COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 47 Os primeiros movimentos do segundo turno e análise das urnas

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N.47 OS PRIMEIROS MOVIMENTOS DO SEGUNDO TURNO E  PP BUSCA NO TRE SEGUNDA CADEIRA NA CÂMARA 

 

RESUMO PRA VER OU OUVIR

Gravamos comentários de análises, fatos e bastidores do resultado das urnas em vídeo, para você acompanhar em sua casa, ou ouvir em suas andanças.

Veja no link: https://www.youtube.com/watch?v=lZkRrOE-Rfg&feature=youtu.be

 

DISPUTA POR CADEIRA

Uma das questões comentadas ainda na segunda-feira veio de Lokadora (PP). Ele discutiu com o partido a possibilidade de êxito nos recursos de quatro integrantes da chapa que estão com votos sub judice. Se os recursos no TRE forem favoráveis, o PP obtém mais 1.710 votos que, com os 10.775 registrados nas urnas, elevam o partido à condição de duas cadeiras na Câmara em 2021.

Nessa hipótese, pendente no Judiciário, o PP conseguiria credenciar uma segunda vaga na sobra, com média de votos de 6.242 (no cálculo das sobras), à frente de 5.694 do Republicanos (que obteve 11.388 votos no total). Lokadora, que já assumiu como suplente no Legislativo, disse aguarda o julgamento dos recursos.

Estão nessa condição pelo PP os votos de Júlio Cesar (1.350), Rafaella Bueno (177), Marquinho da Farmácia (118) e Whaite Cantor (65). Entre integrantes do PP, conforme Lokadora, se espera que pelo menos os dois primeiros casos sejam favoráveis, o que seria suficiente para a legenda ficar com duas vagas, uma se incorporando à reeleição de Telma Gobbi. O PP disputaria a segunda vaga atribuída ao Republicanos, tendo Ricardo Kabelo com 1.877 votos.

POR 1 VOTO

Pastor Bira (Podemos) foi eleito com 1.016 votos, com uma vaga na sobra por apenas 1 à frente de sua colega de legenda,  Iara Costa (1.015). Como avaliado pelo CONTRAPONTO durante a apuração do primeiro turno, o preenchimento das cadeiras no Legislativo aconteceu em disputa acirrada e partidos que obtiveram em torno de 5.700 votos ainda conseguiram uma cadeira.

A pulverização de representações também se confirmou. Do resultado das urnas, DEM, MDB, PSL e Republicanos (ou PP) ficaram com duas cadeiras cada. Mas todas as demais foram distribuídas uma para cada partido. 13 legendas estão com representação no Legislativo para 2021.

SEM MEDIÇÃO?

Todo day after da eleição é recheado de climas e avaliações. Integrantes do time de Raul comentaram se a estrutura de campanha monitorou a onda favorável à Suellen (e o crescimento a partir do start inicial) através das redes sociais. Esta é uma ferramenta que exigiria monitoramento diário.

Se detectou, por que a campanha de Raul não agiu? Se não detectou, por ausência de medição diária de engajamentos e outros indicadores, seria uma falha estrutural para uma campanha do porte de Bauru, sabidamente com ênfase para as redes sociais, sobretudo em relação à adversária.

PRIMEIRA VEZ

Entre os eleitos que vão exercer a representação parlamentar pela primeira vez estão o pastor da Igreja Universal (Edson Miguel – que substituiu a Luiz Carlos Barbosa na indicação pela instituição), Beto Móveis (comerciante da região do Isaura Pitta Garmes), Marcelo Afonso (filho do ex-vereador Salvador Afonso), Pastor Bira (servidor da Câmara na área de segurança e lider religioso no segmento evangélico), Júnior Rodrigues (ex-assessor de Sandro Bussola), Estela Almagro (ex-vice prefeita na gestão Rodrigo) e Eduardo Borgo (advogado e ex-diretor da Emdurb).

Do atual mandato, do resultado das urnas saíram reeleitos, até aqui, Coronel Meira (o mais votado com 5.147 votos), Chiara Ranieri, José Roberto Segalla, Ricardo Kabelo, Sérgio Brum, Telma Gobbi, Carlinhos do PS, e Markinhos de Souza. Guilherme Berriel, que já foi suplente, também foi eleito.

Pela distribuição partidária, a atual legislatura está em sua maioria com o grupo de Raul, até dezembro. A próxima composição da Câmara terá mudanças naturais, de acordo com o resultado do segundo turno.

OUTROS DADOS

A eleição foi dificílima. Com 441 candidatos inscritos (57% a mais do que em 2016), obter 1.000 votos foi algo significativo. Em 2016, apenas 46 candidatos (as) conseguiram ter mais de 1.000 votos. Neste 2020, apenas 38 conseguiram superar este patamar.

Outro dado, entre os 38 com mais de 1.000 votos, 24 candidatos (as) já tiveram mandato ou estão vereadores. Este dado mostra como a eleição parlamentar é, regra geral, obtida pela sequência de participação em mais de um pleito, credenciando, aos poucos, candidatos (as) a ampliarem o leque de apoio, na comunidade.

Dos mais de 270 mil eleitores bauruenses, 108.274 não votaram em ninguém (incluindo os que não compareceram, nulos e brancos).

MIGRAÇÃO

Na boca das conversas do primeiro dia pós apuração, muitos palpites. Entre as observações, uma delas foi a de avaliar para onde vão os votos dos demais concorrentes à Prefeitura? É esperado que boa parte do eleitorado de Valle (6.799) prefira Suellen (também evangélica), por exemplo.

Raul sabe desta preocupação para tentar retomar a dianteira e acenou na direção de Rosana Polatto (que teve 7.387 votos). Equilibrar a eventual transferência de votos é tão essencial quanto tirar votos da adversária neste momento, e rapidamente.

Mas há quem aposte que a “onda” não se remove com facilidade, em segundo turno curto. Raul disse ao CONTRAPONTO que quer vários debates para buscar convencer o eleitorado que Suellen seria “uma aventura, sem experiência em gestão”. Grupos do lado da adversária já colocam em questão que o vice, o médico Orlando Costa Dias, presidiu a Unimed e “ajudaria no comando”.

Enfim, estratégias e reações naturais, de confronto temático, estruturais e de perfil, até aqui. Ouvimos de mais de um segmento que quem quiser “bater no outro da cintura pra baixo” perde votos… É esperar e acompanhar…

SÓ DUAS CIDADES

O antes poderoso Partidos dos Trabalhadores elegeu prefeito em apenas 2 cidades no primeiro turno em todo o Estado de São Paulo. Entre as 599 cidades onde o prefeito já foi escolhido, 169 estão com o PSDB, 67 com o DEM, 62 com o PSD de Kassab e 52 com o MDB. O PTB tem 50 prefeituras…

PROCESSANTE

Nesta terça, às 10 horas, os membros da Comissão Processante abertura pelo Legislativo recebem as defesas prévias de Gazzetta, Bussola e Manfrinato. A comissão tem, em seguida, 5 dias para avaliar as peças e decidir se acolhe as defesas, sugerindo arquivamento, ou prossegue com os processos.

REMARKETING

Teve candidato (a) que gastou adoidado com disparos de material pela internet, mas não qualificou os conteúdos e nem o público alvo.

Mas algumas candidaturas conseguiram avançar além dos púbicos originais e atingiram outros nichos. Esses utilizaram profissionais para a ação, dimensionando público alvo, perfis e regiões. Uma candidatura do DEM, ou PSDB, por exemplo, nem deveria ter perdido disparos de conteúdo para eleitores que, na Internet, são identificáveis como simpáticos a Lula.

Buscar palavras chave, criar conteúdos específicos para públicos (causa animal, abastecimento, volta às aulas na Covid, regularização de MEIS…) era essencial.

Depois dessas ações, as campanhas organizadas ainda cuidaram de “nuclear” o público que interagiu, as postagens que geraram engajamento. E, neste momento, reforçaram a “busca de vínculo, aproximação, comunicação”, com o remarketing. Funciona! Mas tem que saber como funciona para dar resultado.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima