COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

29/10/2020 Pérolas do debate… e os erros também! Bastidores… e repercussão

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

29/10/2020 PÉROLAS DO DEBATE… CUTUCADAS E DESLIZES! E BASTIDORES… CLARO

RAUL E ROSANA

Vamos a pérolas, cutucadas e deslizes do debate da TV Band. Rosana Polatto (PSB) jogou a bola pra Raul Gonçalves (DEM) ao pedir que ele falasse da ação para vulneráveis em Bauru. O médico simplificou a resposta. Elogiou a ação social de Rosana e disse que o “olhar social” tem de ter Sebes e Saúde juntas.

Rosana cutucou que isso era muito pouco e que o problema é a porta de entrada, defendendo mais unidades de CRAS. No fim, ambos foram superficiais em um tema tão abrangente e prioritário. O fim do diálogo foi raso. Raul falou em emprego temporário para gerar emprego por 3 meses. Rosana disse que isso não é ação social, que as pessoas precisam de acollhimento.

DETALHES SUTIS

Raul ficou olhando pra baixo (e não pra câmera) no bloco 1. No seguinte, já veio sem o aparelho. Alba apareceu de máscara no segundo bloco e o mediador o avisou que podia tirar. Suéllen usou uma vestimenta com estampa chamativa,

Alba parecia não achar o cronômetro do tempo durante suas falas. Se embananou em alguns raciocínios. Valle perdeu tempo respondendo pra Gazzetta que não foi vereador quando o escândalo da Cohab teve início (2007). Sorte dele que o prefeito não lembrou (ou não citou) que o maior cabidão da história da Cohab foi em 1997, quando o oponente presidia a Câmara e nunca foi “eloquente” a respeito…

RENATA À DIREITA

Renata Ribeiro (PSOL) cutucou Jorge Moura (PT), mas deixou livre, leve e soltos todos os demais candidatos fora de seu espectro de atuação política. Até ensaiou cutucões em Bolsonaro e Dória, mas preferiu utilizar seu precioso tempo para alfinetar que a destruição da previdência teve início com o PT. A esquerda não se entende também por aqui…

NO POPULAR 

Raul utilizou expressões populares. Ao rebater Sandro (que criticou a dívida com leitos hospitalares do DEM e do PSDB em Bauru, no tempo, o médico disse que tem bons contatos e que o problema não se resolve “chutando o balde como o Sandro faz”.

Em outro momento, em resposta sobre inclusão social, o demista disse que ofereceria cursos para “ensinar quem precisa a pescar”.

Não sei se Sandro Bussola falou de propósito, mas o candidato do PSD disse que o governo paulista (sempre colocando DEM e PSDB juntos) não entregou “171” leitos no HC. O número cabalístico não é esse… (sic)…

Já Gazzetta saiu com uma expressão de efeito ao comentar sobre combate a corrupção (cobrado por Valle): “Vamos criar complaince” na Prefeitura.

CONFRONTO DE DADOS

O prefeito voltou a escorregar em frases afirmativas. No debate, afirmou que fez mais de 1.000 quadras de asfalto, mais do que Rodrigo! O primeiro ato falho é que Gazzetta deve ter sido orientado a consertar um detalhe: em seu programa eleitoral na TV ele exibiu o número em RUAS.

Acionado, Rodrigo respondeu que deixou 700 quadras contratadas (PAC Asfalto) para o Gazzetta, que fez inclusões por aditivo, chegando “nas 1.000 que ele fala”. Mas o ex-prefeito apontou que entregou 2.465 ruas de asfalto novo (8 anos).

O problema é que Gazzetta mudou o anúncio de ruas para quadras. Então, referenciando, Rodrigo disse que fez 4.322 quadras. “Na minha conta está apenas o que foi entregue. Não conto o que foi contratado”.

E AS 30 MIL UNIDADES HABITACIONAIS?

Esta é a outra frente lançada pelo prefeito. Olha, esta história de ficar contando saca de feijão antes sequer do plantio é mais furada que conversa de pescador. Nessa o prefeito abusou do silogismo….

Se a conta for de unidades entregues, esquece! Se o referencial for habitação de baixa renda, tem 288 casas do Residencial Manacás que estão sendo desenroladas agora. Se a tática de “gigantismo” dos números for usar unidades de construtoras privadas (que obtiveram subsídios de financiamento federal em Bauru), ai tem de juntar Pacambu, Eco Vitta e Pacaembu.

E, mesmo assim, o total de unidades com tijolo e cimento é muito longe de 30 mil. Agora se a enrolação discursiva incluir contar todas as unidades financiadas (mas que nem começaram), ou estão em andamento…. ou foram apenas aprovadas… ai é tática pra inflar a campanha!

NEM COM BINÓCULO

Segundo a Seplan, até julho 2020 foram entregues 3.111 unidades subsidiadas (não mais para faixa 1 – que deixou de existir desde 2017). Outras 1.000 ainda SERÃO entregues (também faixas 1,5 e 2 salários mínimos). O que está em construção, ou licenciamento, deixemos para a hora exata da contagem! Tem mais uma quantidade (pequena) de construções com menos de 100 unidades.

Bom! Mas nem que a “vaca tuça”, nem com binóculo, se aproxima do anunciado.  O problema é forçar a barra, criar duplo sentido na construção da mensagem. Deixa pra lá! Já está bem claro que o gigantismo não cola!

O COMPADRIO

Sandro Bussola e Gérson Pinheiro pareciam fazer jogo de amizade no debate. E joga bola pra cá, e joga bola pra lá. Mas eis que, na combinação da jogada, Gérson inverteu a bola para o outro lado e disparou conteúdo distante do tema… O empresário se enrolou em sua fala…

AUDIÊNCIA DO DEBATE

A indicação é que o debate da Band não atraiu quantidade significativa de telespectadores. Em sondagem informal, entre diferentes grupos, essa indicação se confirma. Logo, a princípio, o efeito do conteúdo sobre intenções de voto tende a não ser preponderante.

Nesse quesito, a coordenação de Gazzetta perdeu a oportunidade de utilizar seu horário na TV e rádio para convidar o público a assistir. O prefeito mostrou domínio de cena e traquejo com o uso dos apertados tempos para respostas e réplicas. Era o único tranquilo.

SENSAÇÕES DAS RUAS

Do ponto de vista de desenvoltura (domínio da fala e no tempo correto das respostas, estratégia bem encaixada, tranquilidade) já dissemos que Gazzetta se saiu bem.

Mas fizemos um teste, em quatro grupos diferentes para checar a avaliação entre empresários, profissionais liberais, trabalhadores operários, grupo de mulheres da assistência social…

Resultado: entre quem assistiu (poucos) as sensações são muito distintas. Em geral se apontam como “ruins no debate” os candidatos que mais se “enrolaram”. Mas entre os que “foram melhor”, as opiniões se dividem muito… Tem muito da posição “pessoal” (política ou de simpatia) envolvida nessa mensuração…

 

 

 

 

 

3 comentários em “29/10/2020 Pérolas do debate… e os erros também! Bastidores… e repercussão”

  1. Assisti somente na quinta feira, show de horrores… Verdadeira sessão “cine trash da band” O Mojica deve estar se revirando no túmulo

  2. Mas o que foi aquilo? Campeonato de contar “causo” e falar mentira? Poderiam ter instituído o Troféu Descaramento ao final do debate.

  3. Não assiste o debate. Baseada no que disse Nelson Itaberá, percebo que os candidatos falam sem de fato se comprometer.
    Promessas, promessas. Depous de eleito, enche o cofrinho e a cidade fica abandonada.
    Pois é impossível cobrar o que foi dito.
    Por exemplo ” em 100 dias …”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima