Desvendando a renda fixa - Quais os tipos de investimentos

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

Como vimos no texto anterior, na Renda fixa existem diversos tipos de investimentos, que podem ser muito mais complexos do que o esperado. Um dos conceitos que a maioria dos investidores confunde, é na questão de que alguns dos investimentos não tem rentabilidade fixa, elas acabam variando com algum indexador, para sanar essas dúvidas, trouxemos hoje uma breve explicação sobre como são calculadas as taxas de rendimento.

Prefixados

Os investimentos prefixados são os mais simples de se entender, como o próprio nome diz, a rentabilidade já é conhecida no momento da aplicação, é mantida até o final dela . Como por exemplo o CDB, nesta modalidade, o investidor empresta dinheiro ao banco a uma taxa fixa, superior à da poupança, e com isso o banco pode reemprestar esse dinheiro para outras pessoas.

Porém, em economias não estáveis, um outro ponto deve ser considerado. Como a taxa é fixa, caso a inflação aumente subitamente, essa precificação não estará inclusa na taxa combinada, ou seja, pode ser que mesmo com um rendimento positivo, o investidor acabe perdendo seu poder de compra, pois com a inflação maior que o rendimento, o rendimento real fica negativo.

Exemplificando, se um investimento tem a rentabilidade definida em 2% , e a inflação no período foi de 3%, mesmo o investidor obtendo ganho de capital, seu rendimento real foi negativo.

Pós fixados

Nos pós fixados a lógica é outra, quando comparada a renda fixa. Quando é fechado o contrato de investimento, a parte fixa é a de como serão calculados os juros, porém, eles podem variar de acordo com os indexadores combinados, como por exemplo o CDI. Eles costumam render no modelo “110% do CDI”, onde o rendimento é o do CDI, mais 10% adicionais.

Outro exemplo é o famoso Tesouro Selic, ele rende de acordo com a taxa básica de juros. Com a pandemia vivemos grandes variações nesta taxa, que caiu até sua mínima histórica em 2%, porém com a reabertura da econômica, ela voltou a subir, alterando assim a rentabilidade de quem tinha capital aplicado.

Ontem, dia 15 de junho, o COPOM decidiu aumentar a taxa para 4,25%, afetando diretamente os investimentos de quem possui cotas no tesouro Selic, a cada 45 dias acontece uma nova reunião, onde são decididas as novas alterações.

Híbridos

Nesse tipo de investimento, a rentabilidade é calculada pela soma de um indexador variável, a uma taxa de juros fixa, por exemplo o IPCA+ 4, que rende o valor atual do IPCA, mais 4 pontos percentuais. Essa forma de rentabilidade é muito importante para economias não estáveis, pois em um cenário de incertezas políticas, a inflação pode ser alta, superando os investimentos prefixados, como comentado no primeiro tópico, sendo assim, essa modalidade serve como proteção para tais ocasiões, pois como o IPCA rende de acordo com inflação, é impossível sair no prejuízo com esse investimento.

Se você ainda não está familiarizado com os termos CDB, CDI, Selic ou IPCA não se preocupe, falaremos deles no nosso próximo texto!

Vamos Juntos?

Lucas Strutz Haguiara.

Se você perdeu o episódio anterior é só acessar pelo link abaixo:

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

Whatsapp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima