A Inflação, a Taxa Selic e o CDI

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

Hoje, as manchetes do jornal estão inundadas pela palavra “Taxa Selic”, “Copom” e existem diversas publicações sobre “Como investir seu dinheiro com a Taxa Selic a 2% ao ano”.

A Taxa Selic é um dos conceitos mais poderosos para os investidores, pois é relevante a todas as classes de ativos e possui alguns outros indicadores que derivam dela, como o CDI. Mas afinal, o que é a Taxa Selic?

O que é a Taxa Selic?

Para entender o que é a Taxa Selic, temos primeiro que entender o que é um Banco Central.

O Banco Central é uma instituição governamental, muitas vezes independente, que tem como objetivo principal a manutenção da estabilidade dos preços da moeda, isto é, garantir que a moeda não perca valor. O elemento econômico que destrói valor monetário é chamado de inflação – o aumento generalizado de preços.

O controle da inflação não é fácil já que é uma consequência de várias causas. Porém, uma das maneiras de controla-la é liberar a disponibilidade de dinheiro na economia.

A Taxa Selic, é exatamente essa ferramenta. Chamada de “taxa básica da econômica” ela é o valor que orienta tudo que tem relação com juros, desde o custo do empréstimo que o banco fornece, até a remuneração dos títulos de renda fixa.

Mas como o Banco Central a utiliza?

No Brasil, o Comitê Monetário Nacional (CMN) define anualmente qual é a meta da inflação. É papel do Banco Central perseguir esta meta. Para 2021 a meta é de 3,75% no ano, com desvios de 1,5% para mais ou para o menos.

A fim de atingir o mais próximo possível desta meta, o Banco Central faz uso de sua principal ferramenta: a Taxa Selic. Os membros da autarquia se reúnem a cada 45 dias no Comitê de Política Monetária (COPOM) para defini-la.

É tomada a decisão de baixar a taxa Selic caso a inflação esteja abaixo da meta. Isso possibilita que empréstimos fiquem mais baratos e investimentos conservadores sejam menos atrativos, e assim mais dinheiro circula.

É tomada a decisão de aumentar a taxa Selic caso a inflação esteja acima da meta. Isso possibilita que empréstimos fiquem mais caros e investimentos conservadores mais atrativos, e assim menos dinheiro circula.

Mas, e o CDI?

O CDI é uma taxa que deriva da Selic. É a taxa utilizada pelos bancos para emprestar dinheiro entre si a fim de cumprir com a regulação. Ela é ligeiramente inferior à Selic. Com a taxa Selic sendo mantida em 2% no COPOM de ontem (20/01/2021), o CDI continua em 1,9% ao ano.

E por que isso impacta nos meus investimentos?

Essas taxas são extremamente relevantes nos investimentos. Produtos mais conservadores os utilizam como regra de remuneração. Por exemplo, um título de renda fixa pode remunerar um percentual do CDI.

Fundos de investimento utilizam elas como objetivo de retorno, e miram superá-las.

E até as ações estão intimamente ligadas com a taxa Selic. Os métodos de avaliação mais utilizados pelos analistas embutem taxas de juros na tentativa de calcular o valor justo de uma ação.

 

Vamos juntos aprender mais sobre os indicadores? Até a próxima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima