COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 155 DAE desentope rede no Centro para tirar despejo de esgoto do Rio Bauru; Ministro vem a Bauru nesta quinta

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 155 DAE DESENTOPE REDE NO CENTRO PARA LIVRAR RIO BAURU DO ESGOTO; MINISTRO MANTÉM VISITA NESTA QUINTA

 

RICARDO SALLES

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, mantém visita em Bauru nesta quinta, conforme antecipamos. Ele vem um dia após a Polícia Federal realizar, com autorização do STF, operações de busca na investigação sobre possíveis irregularidades na gestão e comércio ilegal de madeira no País, o que inclui remessa ao exterior. Entre os alvos está a verificação de empresa onde o ministro é sócio.

Na agenda oficial na cidade, Ricardo Salles vai dar uma passada pra ver o descarte de resíduos da construção e, depois, olhar o atual estágio das obras da ETE do Distrito.

PRA ASSINAR 

A assessoria informa que o ministro assina, com a prefeita Suéllen Rosim, Termo de Cooperação da Agenda Nacional de Qualidade Ambiental. Não foram dadas informações da ação prática. E tomara que ela seja dita. Porque pra assinar “Termo” não precisa deslocar aparato oficial de Brasília… A questão abrange de gestão de resíduos (onde Bauru já tem estudo com a Caixa), a saneamento e áreas verdes urbanas.

Houve pedido de representantes locais, ao ministro, de equipamento para processamento dos resíduos da construção civil. Não foram mencionadas questões como a necessidade de continuidade das etapas de Recuperação do rio Batalha da Captação até a nascente, em Agudos, com ações de terraceamento iniciadas com a Agência Nacional de Águas (ANA) ainda no trecho bauruense, e apoio para a instalação de transbordo para o lixo doméstico, entre outras ações….

REDE ENTUPIDA

O DAE informa que está desentupindo redes de esgoto na área central, como nas imediações da da rua Presidente Kennedy.  Na checagem operacional das causas de derrame de esgoto no rio Bauru, do setor da Rodoviária em direção à Rondon, foi identificado que a rede de esgoto está entupida em vários pontos no Centro, onde há várias oficinas mecânicas.

Muito estopa e material deste tipo de serviço foi localizado, conforme o DAE. A indicação é que este material acabou entupindo a rede e o esgoto transbordou para a canalização de água pluvial, “derramando” no rio perto da Rodoviária… É visível a diferença de coloração (e odor) da água no rio Bauru antes e depois da Rodoviária.

REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

Aproveitamos o episódio para lembrar que um dos itens “urgentes” do trabalho técnico – que depurou as medidas a serem realizadas para o futuro início do tratamento de esgoto pela ETE do Distrito – é a necessidade de regulamentação do funcionamento de oficinas mecânicas, indústrias e demais atividades que utilizam componentes poluidores (como solventes e outros produtos químicos com contaminante) se destino final.

Sem esta regulamentação (ainda não realizada), o funcionamento da ETE Distrito não seria, digamos, funcional. Seria prejudicado. Como a obra atrasou, esta etapa também esperou pelo caminho…. mas está na hora, de mexer com isso, certo? ….

VACINA ABAIXO DOS 60 ANOS

Há ansiedade (angústia até) natural  entre as pessoas com idade abaixo de 60 anos a espera de vacina pra Covid. Como se sabe, a Prefeitura de Bauru está imunizando algumas faixas etárias abaixo dos 60, neste momento, mas somente de pessoas com COMORBIDADE (doenças pré-existentes).

Para o público de 59, 58, 57… (pra baixo, na escada etária), a orientação é esperar! Não há, neste momento, estoque de vacina para este público. O Butantan está parado e a Fiocruz produz muito pouco. E toda produção é distribuída, de forma proporcional, em todo o País….

Quem define o cronograma (e os grupos) é o Ministério da Saúde, em função do estoque e da produção de vacinas… Infelizmente, este público terá de esperar mais….

SEM EFICÁCIA

Vamos descrever sem melindre: o governo sabe que o Plano SP apresenta eficácia reduzida de controle. E faz tempo… É obrigação identificar que o Estado está “flexibilizando” aos poucos (ampliando as “autorizações” para funcionamento em escalas de 10%….) o que sabe que jã está sendo descumprido na prática.

É até ruim dar conta disso. Mas com fiscalização frouxa, economia apertada, o “jogo” das regras está no “estica” estica… … Uma “gestão” arriscada… A “tática” não resolve e é ruim para todos, os comerciantes, prestadores de serviços, trabalhador e consumidores….

E os hospitais daqui? Em Bauru, o percentual de internação hospitalar em UTI continua beirando a casa dos 100%. E na região também!

Ou seja, o olhar frio sobre o quadro mostra o óbvio: ficamos mais de 3 meses com lotação UTI 100% (e acima) e continuamos com lotação muito alta…. É rezar pra não vir “terceira onda” com mutante nova em pleno frio…. !! O boletim da quarta citou 827 óbitos em Bauru.

CATA TRECO 

Acione o serviço de Cata Treco e móveis sem uso da cidade

Para os sem noção, sem senso de cidadania e convivência com o coletivo, a Prefeitura reforça: “Não jogue móvel velho e tranqueir na rua e no lote do vizinho!”. Acione o serviço Cata Treco (pelos telefones 3239-2786 ou 3234-6849) para agendar a retirada do “inservível” em sua casa.

E para a população decente, com espírito público e solidário, acione o mesmo serviço para doar móveis ou equipamentos com necessidade de algum reparo, ou que não estejam em uso. Os itens serão recuperados e revertidos como doação para os cooperadores da Associação de C0letores (Ascam) da cidade…

RETÓRICAS

Sem tocar no mérito (que exigiria longo artigo), anotamos que o plenário da Câmara Federal é Torre de Babel, mas não em tudo. Fica claro quando os lobbies são claros. Bom! mas e a retórica em plenário? Vamos a um exemplo… : Na discussão da privatização da Eletrobras, os que apoiam a medida utilizam a medida “capitalização”. A oposição, claro, bate em “venda da estrutura pública estratégica”.

Entre uma retórica (anotamos que a palavra ‘narrativa’ virou bordão desgastado) e outra, o fato é que a Medida Provisória em votação reduz a participação pública na Eletrobras para 45%, com comando do capital privado. Ponto!

Anotação: estamos falando sobre a sexta maior empresa do País, que responde pela geração de 30% de energia elétrica….

Discursos: neste tema, o governo posiciona que a Eletrobras está sendo aberta para atrair investimento privado para ampliar oferta de energia elétrica.

A oposição aponta a venda de setor estratégico a preço barato, onde há lucro nas operações, e cita que ‘privatizar’ não é sinal de modernizar, nem resolver, citando o Amapá.

ROJÕES SEM BARULHO

A discussão sobre o projeto de lei de autoria do vereador Coronel Meira, em audiência pública, foi um exemplo de que divergências podem, sim, serem apresentadas de forma educada, com o necessário respeito às partes.

Autor da proposta, Meira ouviu posicionamentos contrários ao projeto e os segmentos que defendem a proibição de uso de rojões (pra simplificar), em razão dos prejuízos decorrentes de ruído e estampido.

Representantes dos fabricantes e do comércio do setor de fogos de artifício argumentaram que a proposta, como está, impede a existência desde segmento. Porque não há fabricação de fogos sem algum ruído (ação da pólvora para “subir” e, depois, “estourar”).

Os que defendem o projeto elencam prejuízos às pessoas, em especial a autistas, aos animais, e as consequências à segurança decorrentes de uma prática (cultural) que impõe riscos.

Pitaco: o ser humano é esquisito. O comportamento, cultural, de incluir em festejos, fazer anunciação, ou “barulho”, o risco e a perturbação (e consequências) impostas ao outro é…. autofagia antropocêntrica….. ! (pedimos licença para não anotar palavrão, por etiqueta).

Ah… “rojões”… empregado do colóquio.. forma popular de se falar….

CÃES LATEM

Mudando de assunto. Uma cena não passou despercebida na audiência pública. Durante sua fala, em defesa da lei contra o uso de rojões, Thais Viotto (engajada à causa animal) discursava que o  projeto “libera fogos luminosos e de baixa intensidade (pouco ruído).

Exatamente quando passou a falar sobre os prejuízos gerados aos animais, Viotto teve sua fala “interrompida” pelo seu cão (de latidos fortes, ao fundo)…. !

O presidente da Associação Brasileira de Pirotecnia (Assobrapi) tinha questionado, minutos antes, que proprietários de cães barulhentos também geram prejuízo à saúde (sonora) dos vizinhos….  E ai… (?) Fato é!…

SACOLINHAS

Aproveitando a temática, o CONTRAPONTO registra, mais uma vez, a necessidade de lei municipal para regulamentar a exigência do uso de recolhimento das fezes dos animais durante os necessários passeios públicos…. Calçadas, gramados e praças não são depósito de fezes de cães! 

Recolher é ação de consciência, cultura, educação, civismo….! Sejamos coerentes!

 

2 comentários em “N. 155 DAE desentope rede no Centro para tirar despejo de esgoto do Rio Bauru; Ministro vem a Bauru nesta quinta”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima