Expresso de Prata negocia venda com Grupo Constantino

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

 

A empresa bauruense Expresso de Prata, fundada pelo empresário Alcides Franciscato, está sendo negociada com a família Constantino. O negócio, em estágio bem adiantado, está sendo realizado através da Comporte Participações S/A, holding que atua no transporte de passageiros e de cargas e no setor imobiliário, liderada pelos 4 irmãos Constantino.

O CONTRAPONTO apurou que as conversações entre os grupos avançou substancialmente, sobretudo nos últimos dias do final do ano passado. A Expresso de Prata está prestes a completar 93 anos de atividades em abril de 2022 e opera várias das principais linhas de trajetos regionais no Estado de São Paulo, sobretudo para a Capital e partindo e chegando de cidades médias.

A JARDINEIRA

Nascida em 1927,  através de Angelo Franciscato, filho de imigrantes italianos, a história registra que Angelo chegou ainda criança  em Piracicaba, acompanhado da mãe e de cinco irmãos menores. Conseguiu emprego numa fábrica de tecidos, depois em uma unidade de parafusos. Aprendeu mecânica neste local, o que o ajudou a conseguir emprego na oficina da Ford de Piracicaba.

Com economias, comprou uma jardineira usada e abriu uma linha de transporte de passageiros entre Piracicaba e Torrinha, em 1927. Nessa época, aos 19 anos, atuava como motorista, cobrador, mecânico e contava com um funcionário para revezamento. Montou, depois, uma oficina, onde passou a gerar suas próprias jardineiras.

A HOLDING

A holding Comporte Participações é controlada pelo Conselho de Administração da Gol Linhas Aéreas. As empresas do grupo, com presença nos setores aéreo e de transporte rodoviário (e de cargas) estão espalhadas por diferentes estados, cuja atividade e expansão tem os olhos do fundador, Nenê Constantino.

O interesse pelas operações da Expresso de Prata pelo Grupo Constantino (através dos 4 irmãos Ricardo, Joaquim, Henrique e Constantino de Oliveira Júnior) coincide com as acomodações no ciclo de negócios dos patriarcas da família Franciscato, com Alcides (92 anos) e o irmão Alceu (90 anos).

“TEMPO” NEGOCIAL

As conversações finais entre os executivos das empresas chegam no momento de pós-pandemia, mas “nasceram antes”. As sondagens preliminares tiveram início ainda antes de 2020, quando a Covid causou estragos profundos em vários setores da economia, incluindo transportes de passageiros. As perdas de faturamento no setor foram substanciais. Várias empresas pelo País estiveram, ou estão, à venda.

Até 2018, o grupo Franciscato ainda desenhava recomposição de estratégias no setor, cujas movimentações são demarcadas pela abertura de consultas públicas e realização de 14 audiências públicas em todo o Interior, pelo governo do Estado de São Paulo, visando a concorrência pelas concessões. Mas o processo foi arquivado pelo governo paulista, sem conclusão.

Veio a pandemia e o transporte de passageiros foi atingido em cheio. A redefinição de custos e ajustes nos negócios, para passar pela “tempestade sanitária econômica”, perduraram mais do que o esperado no País. Entre outros fatores, empresas do transporte discutiram fusões, outras deixaram o mercado.

As retomada das conversações vieram com avanço “expressivo” no final de 2021, há poucos dias, apurou o CONTRAPONTO.

Os negócios da família Constantino também sofreram mutação. Entre as sociedades, por exemplo, os irmãos Nenê e Paulo repactuaram participações como sócios, em julho de 2021, conforme os registros. Nichos regionais específicos, como as operações rodoviárias da empresa Andorinha, por exemplo, foram separados, entre os irmãos.

Os negócios da família estão presentes em diversas marcas, como o controle da concessionária Via Rondon e, claro, a Gol Linhas Aéreas. (veja lista de algumas das marcas, abaixo).

Empresas do grupo Constantino
Transporte rodoviário
Transporte urbano e suburbano
  • Viação Piracicabana – Santos/SP
  • Viação Piracicabana – Praia Grande/SP
  • BR Mobilidade Baixada Santista – Ônibus Intermunicipais e VLT – São Vicente/SP
  • Expresso Maringá do Vale – São José dos Campos/SP
  • Joseense Transportes – São José dos Campos/SP
  • Princesa do Norte Mogi das Cruzes – Mogi das Cruzes/SP
  • Empresa Cruz – Araraquara/SP
  • Viação Luwasa – Catanduva/SP
  • Expresso Itamarati – São José do Rio Preto/SP
  • Expresso Itamarati – Votuporanga/SP
  • TCGM – Transporte Coletivo Grande Marília – Marília/SP
  • TCGB – Transporte Coletivo Grande Bauru – Bauru/SP
  • Cidade Verde Transporte Rodoviário – Sarandi/PR
  • TCCC – Transporte Coletivo Cidade Canção – Maringá/PR
  • VAL – Viação Apucarana – Apucarana/PR
  • BluMob – Blumenau/SC
  • Viação Piracicabana – Brasília/DF
  • Empresa de Transportes Líder – Uberaba/MG
  • Viação São Geraldo Sacramento – Uberaba/MG
Cargas e encomendas
  • União Express
  • Itamarati Express
  • TEX Encomendas

29 comentários em “Expresso de Prata negocia venda com Grupo Constantino”

  1. Por anos utilizei o Expresso de Prata. Foram muitas viagens para vários locais, mas principalmente para São Paulo e Campinas. Não tenha nada que reclamar, aliás, somente a elogiar.
    Espero que isso não mude se realmente for efetivada a venda.

  2. Ramiro Ferreira Jr

    Parabéns pela pesquisa, textos e publicação dessa história de dois “seletos” grupos que dominam o setor de transporte de passageiros!!

  3. Eles são guerreiros e estão sempre atentos aos operadores que após essa pandemia perdem um número significativo de passageiros e por tanto o equilíbrio econômico financeiro do negócio , só sobreviverão nesse setor quem for operacionalmente com escala de passageiros significativos , infraestrutura de pessoas e pontos de garagem para ter a otimização necessária e OUSADIA e CORAGEM de continuar investindo pois o Setor passa por ataques de outros sistemas , exemplo Buser , FlixBus e bla bla car da Vida , sistemas esses que não possuem na sua atividade principal nenhum ônibus se quer , tudo terceiro e com uma rotatividade de contratados muito grande, apesar de só rodarem cheios e quando interessa , por tanto repito devemos agradecer a empresários como os acionistas da Comporte que continuam acreditando e investindo nesse setor tão importante quanto tantos outros que sofrem com as crises e os ataques de aventureiros vampiros 🧛 como em vários outros setores já aconteceram e somem quando não tem mais sangue 🩸 para beber

  4. José Roberto de Vasconcelos

    Parabéns grupo uma potência trabalhei na Estinta Jauense e na Reunidas tive a oportunidade de ver Sr.Nene Várias vezes na Emp Cruz trabalhei excelente Empresas

  5. Jorge Kanehide Ijuim

    Há uma inconsistência na matéria. No primeiro parágrafo informa que a empresa foi fundada por Alcides (o que não é verdade). Após o primeiro intertítulo, cita como fundada por Angelo. Fácil retificar, né?!

    1. A marca Exopresso de Prata foi fundada por Alcides. O negócio com transporte de passageiros teve como pioneiro o Angelo. abc.. Mas retifico, sem problema.

      1. Parabéns por mais uma matéria inédita que marca o jornalismo investigativo de Bauru. Para quem tem visão, as manobras podem explicar muito dos movimentos políticos recentes….

    2. Aparecido Ferreira

      Boa noite fico muito triste di saber disso tudo fui motorista da empresa espresso de prata por 27 anos onde mi aposentei recebi dessa empresa u prêmio motorista padrão por 17 vezes qui Deus abençoe a família franciscato meu nome Aparecido Ferreira sou de tupi Paulista SP Boa sorte Alcides do a Sonia dona Claudia junio Eduardo Alceu sou muito grato a família franciscato

  6. Antonio Rodrigues Taveira

    Uma grande família. Uma grande empresa o Expresso de Prata. Sempre muito pontuais. Seus funcionários sempre muito educados e altamente profissionais. Os líderes tendo atingido 90 e 92 anos, e essa pandemia sem fim, realmente são motivos para repensar a caminhada dessa gigante do transporte brasileiro. Obrigado a família Franciscato por seu grande amor e respeito pelo povo brasileiro. Sempre colocaram a disposição dos usuários excelentes ônibus. Além de luxuosos, muito limpo e cheirosos. Esse padrão de atendimento e de prestação de serviço são únicos. Deus abençoe todos dessa empresa. Viajei muitas vezes e não tenho como esconder minha tristeza ver ela sendo vendida ao grupo Constantino. Que tentem ao menos chegar aos pés do grupo Prata. Igual jamais serão.

  7. PAULO AFONSO BARROS

    Faltou o grupo Constantino e Expresso de Prata, investirem no transporte municipal de Presidente Prudente, grande abraço fiquem com Deus 🙏

  8. Uma Empresa que trouxe muitos benefícios aos Bauruenses, que tem muitos funcionários que passou emprego de pai para filho,que sempre honrou os bons funcionários, eu tive a honra de conviver com um casada 20anos,ele Ricardo Nunes de Siqueira funcionário de 53anos na mesma empresa e que nós deixou em 05/10/2016,sinto muito mesmo por ver a disolução dessa conceituada Empresa,sou muito Grata ao Sr. Alceu Franciscano e família, Deus os abençoe

  9. Excelente matéria especialmente pelo fato de trazer ao público algumas das nossas inúmeras histórias de como os humildes começos precisam serem conhecidos, demonstrando que não se constrói um edifício da noite para o dia e que há esmero, muito suor para alcançar tanta relevância assim e contribuir para uma nação, para o progresso humano! Parabéns!

  10. Benedito Contrera da Silva

    Aqui em Dracena conheci na década de 60 a Reunidas Brasileiras que tornou-se Rápido Panamericano e depois Expresso de Prata. Meu irmão José Contrera trabalhava no início como lavador, aprendeu mecânica, Foi motorista e chefe de garagem ( Marilia/Tupi Paulista/Bauru). O Prata….. uma grande empresa que ainda liga Dracena a São Paulo. Os Franciscatos….. gente Boa e muito queridos por meu Irmão.

  11. Uma pena. Tenho 62 anos moro em DUARTINA E sempre usei a empresa e Expresso de Prata para Bauru, São Paulo e tantos outros lugares em que viagem. Uma Ótima empresa que sempre teve os passageiros em primeiro plano nos atendimentos. Mas comp as coisa mundial, espero que os novos proprietários sejam tão bom e competentes como os Franciscato. Boa sorte a todos.

  12. Quem fica triste com a venda é porque não utiliza os serviços dessa empresa. Quem foi ao terminal rodoviário de Bauru nos anos 80 verá hoje o mesmo letreiro antigo no guichê de vendas de passagens. O trajeto Bauru – Botucatu, 90 km, com estrada duplicada há mais de 30 anos, continua sendo feito em 2 h e 30 minutos, em ônibus sem ar condicionado… A empresa não se modernizou… Parou no tempo. Tomara que agora as empresas aéreas possam voltar à cidade… Faltou informar os valores da negociação.

    1. Meu amigo desculpa por responder vc ,mais ônibus sem ar? desconheço!até a linha suburbana tem ar!antes de o grupo assumir vai fazer esse trajeto e ver com os seus próprios olhos ! trabalho até hoje e agradeço a família franciscato por dar emprego pra mim 26 anos ,melhor empresa que já trabalhei e ainda estou aqui aguardando e juntos nesse barco

  13. A venda já foi realizada
    O Grupo Comporte pretende continuar a utilizar a marca “ Expresso de Prata “ irá dar entrada na Artesp para a solicitação

  14. Parabéns ao Grupo Expresso de Prata por gerar empregos por muitos anos a Bauru, embora trabalhei com o grupo Constantino a qual excelente administrador desejo boa sorte. Saudades desta Cidade abraços aos Bauruenses..

  15. Viajei diversas vezes no trecho sao paulo-marilia antes da pandemia…ia no horario das 23:59…ia no leito dd …2 wc e espaçoso e só…sem agua, sem manta, sem porta usb…

  16. Luiz Roberto da Silva Telles Nunes

    Os herdeiros nunca dão valor a seus seus antepassados.Na minha família também foi assim,Do que meu pai deixou não resta praticamente mais nada.São os de foras que dão valor aos líderes.Sou engenheiro e corretor, e como corretor uso o
    o nome Coube em homenagem a seu João pelas histórias que ouvia de muitos sobre – aqui cito seu Durval Guedes de Azevedo aos alunos do Guedes,que ainda não foi vendido,como foi o curso Brasília,de meu primo Paulo Américo da Silva Telles para o Objetivo – o caráter e bondade de João Martins Coube,que de simples balconista passou a proprietário da Tilibra.Fico muito triste de saber que não pertence mais aos Franciscato.Pelo andar da carruagem outras empresas de Bauru também serão vendidas; é só questão de tempo;Quem sabe o Confiança Supermercados do empreendedor Jade Zogeib.Espero que não faça isso. Já não tentaram vender até a Embraer.Por Deus não deu certo.

  17. elenir roveri olaia

    gostaria de saber porque foram alterados os horários dos ônibus da linha Jundiaí/Bauru e Bauru/Jundiaí ? já faz 5 anos que utilizo a linha e está muito complicado. Muitas paradas em cidades que não tem passageiro????causando uma demora de mais ou menos 7 horas quando normalmente em 5:30 chegava.

    aguardo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima