7 mil testes Covid do Butantan vencidos desde dezembro estão na Secretaria de Saúde

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
O governo anterior realizou drive thru para testes Covid e firmou convênio com o Butantan para outra amostragem, em 2020  

Os governos federal e estadual vão terminar a saga da Covid-19 com histórico de erros de gestão e recursos desperdiçados, o que inclui compras mal realizadas e perda de exames ao longo da pandemia. Em Bauru, 7 mil testes de programa realizado pelo Instituto Butantan venceram, no início de dezembro do ano passado. Apenas agora, entretanto, a Secretaria Municipal de Saúde fala em apuração do fato.

Conforme o governo municipal, o convênio para pesquisa elaborada pelo Butantan gerou o recebimento de 17 mil testes. Cerca de 10 mil foram aplicados. Os 7 mil restantes estão vencidos, desde o final de novembro, na Secretaria de Saúde.

De outro lado, a União também desperdiçou testes. Além da polêmica, ainda pendente, de 6,5 milhões de exames comprados pelo Ministério da Saúde (estocados em galpão perto do Aeroporto de Guarulhos), o governo federal consumiu milhões de Reais do Orçamento apertado com Saúde para realizar testes inócuos, através da Universidade Federal de Pelotas.

Bauru também integrou este programa. Revelamos, no ano passado, que dos cerca de 1.500 testes realizados aqui para a “experiência” de Pelotas, apenas 1 “funcionou” (apresentou resultado positivo).

Mas União e Estado não erraram sozinhos. Ao aceitar “integrar” protocolos dos governos federal e estadual para testagem (considerada ação essencial na pandemia, mas abandonada pela maioria das prefeituras), Municípios “descartaram a ciência” e colocaram estruturas e servidores nas ruas para agir sem estratificação em amostragens, sem realização permanente (periódica) desses programas e sem monitoramento de contactantes para o controle da doença…

O que prefeitos (as) não esqueceram em 2020, ano eleitoral, foi dar ênfase a programas de teste drive thru (de enorme “eficácia” na divulgação, mas de baixíssima aplicabilidade científica para a gestão epidemiológica da doença. A saída seria aplicar “inquérito sorológicos”. Em Bauru ele foi também abandonado.

Onde foi feito, pontualmente, teste em grupos dirigidos (como as ações realizadas em Bauru com casas de repouso de idosos), funcionou.

7 MIL TESTES

Contatada a respeito de 7 mil testes para Covid vencidos, a Secretaria Municipal de Saúde retornou que “o atual governo municipal não tem problemas com testagem, que segue ocorrendo normalmente. A perda de testes citada pelo vereador (Júnior Rodrigues) aconteceu na gestão passada”.

O vereador Júnior Rodrigues confirmou, nesta tarde, que obteve da Diretoria de Vigilância Sanitária do município, por Exequiel dos Santos, que os testes venceram e permanecem em caixas.

E por qual razão o novo governo não agiu em relação a este caso até agora? O governo diz que vai apurar.

O governo Suéllen não realiza testagem em massa e também não faz o monitoramento de contactantes de Covid, ações apontadas por especialistas como fundamentais para o controle da pandemia na população.

VALIDADE

O ex-secretário de Saúde, Sérgio Antonio, disse que “os testes vieram do Instituto Butantan com prazo de validade muito curto. Fizemos 10 mil testes, mesmo com a burocracia exigida para o convênio e problemas com um aparelhinho utilizado para leitura dos dados via Internet. Também exigiam foto de cada paciente que fizesse o teste”.

Conforme Antonio, a secretaria cumpriu a meta indicada pelo convênio com o Butantan e advertiu, no percurso, que a validade de uma parte iria vencer. “O Instituto informou que isso não seria problema, porque trocariam lotes se precisasse. Foi uma pesquisa dirigida, em profissionais de saúde da cidade, presídio. O Butantan não trocou e uma quantidade venceu”, contou.

Luiz Cortez, que atuou como diretor no período, confirmou que “muitos dos aparelhinhos enviados pelo Laboratório Hilab deram problema. E como os prazos de validade eram curtos, o Butantan disse que trocaria os testes. Pedimos para reduzir a quantidade de testes para ajudar nesse programa deles, mas eles informaram que isto não seria problema. Fizemos 10 mil testes e enviamos. O Butantan montou os resultados e encerrou a ação”.

O vereador Júnior Rodrigues informou que marcou reunião com o secretário Orlando Dias para esta sexta-feira para verificar os exames e tirar dúvidas sobre o fato. Segundo os dados preliminares, a Prefeitura aplicou os testes em funcionários e na população carcerária do Centro de Detenção Provisória (CDP), além de profissionais de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima