Gaeco denuncia dois grupos envolvidos com jogo do bicho na região

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Dois grupos da região de Marília foram denunciados e um terceiro, de Bauru, tem investigação em curso

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) ofereceu ao Poder Judiciário de Marília as duas primeiras denúncias relacionadas à Operação Sunset, que envolve o jogo do bicho na região. Deflagrada em novembro de 2020, a ação teve o cumprimento de mandados de busca em diversos endereços das cidades de Marília, Ibitinga, Borborema e Dom Aquino, no estado do Mato Grosso.

Segundo o Ministério Público apurou, o primeiro grupo denunciado exercia controle de praças do jogo do bicho, especialmente na cidade de Marília e região, com a obtenção de quantias expressivas de dinheiro sem possuir qualquer lastro lícito.

Para procura ocultar e dissimular a propriedade de diversos bens e valores, especialmente automóveis de luxo, imóveis, propriedade rural e suas respectivas produções, o grupo utilizou diversas técnicas de lavagem de capitais, como a estruturação (Smurfing), a mescla patrimonial (Commingling), a utilização de empresa de fachada (de promoção de eventos e locação), a operação de holding patrimonial, a reinserção de valores na atividade rural, bem como a compra, venda e transferência de bens mediante transações fraudulentas.

Ainda, a organização utilizava uma empresa constituída para circular o capital de origem escusa, com a conversão de valores ilícitos no mercado lícito de fornecimento de material para construção e reforma (gesso).

Já o segundo grupo denunciado pelo Gaeco, que também controlava praças de jogo do bicho em Marília e região, realizava a movimentação financeira da lucrativa contravenção penal com a ocultação e dissimulação da natureza, origem e movimentação de bens e valores por meio das mesmas técnicas de lavagem de dinheiro conhecidas estruturação (Smurfing) e mescla patrimonial (Commingling), além de controlar holding patrimonial familiar proprietária de dezenas de imóveis espalhados por cidades como Marília, Pompeia e Ourinhos.

Conforme o processo, o Ministério Público conseguiu avançar nas investigações, com o sequestro de dezenas de propriedades imobiliárias, como casas, apartamentos, terrenos e fazendas, além de joias e outros valores.

O GAECO buscou junto ao Judiciário a alienação antecipada de inúmeros automóveis que foram apreendidos quando do cumprimento de mandados de busca.

As investigações ainda seguem com relação a terceiro grupo que promove a lavagem de dinheiro proveniente do jogo do bicho na região de Bauru.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima