COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 158 “Venda” de pontos para trailer na rua volta à cena e rádio 96 FM leva Cafeo e se reaproxima do JC

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 158  “VENDA” DE PONTOS DE RUA PARA TRAILER VOLTA À CENA E RÁDIO 96 FM BUSCA CAFEO E SE REAPROXIMA DO JC 

 

NAS RÁDIOS LOCAIS

O comentarista de economia, Reinaldo Cafeo, presidente da Acib, está de “malas prontas” para ingressar na remodelação do time de comunicação da Rádio 96 FM. O projeto não envolve apenas a reelaboração dos conteúdos do noticiário (com ênfase para o local), mas acena com  reaproximação com o Jornal da Cidade, no possível compartilhamento de produção de conteúdos.

Como se sabe, há anos Cafeo é comentarista, pela manhã, na bancada da Rádio 94 FM. Ele fica no posto até a próxima sexta-feira, apurou o CONTRAPONTO. De outro lado, Reinaldo Cafeo já mantinha relação de conteúdo com o jornal, onde é articulista semanal de economia.

COMPARTILHAMENTO

Já a rádio 96 FM foi, há pouco tempo, em 2019, vendida pelo Grupo do Jornal da Cidade para o oftalmologista  Jorge Estéfano Germano. Ele também tem duas emissoras em Botucatu.

Nesta fase, o aceno é de reaproximação com o JC para conteúdos. A ideia envolveria implantar o projeto que tinha sido gestado ainda quando a 96 FM era do Grupo Cidade: aproveitar o ambiente digital e tornar o núcleo de jornalismo em uma espécie de agência central, que pode gerar produção específica para as estratégias das mídias digitais (do JC) e da própria radiodifusão. Aguardemos…

Se esta estratégia avançar, o Jornal da Cidade poderia partir para outra fase de sua renovação. Depois de optar pelo formato mais compacto (berliner), o tradicional periódico bauruense pode seguir o caminho de outros veículos regionais, com ênfase editorial na cobertura online factual e, com isso, a necessidade ainda mais premente de aprofundamento das edições do dia seguinte (ainda no impresso). Ou poderia surgir o impresso com edição bi semanal…. mais adiante…(?)

VENDA DE PONTOS 

A “venda e locação” de pontos públicos (na rua) para ocupação de trailers volta à cena em Bauru. O vereador Júnior Rodrigues apontou, na sessão legislativa, que em locais como a Praça da Hípica a situação se agrava, com até quatro, cinco, locais (vagas destinadas a estacionamento público de veículos) “dominadas” por um único dono. Ele critica que os vendedores “pequenos” estão sem conseguir local para trabalhar e mostrou imagens sobre a ocorrência (como abaixo).

A necessidade de regulamentação foi levantada, ainda cem 2017, quando da revisão da Lei dos Permissionários, chamada de lei dos ambulantes. O procurador Jurídico da Prefeitura, Maurício Porto, fez todo o mapeamento dos locais, dos trabalhadores que atuam no setor (praticamente todos informais) e a “distribuição” das vagas.

O projeto ficou pronto. Mas a gestão Gazzetta não o tirou da gaveta. A fiscalização passou a “fingir” que tudo estava normal e vagas de permissionários viraram, há anos, espaços cativos em pontos estratégicos… E não é só na Praça da Hípica e no Centro que isso acontece. 

Agora, os nomes são demarcados no próprio piso (da vaga pública), com os nomes dos donos. Em outros locais, os traillers ocupam, em definitivo, os locais e não se fala mais nisso… Mas, como tudo onde o poder público venda os olhos, virou um mercado paralelo…

Em locais como a Praça da Hípica, as vagas da rua são identificação e o que é público vira de uso particular

ALUGUEIS DO DAE

O presidente do DAE, Marcos Saraiva, comentou, via assessoria, que não sabe os motivos da licitação aberta para a compra de quatro caminhões basculantes ter sido cancelada, em janeiro. Ele informou que está abrindo licitação para a compra desses veículos por necessidade de reposição.

A explicação veio em razão do pronunciamento do vereador Guilherme Berriel. Ele questionou por que a licitação foi cancelada, em janeiro (quando Flávia Souza era a presidente do DAE), e elencou a contratação de aluguéis de serviços de caminhões (com horas de operadores) para caminhões e equipamentos como retroescavadeira e pá carregadeira. O total, em seis itens, do registro de preços soma R$ 3,5 milhões.

A presidência do DAE argumentou que está realizando a recuperação da frota interna mas que o registro de preços garante reserva para que o DAE deixe de realizar serviços por eventual falta de maquinário e operador. Há servidores afastados, na pandemia.

ESTRAGO NA ESCOLA

A prefeita Suéllen Rosim disse ao vereador Júnior Rodrigues que será construída uma nova escola no prédio onde funcionou a EMEI Vera Lúcia, na Vila Nova Esperança. O prédio foi desocupado em razão do acúmulo de pombos. Mas como a reforma demorou, o local foi destruído.

Em visita ao local, a prefeita disse a Rodrigues que é mais funcional construir uma nova unidade. O projeto foi realizado por ação da Assenag e está em avaliação, para eventuais ajustes técnicos, na Prefeitura. A licitação para a construção de outra escola foi indicada para o segundo semestre.

No ano passado, o esqueleto de uma escola (Isaura Pitta Garmes) foi demolido pela Prefeitura, mas porque a empreiteira “quebrou” e o contrato “judicializou” por anos.

A parte interna da EMEI Vera Lúcia é abrigo de moradores em situação de rua

RESTAURANTE DO ZOO

A Prefeitura anuncia a abertura de nova licitação para a conclusão das antigas obras do Restaurante do Zoológico. O caso é uma novela sem fim… há muitos anos…

BOLETIM E VACINA

O boletim Covid divulgado na segunda-feira à noite aponta 841 óbitos no total em Bauru, com 75 pacientes não resistindo enquanto aguardavam vagas para internação junto ao Estado. As UTIs do Hospital Estadual estavam com 100% de ocupação em suas 100 vagas para pacientes em estado grave nesta segunda. Na região, tudo lotado.

A Prefeitura anuncia a liberação da segunda dose da vacina contra a Covid para pessoas com 60 anos ou mais. As aplicações da segunda dose são sempre à tarde, de segunda à sexta, das 13h às 15h. É necessário o agendamento antecipado no site da Prefeitura. www.bauru.sp.gov.br…

Em outra ponta de ações durante a pandemia, o Fundo Social de Solidariedade distribuiu, através do cadastro mantido pela Sebes, 800 cestas básicas a famílias de Bauru entregues pelo Estado.

COMO ASSIM?

O vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia (saido do DEM e potencial candidato do PSDB á sucessão de Doria em 2022), disse em visita à região que serão garantidas vagas para atendimento hospitalar em uma eventual “Terceira Onda da Covid”…

O Estado não atende a demanda de Bauru para Covid há meses e o HE está com lotação máxima desde o início do ano. Além disso, há uma fila gigante para cirurgias eletivas e exames especializados, há anos…

MANOEL DE ABREU

De outro lado, continua em curso a discussão para que a prefeita Suéllen Rosim assuma o prédio do Hospital Manoel de Abreu (que o Estado está reformando, faz tempo, mas não dá nem sinal de como vai abrir…. muito menos o HC, em definitivo…). A discussão seria de que o custeio sairia da União e Estado….

FORA DA LEI

Foram aprovados dois projetos de lei para transferência direta (da CNPJ original para a nova pessoa jurídica do mesmo grupo) de duas áreas em concessão em Distrito Industrial.

A Sedecon firmou o compromisso de submeter, na origem, os novos casos de mudança ou junção de empresas, daqui pra frente. Os casos aprovados são de instalações com mais de 10 anos, já com consolidação de ativo em favor da empresa originária.

SEM HIDRANTES

Foi aprovado projeto de lei de autoria da prefeita Suéllen Rosim que atende a requerimento do Corpo de Bombeiros, com a desobrigação de instalação completa (com conexões) de hidrantes em prédios públicos e entidades de utilidade pública no Município.

A Prefeitura não informou qual a argumentação para a adoção da medida.

CAIXA CHEIO

O DAE foi tema de quase todos os pronunciamentos em sessão legislativa, com ênfase para as oitivas de ex-presidentes da autarquia à CEI do Plano Diretor de Águas (PDA). Em resumo, como noticiamos, todos os ex-presidentes apontaram que seria necessário aporte adicional no caixa para garantir as obras previstas no PDA.

Mas nenhum deles, de fato, realizou troca substancial do parque de hidrômetros, com exceção de uns 1.800 medidores colocados no Gasparini. Muito pouco! São uns 140 medidores na cidade, mais de 80% velhos, fora da norma técnica.

Mas o DAE contou (e ainda conta) com verbas significativas vindas de exigências para aprovar novos empreendimentos. Segundo apontamento do vereador Coronel Meira, em sessão, de 2017 a 2020 foram obtidos R$ 32,2 milhões no caixa municipal só de contrapartidas. Disso, R$ 24 milhões ficaram com o DAE, conforme o parlamentar.

A autarquia informa que vários desses investimentos foram para perfuração de poços, informados à CEI do PDA. Mas o DAE disse que fará o levantamento completo deste período para completar a informação.

BOICOTE

Sobre a repercussão da fala da ex-presidente Flávia Souza de que há boicote por grupos internos, na autarquia, Marcos Saraiva disse que não tem esta sensação até este momento, com as equipes correspondendo às necessidades das demandas por serviços represados.

FUNPREV

O grupo de integrantes do Comitê de Investimento da Funprev parou de realizar reuniões? A última ata publicada no site é do início do mês de maio (dia 06). Espera-se que o colegiado não “tire férias’ junto com as férias do economista e secretário do grupo! Em tempos de maior pressão em volatilidade não se pode ficar, em hipótese alguma, na dependência de uma única pessoa…

Por falar em fundo, em se tratando de aplicações de um caixa com mais de R$ 500 milhões, a  Funprev estará apta a informar, na audiência pública de prestação de contas do primeiro quadrimestre deste ano, nesta quinta-feira (obrigatória pela Lei Fiscal), o comportamento de uma aplicação (em título imobiliário) que está muito mal (já “rasgando” o capital principal investido)….

Audiência fiscal serve pra isso!

PRIMEIRA AUDIÊNCIA 

E, como é a primeira audiência pública de dados a serem apresentados pelo novo governo, nunca é demais repetirmos itens básicos da audiência fiscal….

Caríssimos (as) secretários (as), diretores financeiros (as) e chefes de contabilidade da Emdurb, DAE, Funprev, Cohab, Finanças, Saúde, Educação e demais pastas. A obrigatória apresentação da execução fiscal (por quadrimestre) contempla, no elementar:

. informar as receitas de janeiro a abril e totalização do quadrimestre, com comparativo do mesmo período de 2020;

. informar despesas realizadas no mesmo período, com os dados do mesmo período do ano anterior;

. informar, no caso da Finanças, o quadro do comportamento das receitas próprias (IPTU, ISS, ITBI…. etc.) e dos repasses (ICMS, FPM, convênios, ou seja, receitas tributárias e de capital), também com o quadro comparativo;

. informar itens específicos naturais, essenciais à compreensão da execução e comportamento fiscal. Há números, típicos do setor, que nem precisa lembrar, mas, como exemplo: a Funprev precisa detalhar seus gastos administrativos (internos) e a performance da carteira de aplicações, assim como as despesas com aposentadorias.

Da mesma forma, se o DAE não apresentar informações específicas do Fundo de Tratamento de Esgoto (FTE) seria cumprir tabela e não o pressuposto da Lei Fiscal.

Ah! Esta audiência (que só ocorre 3 vezes ao ano) não está inserida em lei federal para apresentação de realizações de governo. .. Está registrado… !

4 comentários em “N. 158 “Venda” de pontos para trailer na rua volta à cena e rádio 96 FM leva Cafeo e se reaproxima do JC”

  1. Apesar de haver uma pressao popular para a privatização do DAE e um pouco menos intensa para Emdurb.. a prefeita Suellem deveria começar a conceder a iniciativa privada ativos que teriam menor resistência “ dos servidores” como o zoológico de Bauru

    Tem alguma consulta nesse sentido?

    Existem estudos para conceder por um período de tempo o zoológico de Bauru a iniciativa privada?

    Alguém tem as contas ( receita e despesas) corrente e investimento que temos com o zoológico?

    1. Caro Tiago, obrigado por sua reflexão. Ela nos alegra, de participação popular nos temas da cidade. O Zoológico conta com um Fundo próprio, que se alimenta da cobrança dos visitantes. Este fundo custeia reformas, manutenção e ampliações no local. As despesas com pessoal (zootecnistas, veterinários e equipes) e alimentação dos animais são pagas pela Prefeitura, através da Secretaria do Meio Ambiente. A prefeita não incluiu Zoo em sua lista de estudo para eventual concessão. Abc!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima