Dos 16 imóveis comprados pela Prefeitura surgem 2 laudos com descrição de defeitos

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Secretaria da Educação adquiriu 16 imóveis por quase R$ 35 milhões, no final de 2021

 

Dos 16 imóveis adquiridos pela Secretaria Municipal de Educação, no final de 2021, apenas dois laudos de vistoria foram apresentados; E somente agora. A ausência de laudos descrevendo o estado de conservação dos imóveis é fundamental para posicionar qual é o valor total corresponde a depreciação dos locais e, ainda, para se delimitar qual será o custo para adequação e reforma.

O CONTRAPONTO levantou, há poucas semanas,. que nos processos finalizados como desapropriação pela Prefeitura não constam laudos em nenhum dos 10 processos relativos aos 16 imóveis.  Os processos estão na fase final de apuração pela CEI da Educação. Apenas na última sexta-feira surgiram dois laudos, um relativo ao prédio onde funcionava a Staff, no Parque Vista Alegre, e para o imóvel onde funciona escola temporária da Prefeitura, na quadra 6 da rua Cussy Júnior.

Revelamos, também em matéria exclusiva de apuração do CONTRAPONTO, que os 9 imóveis adquiridos pela gestão Gazzetta., no final de 2019,. contém laudos de vistoria. Apesar do procedimento ser obrigação natural esperada da administração para se levantar as condições reais dos imóveis, inclusive para objeto de avaliação do valor da aquisição pelo governo, apenas dois laudos forma obtidos na última sexta-feira pelo relator da CEI, Eduardo Borgo.

O imóvel da Staff apresenta anotações esperadas, como em todo prédio usado, para adequações para acessibilidade, como rampas e elevador inexistentes, e outras intervenções, como escada elevatória sem escada, vazamentos em janelas, ausência de sistema para receber ar condicionado em quase todas as salas, assim como para o circuito elétrico.

Dos serviços foram apontados vazamentos no telhado, infiltrações em várias salas, e questões mais estruturais, como recalque na fundação, trincas, e também no talude.

O LAUDO de vistoria da Staff foi assinado pelo engenheiro Fernando Camargo.

O prédio da Cussy Júnior, 6-58, que abriga uma escola temporária tem identificação como tendo sido realizado para a locação do local. A arquiteta Ludmila Tidei de Lima apontou infiltração no primeiro de 3 blocos, trilhos das lajes com problemas, trincas na viga e cupins no segundo e terceiros blocos.

Também foram  identificados pisos estufados ou com avarias e necessidade de revisão geral na cobertura.

Conforme esta vistoria, o imóvel estava em condições adequadas para uso como escola, motivo da aquisição posterior ao aluguel. O laudo não tem numeração para processo e data.

A relatoria da CEI informou que vai oficiar à Secretaria da Educação para que explique por que os laudos não estão anexados aos processos de compra e se existe a mesma providência para os demais 14 imóveis.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima