Desvendando a Renda Fixa – Principais indexadores para investir em Renda Fixa

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

Uma dos principais norteadores dos investimentos em Renda fixa são os indexadores, eles determinam qual será o retorno financeiro de cada modalidade diferente de investimento, portanto é essencial conhecê-los, você já está familiarizado com os principais? Se ainda não, é só continuar a leitura que detalharemos cada um deles.

 

Antes de explicar cada um, o principal ponto é entender que eles funcionam como referência para os rendimentos dos ativos, ou seja, os juros pagos vão acompanhar a variação desse indexador, sendo assim um dos principais pontos nos investimentos pós fixados e híbridos, tema de nosso texto anterior.

 

Taxa Selic

A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira, ela representa empréstimos de curtíssimo prazo entre bancos, com vencimentos em 1 dia, sendo a média das taxas negociadas é a Selic efetiva. A Selic meta é definida pelo governo, a cada 45 dias o Copom se reúne para definir a nova taxa, que de fato é a que afeta nossos investimentos.

 

Ela é um dos principais indexadores para a economia, já que quanto mais baixa ela estiver, mais baixo barato fica para repassar a taxa de juros para o público geral, facilitando assim o acesso a financiamentos. Além disso, ela norteia vários outros investimentos em renda fixa, como por exemplo a Poupança e o CDI, que falaremos a seguir.

 

CDI

O Certificado de depósito interbancário, ou também conhecido como CDI, tem a função de regulamentar o sistema financeiro. O Banco Central tem uma regra de que todos os bancos devem terminar o dia com saldo de caixa positivo, então costumam haver empréstimos interbancários no final de cada dia, para equilibrar as contas, esse empréstimo é chamado de CDI. Com isso, a taxa se tornou uma referência para outras operações, sendo sempre referenciada como 100% do CDI, ou qualquer outra porcentagem.

 

Ela tem uma relação muito próxima com a Selic, pois na hora de utilizar o CDI, os bancos usam a Selic como referência, fazendo com que elas sigam a mesma tendência e direção sempre. 

 

IPCA

O IPCA, ou Índice de Preços ao Consumidor Amplo, é uma das principais referências para o cálculo da inflação no Brasil, ele tem como objetivo abranger 90% das pessoas que vivem nas áreas urbanas do país, e tenham renda familiar de 1 a 40 salários mínimos. O índice é calculado mensalmente, medindo os preços em mercados entre o primeiro e último dia do mês, nos mais diversos tipos de estabelecimentos e serviços.

 

O IPCA possui uma meta todos os anos, em 2020 por exemplo era de 4%, com tolerância de 1,5%. Para chegar nessa meta o governo tem algumas opções, uma delas é alterar a Selic, com uma taxa mais alta a tendência é que o consumo diminua, ajustando assim os preços para baixa, por conta da oferta e da demanda.

 

Chegando ao fim do terceiro episódio sobre Renda Fixa, e com os conceitos básicos esclarecidos, já é possível adentrar em assuntos mais complexos, como é o caso do próximo episódio.

 

Vamos Juntos?

Lucas Strutz Haguiara.

Se você perdeu o episódio anterior é só acessar pelo link abaixo:

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

Whatsapp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima