COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 165 UPAs lotam, com pacientes ‘com’ e ‘sem’ Covid “juntos” e UBS fechadas

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 165 UPAs LOTAM COM PACIENTES ‘COM’ E ‘SEM’ COVID JUNTOS E UNIDADES BÁSICAS FECHADAS 

 

QUEM NÃO SABIA?

No meio do feriadão, com o aumento de casos de Covid (e a demanda por outras doenças nos mesmos espaços), o fura plantão por profissionais nas Unidades de Pronto Atendimento e as Unidades Básicas de Saúde (UBS) fechadas, o cenário (esperado, de conhecimento da administração municipal) é de agravamento das condições de saúde na ponta: para o cidadão. E que alguém não se aventure a “imaginar’ que o PJ (profissional de pessoa jurídica) poderia assinar contrato e “comparecer quando interessar”….

Pior! O governo estadual não mexe um dedo sequer para ampliar leitos, de sua parte. São 70 UTIs públicas pra Covid em Bauru há meses… E a gestão municipal assiste, desde janeiro, ao costume de médicos (CNPJ) não comparecerem aos plantões. De outro lado, a “retaguarda” no Pronto Socorro (PAC) nem de longe é capaz de resolver a demanda…

Não adianta separar casos de trauma, depois, no meio da escalada de demanda, transferir para UPA. A população está indo tudo para o mesmo lugar, e para qualquer tipo de necessidade! Era evidente que isso aconteceria!

COMO FICA?

O governo municipal, há várias gestões, continua com sua significativa parcela de responsabilidade pelo agravamento do quadro -, seja quando não apresenta medidas que ataquem a baixa resolutividade na Atenção Básica, seja quando identifica esta e outras fragilidades (como o “buraco” nas escalas de contratações PJ (pessoa jurídica) via Fundação de Saúde (FERBS).

Não adianta pintar a fachada do antigo Pronto Atendimento Infantil e escrever (Posto Avançado Covid) se a cadeia de serviços e estruturas tem “buracos”.

TODOS JUNTOS

A UPA Geisel é (e está sendo de novo neste feriado) apenas mais um cenário de como a gravidade da antiga carência por serviços de saúde se amplifica na pandemia. Pacientes, por horas, aguardando por atendimento… carência de profissionais na escala… e todos misturados.

Um jovem com exame confirmado de infecção no sangue (esperando vaga para internação no HE), pacientes na área de espera para atendimento para “outras enfermidades”, juntos com os casos de Covid. Alguns deles com os exames em mãos, positivos para o vírus!..

Ah… UPA não deveria ser local para atender casos simples.. Mas o paciente procura a única porta aberta…. no feriado e etc. etc…!

QUER NÚMEROS?

Para quem prefere números para avaliar o quadro: em outubro de 2020 (pico inicial da Covid na cidade) foram registrados 4.327 positivos para o vírus. Em janeiro de 2021: 4.642. Em abril passado: 5.407 e maio fechou com 5.428.

Mortes – foram 299 de março a dezembro de 2020 e passa de 908 já nesta data (04/05/2021). Nem precisa aguardar o boletim oficial. Dobrou e em apenas 5 meses, contra 8 meses de 2020! O boletim oficial da sexta (04/06) traz 901 mortes já apuradas (e 14 óbitos a serem apurados). Ou seja, já vamos para 915 mortes… infelizmente! 88 bauruenses morreram no Pronto Socorro.

Em agosto de 2020, Bauru registrou 67 mortes por Covid. Em março deste ano foram 162, abril 176 e maio 133. Continua o dobro! Mas, é nossa missão registrar, o comportamento em parcelas da população é como se tudo estivesse de boa, na boa… Surreal!

Enquanto isso, em alguns grupos de wattsapp, você certamente foi presenteado com alguém festejando o pronunciamento do presidente em “cadeia nacional”…. “até tal dia deste ano todos os brasileiros estarão vacinados…!)…. e lá vem o governador dizer que “até outubro” todos os paulistas estarão vacinados…

RECEITA “bomba’ EM MAIO   

A arrecadação da Prefeitura de Bauru continua surpreendendo. Depois do acumulado de janeiro a abril (em todas as receitas) apresentar superávit de R$ 56 milhões, na comparação com o mesmo período de 2020, o ICMS continua puxando, para cima, o “vigor” do caixa.

Em maio, o repasse da cota de venda de mercadorias e serviços foi de R$ 15.527.686,47 para Bauru, contra R$ 10.469.778,22 do mesmo mês em 202o.

O acumulado só de repasses do ICMS, na divisão do bolo tributário cobrado pelo Estado, dá R$ 82,3 milhões nos 5 primeiros meses deste ano, face a R$ 64,9 milhões no mesmo período de 2020. Sensacional aumento de 28,8% na entrada de recursos. Superávit para governo nenhum botar defeito, ainda mais em início de mandato.

E DAI?

Olha, é natural (razoável, inclusive), que os técnicos do governo municipal prossigam com avaliação de espera, de serenidade, para a expectativa em relação à pandemia até o final do ano. Mas, vamos lá: o e-commerce está indo muito bem, e com ele o aumento na emissão obrigatória de notas fiscais, os preços dispararam em vários segmentos (e com ele os governos é que enchem o bolso com aumento de arrecadação).

E ninguém aposta (até porque muitos já festejam o que é obrigação – como apontado acima – que (ao contrário de 2020), as vacinas não cheguem a pelo menos 75% da população até o final do segundo quadrimestre por ai… E com este percentual virá o esperado (e atrasado) quadro de estabilidade imunológica!

Em vários cantos do mundo isto já está acontecendo… E isso mesmo em lugares onde nem vacinaram tanto quanto deveriam… mas onde funciona, – com fiscalização, multas e cultura coletiva – , o distanciamento!

Então: o governo Suéllen tem de definir, planejar, agora, em qual projeto ou ações será aplicado este robusto superávit! Até porque o slogan de “arrumar a casa” ainda está apenas no cartaz… Mas o primeiro primeiro semestre já se foi… prefeita! E com grana no caixa é natural esperar e cobrar bem mais do que eventual arrumação….

POSIÇÃO DA SAÚDE

Em nota, a Secretaria de Saúde informa que “está com falta de médicos na UPA Geisel Redentor há algum tempo e está tentando solucionar este problema junto à Fundação Regional Estadual de Saúde – FERSB, responsável pela contratação destes profissionais.

Nesta sexta-feira (04), 02 médicos trabalharam no período da manhã e apenas 01 no período da tarde. Como o movimento foi grande na enfermaria, emergência, testes de Covid, o atendimento de rotina ficou muito prejudicado”, conclui o comunicado.

O contrato com a FERBS não resolve o comprometimento com a escala. E os contratos de gestão para as UPAs do Geisel e Bela Vista (duas unidades, com certeza) encerram em dias! O que será feito? Já se sabe, desde o dia 1 de janeiro, desta informação (administrativa e de gestão).

LAVACAR NO RECINTO

O questionamento, com foto, está na rede social do vereador Coronel Meira. Conforme sua postagem, serviço de lava car estaria funcionando nas dependências do Recinto Mello Moraes.

A administração está sendo chamada a esclarecer o fato. A exploração do Recinto é realizada pela Arco. O presidente da associação, Emílio Brumati, comentou que o serviço de lavacar perdurou por cerca de 20 dias, de forma provisória, para veículos e equipamentos, como do meio agropecuário. Conforme o presidente, a locação de espaços, como restaurante e para realização de shows, traz receita para a manutenção do local. Mas, neste caso, a ação não avançou.

1 comentário em “N. 165 UPAs lotam, com pacientes ‘com’ e ‘sem’ Covid “juntos” e UBS fechadas”

  1. Terezinha Pessuto

    Moro perto do UPA do Geisel. Quero solução, pois são muitas pessoas que procuram essa unidade de saúde. É um descaso, poucos médicos, tanto finais de semana quanto durante os dias de semana. Um absurdo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima