Bauruense vai representar Brasil na Olimpíada Internacional de Linguística

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

 

O estudante de Bauru, Augusto Zanardi Creppe, na seletiva nacional, em Brasília

 

Apenas oito estudantes brasileiros estão entre os selecionados para representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Linguística, que será realizada na Ilha de Man, território autônomo da Coroa Britânica, entre os dias 25 e 29 de julho próximos. Entre eles está o estudante bauruense Augusto Zanardi Creppe. Ele alcançou o grupo seleto durante a Olimpíada Brasileira de Linguística, cuja final presencial foi realizada em Brasília (DF), no final de maio passado.

O time brasileiro com os oito melhores tem 3 da Capital Paulista, apenas dois do Interior (entre eles, claro, o bauruense), uma gaúcha, um matogrossense e um do Amazonas. A seleção compõe além de Augusto de Bauru, os estudantes Max Naigeborin (São Paulo – SP), Leonardo Paillo da Silva (Campo Grande – MS), Manoela Erothildes Teleginski Ferraz (Santa Maria – RS), Larissa Netto Otsuka (São José dos Campos – SP), Fernando César Gonçalves Filho (São Paulo – SP), Bianky Nardy Lyrio Vargas dos Santos (São Paulo – SP) e Wesley Antônio Machado Andrade de Aguiar (Manaus – AM).

A Olimpíada Internacional de Linguística é uma das 13 Olimpíadas Internacionais de Ciências para alunos do ensino médio e é realizada anualmente desde 2003, de acordo com informações do site da organização.

A cada ano, equipes de jovens linguistas de todo o mundo se reúnem e testam seus conhecimentos linguísticos e capacidade lógica para desvendar os quebra-cabeças mais difíceis do mundo em linguagem e linguística.

“Estou muito animado e feliz em representar o país na Olimpíada Internacional de Linguística. Nossa equipe tem estudado muito e, com a orientação dos técnicos, estamos prontos para participar das diferentes provas que compõem o evento”, afirma Augusto.

O CAMINHO E O FUNIL

Pra quem considera linguagens “grego”, veja que até chegar à etapa internacional, Augusto e demais colegas da equipe brasileira participaram de três prévias. A primeira, composta por três provas realizadas entre os dias 18 e 26 de setembro de 2021, contemplou 28 problemas de múltipla-escolha sobre diferentes temas sobre língua, linguagem, cognição e cultura, com mais de 10.000 participantes de todo o Brasil.

Achou mole esta? Então lá vai:

Da segunda etapa, promovida em 16 de outubro de 2021, participaram 600 candidatos, que tiverem de resolver seis problemas envolvendo assuntos como análise de texto em árabe, números em tibetano, sentenças em cazaque e comparações entre as escritas árabe e hebraica.

Na terceira etapa, os estudantes que obtiveram as 60 melhores pontuações foram convidados para a XI Escola de Linguística de Outono, entre os meses de março e junho de 2022, realizada de forma híbrida.

Em paralelo a palestras, oficinas e atividades de integração, eles realizaram as quatro atividades olímpicas propostas. As provas incluíram redação de artigo linguístico, pesquisas sobre fonologia, sentenças ambíguas, gramaticalização, debates, entre outras.

Equipe que participou da Olimpíada Nacional, com o bauruense Augusto Zanardi Creppe

“Foi bem intenso. As provas são bem abrangentes, pois envolvem questões sobre fonética, sintaxe, semântica, gramática, entre outras áreas da linguística. Os problemas incluíam trechos de um idioma, para você analisar e, com base na tradução, deduzir os fenômenos e fazer a aplicação em alguns exercícios. Foi bem completa”, comenta Augusto.

Hoje estudante de Direito da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da Universidade de São Paulo, Augusto concorreu em todas as etapas representando o Colégio Técnico Industrial (CTI) “Prof. Isaac Portal Roldán”, ligado à Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Bauru, onde cursou o ensino médio e técnico em Informática.

 

*Edição do texto de Daniela Bochembuzo, jornalista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima