Castramóvel está sem uso e animais lotam entidades. O que fazer?

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
O trailer está parado desde a pandemia. Secretaria de Saúde considera que serviço não tem escala e efetividade

As Organizações Não Sociais (ONGs) e os diversos abrigos mantidos por voluntários estão lotados. O aumento da miséria e do desemprego aprofundaram a crise social e, sem ter o que por na própria mesa, muitos tutores abandonaram seus cães e gatos. De outro lado, o serviço de castração itinerante parou desde a pandemia. E o Castramóvel não funciona, na avaliação da Diretoria de Saúde Coletiva da Secretaria Municipal de Bauru.

Estes são alguns dos fatores que envolvem a causa animal em Bauru. Mas isso ecoa pelos outros lugares. Em Bauru, sem atualização da população de Pets com censo animal e a paralisação da única opção presente diretamente nos bairros para castrar animais, a política pública de controle da população animal, das consequências ambientais e de vetores de doenças sucumbe.

Enquanto isso, a multiplicação da população de cães e gatos sem assistência, monitoramento, está latente nas ruas. São milhares… Em entidades como a ONG Arca da Fé são mais de 1.100 recolhidos por abandono, somente nesta fase. Mas as lotações, em escala de centenas, estão por todo canto.

O Centro de Controle de Zoonoses tem uma centena de cães e gatos. Lá, conta o diretor do Departamento de Saúde Coletiva, Luiz Cortez, a castração (no local) continua. Mas por que o CASTRAMÓVEL não funciona?

PARADO

Primeiro é preciso observar que o serviço, realizado por trailer, está parado desde a pandemia. Mas, depois, é pouco provável que o equipamento instalado em agosto de 2019 seja utilizado para castrações itinerantes.

Conforme a Saúde Coletiva, apenas 125 castrações foram realizados desde o início da pandemia, no início de 2020. “O equipamento está parado em razão da pandemia. Estamos discutindo com entidades, através do Comupda, alternativas para esta importante questão, com impacto sobre a saúde dos animais, do controle de zoonoses, do meio ambiente e saúde coletiva. Mas o Castramóvel não funciona”, avalia o diretor Luiz Cortez.

A castração na sede do CCZ tem melhor produtividade, diz Cortez. “O Castramóvel é pouco efetivo. E tem produção baixa, por algumas razões. Ele precisa de equipes diferentes para os turnos e que o serviço funcione, mesmo assim, bem articulado entre agendamento, deslocamento, preparo, recebimento dos animais e a castração, em si. Esta logística e tempos dispendidos não funcionam”, complementa.

Parte interna do trailer, com instalação para castração    (fotos: divulgação/ Prefeitura)

O que fazer? Até que outras ações sejam construídas, o diretor pondera que “é muito mais produtivo recolher animais nos bairros e trazer para o CCZ para castrar. As equipes já estão no local, as acomodações são melhores e com os profissionais com acesso mais fácil caso o procedimento exija alguma intervenção ou orientação atípica, diferente. O aproveitamento dos turnos é bem melhor na sede do CCZ”.

Para efeito de política de controle populacional de animais ou outras ações, a quantidade de castrações é muito pequena diante da população de Pets. E com o aumento significativo de casos de abandono, sobretudo na pandemia, a distância entre a ação e a efetividade necessária é tanto maior.

E o trailer? “Ele será utilizado, com certeza. Há uma série de outras ações que comportam as instalações do Castramóvel. Para o programa de castrações e outras ações, como o censo animal, vamos ver o caminho das discussões (com o Comupda) e levar as alternativas para o secretário (Orlando Costa Dias) tomar a decisão”, conclui Luiz Cortez.

MAUS TRATOS

Entre inúmeros representantes de ONGs, voluntários e ativistas da causa animal com quem conversamos, as advertências para o problema levam a pontos comuns:

maus tratos, aumento do abandono em razão do aprofundamento da dificuldade de tutores conseguirem manter seus parceiros de estimação, mudança de moradias com espaço para imóveis menores (pela crise), violência contra animais, fiscalização deficiente para atuar nos casos de agressão, proliferação de doenças, desatualização cadastral, desnutrição, descarte irregular de animais mortos e uma quantidade enorme de cães e gatos para poucas adoções.

Thais, Cristiane, Soraya, Thati, Vanessa, Daniela, Júlio… São alguns dos sobrenomes engajados na causa e uma lista enorme, muitas vezes maior, de Pets precisando da ação da comunidade.

7 comentários em “Castramóvel está sem uso e animais lotam entidades. O que fazer?”

  1. Pq não usar castramovel, sou favorável. Inclusive pq precisa ter reuniões com seus tutores, esclarecendo cuidados com seu animal, qualidade ração, vacinação, não soltar ruas etc e orientações qto antes e depois cirurgia.
    Além disso temos controle animais castrados de cd bairro.
    Pela secretaria saúde/ Ccz realizar concientizacao população qto castração é importante.
    E deve adotar um animal se tiver todas condições enecessárias , responsabilidade.
    Ccz qdo faz doação acompanha adaptação?acompanha. Cabe tbm esta responsabilidade quem faz doação.
    É preciso funcionar fiscalização, casos maus tratos, abandono. Deve ser imediato, não dá pra ser depois de um mês. Alguns locais onde são retirados animais doentes, por ex. Leishmaniose, precisa analisar se cidadão pode ter outro animal.
    É preciso acabar com cães vigia, estes são apenas usados, nunca tem tutor, ração, ambiente limpo, e muito menos carinho
    Aliás falta muito para melhorar qualidade vida animais.
    Tenho esperança que um dia será melhor. Não estarei mais aqui para ver está maravilha

  2. Em matéria da própria prefeitura, diz que o castramovel faz de 8 a 12 por dia. No ano se 2019 ,vamos colocar 80 dias, de agosto a dezembro. Seria 8 x 80 dias. Seriam 640 animais castrados. E falar que é inviável? O CCZ castrou ano 405, no ano de 2019. Qual é mais viável?

    1. Ola Soraya. Tudo bem? O Castramóvel, infelizmente, não faz nem 8 e muito menos castrações 12/dia. Esse era o “potencial” informado, com equipes completas, turno e returno, alguém pra agendar, controlar cadastro, ações dirigidas… E isso não funcionou assim. Está parado, como informado pelo próprio diretor na matéria. É isso. Obrigado por sua comunicação. Grande abc!

  3. Castramovel e covid? Por favor…..onde estao aqueles que se elegeram em favor desta causa? Onde estao aqueles que recebem verba por esta causa?
    Estao nas midias clamando ou mendigando por ajuda como os protetores ou ongs?
    Nao….estao usando uma pandemia por desculpa.
    Hospitais com pessoas com virus estao trabalhando.
    Escolas estao retornando.
    Varios setores com pessoas portadoras ou nao trabalharam e ainda continuam.
    Ai temos que ver e ouvir: desculpas desculpas e mais desculpas.
    A verba do castramovel existe? E o veterinario contratado esta recebendo?
    Pq o castramovel no ccz se la tem veterinario?
    Minha pergunta é:
    A quem recorrer????
    Acredito muito na imprenssa e creio que somente investigando a fubdo e trazendo a publico algo poderá mudar.

  4. Uma investigacao caberia aqui neste assunto.
    Eu acredito na imprensa e creio q pode ajudar a trazer a tona a verdade desse falatorio de desculpas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima