tem nada a ver com a questão, ou seu governo, só tem uma caminho: ir ao Judiciário contra o vice de Raul! Senão, é blefe!

DIGITALIZADA!

Todos os agentes políticos já sabem, a esta altura, que a agenda da presidência da Cohab está digitalizada no apenso da demanda judicial no Tribunal de Justiça do Estado! Os nomes estão anotados e os valores também. Como revelado pelo site, também há nos documentos email onde está claro que as viagens “particulares” foram acertadas, conforme a secretária da presidência, diretamente por Gasparini.

Aliás, tem milhares de páginas digitalizadas!

Quem foi viajar sabe disso e fica contando lorota. O curioso é que sabem que isso pode confundir muitos até a eleição, mas não vai sobreviver a inevitável futuro depoimento à frente do promotor público.

Assim, nem precisa gastar energia para dizer que o CONTRAPONTO publicou fato checado e com prova material, de interesse público, comprovadamente levado a processo judicial!

PULVERIZAÇÃO

A regra eleitoral (que permite a partidos que não conseguirem o quociente eleitoral pela primeira vez a disputar uma vaga na Câmara) tende a promover a pulverização ainda maior de cadeiras entre legendas.

Até a eleição passada, o partido ou aliança que conseguia atingir o quociente tinha a vantagem (no preenchimento das sobras de vagas), com preferência na continha para ampliar a bancada.

Agora mudou. Exemplo: a legenda X consegue 11 mil votos. Mas o quociente (número de votos para preencher uma vaga de vereador) é 10 mil. Com o “mil” de sobra, em 2016, a legenda tinha vantagem (na fórmula de contagem) sobre uma legenda que obteve 9.000 votos.

Agora não! Após o preenchimento de todas as cadeiras para quem atingiu o quociente, entram na disputa os que chegaram perto do quociente. Ou seja: há tendência de que vários partidos (aqueles que “batem na trave” e quase chegam ao quociente) façam uma cadeira cada um.

É O DÓLAR

O governo municipal é quem tinha de explicar. Mas a alteração no valor da concorrência da Iluminação Pública (suspensa pela Justiça), de R$ 360 milhões para R$ 402 milhões, se deve a cotação do dólar.

O valor inicial reflete posição do dólar do final de 2019, bem inferior ao patamar atual.

Outra coisa: a Prefeitura não enviou os projetos de iluminação para a análise legislativa! E teve de “consertar” nota, ontem, para dizer o que ela mesmo truncou. Gente! Não inventa! Papo reto! Por favor!

PESQUISA ELEITORAL

Já criticamos aqui, há poucos dias, que a Lei Eleitoral permite, infelizmente, que o poder econômico registre pesquisa e, com os números em mãos, não entregue o resultado (se ele não convier ao grupo político interessado).

Isso traz prejuízo ao processo eleitoral. Apenas o poder econômico terá o resultado em mãos. E a população fica privada de saber o resultado daquele momento, da pesquisa.

Frisamos: a lei tem de exigir que, se a pesquisa for registrada, é obrigatório entregar o resultado para conhecimento público. Quer fazer medição para consumo, então pague a pesquisa mas não a registre!

Por falar nisso, Bauru aguarda a divulgação, pela TV Record, da segunda pesquisa do Instituto Colecta, registrada.

A rádio 94 FM também registrou uma pesquisa, com anotação de que o resultado será conhecido na segunda-feira.

SERVIÇO PÚBLICO

Todos, literalmente todos, os integrantes de partidos políticos de Bauru sabem que o Ministério Público está na fase final de conclusão de relatórios sobre os conteúdos apreendidos na Operação João de Barro.

E por uma razão muito simples. São inúmeros advogados habilitados! E, como dissemos, os relatórios abertos para quem quiser ver no apenso do processo no TJ dão informações mais do que suficientes para se entender o que há e o que tem por vir!

Se o material será incluído no processo antes da eleição ou não é uma decisão do MP!

O CONTRAPONTO cumpre seu papel , informando, com exclusividade, informações até a última fase: o pedido de desbloqueio dos bens ao TJ.

Aguardemos!

3 comentários em “07/11/2020 Quem chegar primeiro bebe água limpa…”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima