Eles querem é o voto do curral

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

Por Nélson Itaberá

 

O Orçamento de “2021” aprovado pelos deputados federais é tão absurdo – e ilegal – que este poder “criou” (sem caixa) R$ 32 bilhões para distribuir entre os parlamentares para jogar nas bases de olho nos votos de 2022.
Pior! Tornam Bolsonaro ainda mais refém e amarrado, ao fixar como despesas obrigatórias valor sem lastro (puseram R$ 26 bilhões pra isso, quando o cheque é muito maior).
Além disso, os deputados federais ignoram mais R$ 17 bilhões para repor inflação no salário mínimo e efeito na previdência. E lembrem-se que foram os deputados que escorcharam o trabalhador para pagar a redução de despesa quase R$ 900 bilhões projetada para 10 anos na Reforma da Previdência.
Não sem antes, claro, naquela “Reforma”, o governo Bolsonaro garantir mais uns R$ 9 bilhões à carreira militar federal com plano de cargos e manter o setor com a mesma “idade para aposentar”. Todos pagaram! Menos a farda!
Quer mais? No orçamento 2021 ainda tem mais uns R$ 9 bilhões para reajuste dos militares – sim neste ano – e mais uns trocados pra compra nas Forças Armadas. Você troca sua geladeira se não tem nem pra por carne nela?
A lista é grande! Mas por ora basta pra mostrar o abismo entre Brasília, o fanatismo perigoso de alguns em torno de um governo irresponsável, a passividade e ignorância popular diante de boa parte de deputados sem escrúpulos, o caldeirão da miséria em ebulição nos guetos, o dólar nas alturas que sustenta a balança e as picapes das garagens do agro – mas tira feijão da panela -,  e o oportunismo da geleia geral que empurra a lama um pouco mais sobre o caos….

1 comentário em “Eles querem é o voto do curral”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima