COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 242 Processos contra Suéllen são rejeitados; assessores e vereador acusado decidem não falar à DEIC no primeiro dia após prisão

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 242 Processos contra Suéllen são rejeitados; assessores e vereador acusado decidem não falar à DEIC no primeiro dia após prisão

 

PROCESSANTES

Os dois pedidos de Comissão Processante (CP) requeridos contra a prefeita Suéllen Rosim foram rejeitados pelo plenário. A denúncia formulada com base na CEI FERSB teve o pedido de CP assinado pelo morador Nelson Fio rejeitado com 11 votos contrários e 4 favoráveis:  Meira, Chiara, Borgo e Estela.

Já o segundo pedido, assinado por Alcides Mendonça Jr., recebeu 10 votos contrários e 5 favoráveis (os 4 acima e mais Guilherme Berriel).

DIFERENÇAS

Os pedidos tinham diferenças, ambos em relação a irregularidades apontadas na CEI da FERSB. O primeiro solicitou processo contra a prefeita por obstrução dos trabalhos da Comissão de Inquérito e o pagamento irregular de horas não trabalhadas por médicos-servidores.

O segundo requerimento de CP tratou em específico da não comprovação da devolução de R$ 2 milhões devidos à Secretaria de Saúde pela Fundação Estatal (FERSB). O secretário de Saúde, Orlando Costa Dias informou que a devolução foi efetivada em julho deste ano.

EFEITO PRISÃO

A repercussão em torno da prisão preventiva do vereador Carlinhos do PS e assessores ligados a ele gerou efeitos sobre os discursos tanto em relação à Comissão Processante quanto em relação aos próximos capítulos. Alguns apostavam que Carlinhos tende a falar que o uso irregular de cargos políticos em funções de confiança no governo municipal não seria prática isolada.

Entre um discurso e outro, houve citação, por exemplo, do que seria uma “rachadinha religiosa”. Mas não houve apresentação de elementos. Junto à DEIC, a informação é de que serão chamados para serem ouvidos os que apresentaram eventual conhecimento ou indicação de outras ocorrências irregulares, como a chamada ‘rachadinha’.

EM SILÊNCIO

O delegado da Seccold, Gláucio Eduardo Stocco, ouviu todos os 6 implicados na denúncia original de ocorrências de possíveis crimes de concussão, eleitoral e “rachadinha” ainda nesta segunda-feira.

A orientação dos advogados de defesa foi no sentido de que nenhum dos detidos preventivamente falassem. As defesas apontaram que qualquer posicionamento só virá a partir do conhecimento integral do processo investigatório, segundo informações da DEIC.

Nesta terça, os detidos serão submetidos a Audiência de Custódia (informar perante o juiz como foi realizado cumprimento da prisão e a situação de cada um). Em seguida, conforme a DEIC, serão levados à Cadeia de Avaí.

NOTA DA PREFEITA 

A prefeita Suéllen Rosim posicionou, através de nota enviada pela assessoria de comunicação, que apoia a medida adotada pelo presidente da Emdurb, Luiz Carlos Valle, de ter levado ao conhecimento da Polícia Civil a denúncia preliminar relativa à pressão de Carlinhos do PS para nomeação de cargos na empresa, como condição para apoio político ao governo.

A prefeita reitera que orientou todos os secretários e ocupantes dos demais cargos de que caso alguém ficasse sabendo de irregularidades deveria denunciar.

E O MANDATO?

Muitos eleitores já indagavam, ainda durante a segunda-feira, quem assumiria o posto de Carlinhos do PS. Não funciona assim. O vereador foi detido de forma temporária e responde a acusação de prática de possíveis crimes, em procedimento em andamento. Esta situação (jurídica) não afeta seu mandato.

O desenrolar dos fatos, com consequências de acordo com diferentes medidas e prazos (como uma futura ação penal e pedido de Processante com cassação de mandato, por exemplo) podem levar à ocupação da vaga pelo suplente, Milton Sardin. Mas este eventual desdobramento ainda está na fase inicial e, por ora, somente com apuração na área Policial (criminal).

PRAZO DE DETENÇÃO

O delegado que comanda o Seccold (especializado em crime de corrupção) da DEIC, Gláucio Eduardo Stocco, informou que a prioridade, nesta semana, é ouvir integrantes da administração pública e das repartições onde atuaram os assessores de Carlinhos do PS. A prisão preventiva tem prazo de cinco dias.

O delegado salientou que, diante do volume do inquérito e sua abrangência, é quase certo que será necessário solicitar prorrogação da prisão temporária (ou conversão para preventiva, dependendo do estágio e desdobramentos da apuração).

“NA POLÍTICA É ASSIM”

Durante coletiva à imprensa, as equipes do Seccold da Polícia Civil mencionaram que nenhum dos 6 incluídos em mandados de prisão apresentou resistência. O contato com Carlinhos do PS também foi realizado sem intercorrências. O delegado mencionou que o vereador disse que “acha que não cometeu crime e que na política é assim que acontece”, em referência à exigência de cargos comissionados e favores a eleitores.

“ME CHAME, CONTO TUDO”

A frase é da vereadora Chiara Ranieri, na sessão legislativa, em referência à indicação de que será chamada pela Polícia Civil para informar o que sabe ou apresentar indicações de ocorrências de irregularidades envolvendo indicações de cargos e as relações mantidas com parlamentares.

“Delegado, me chame. Conto tudo. Eu não tenho provas, mas da rachadinha da fé já ouvi falar”, discursou.

APREENSÕES

Além de em torno de R$ 60 mil em dinheiro, as buscas da Polícia realizadas no gabinete,, na residência e no escritório político do vereador Carlinhos do PS localizaram: tambores de combustível, cestas básicas, materiais esportivos (bolas, uniformes), muitos com logotipos do governo do Estado, muitas caixas de remédios e cadeiras de roda sem identificação de origem.

Um fichário com milhares de unidades contendo nome, endereço, telefone,  título do eleitor e cada um dos favores ou pedidos realizados estavam no material. Com isso, a Polícia Civil avalia que ampliou o leque de provas para avançar que o esquema não era só de “rachadinha”, mas de cooptação eleitoral e um esquema estruturado de entrega de favores e cobrança (monitoramento) do voto, em diferentes bairros.

O material, aliado a interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça e o material recolhido com o vereador e assessores, acredita a equipe da DEIC, vai “robustecer as provas de organização para a prática de crimes de concussão e eleitoral”.

AUDIÊNCIA ETE

Nesta terça-feira, ás 14 horas, é esperado que as Secretarias de Obras, Jurídico e também o DAE apresentem as definições para a abertura da licitação dos 30% restantes para a conclusão da obra da ETE e a posição em relação às ações em andamento.

A Secretaria de Obras indica, contudo, que ainda está realizando a revisão de itens que vão compor o novo edital. A reunião será presidida pelo vereador Manoel Losilla.

PRÉDIO DO ESTADO     

O comando municipal do MDB, através do presidente Rodrigo Mandalitti, e a bancada da legenda, por intermédio de Manoel Losilla e Guilherme Berriel, informaram que acionaram o governo do Estado para que o prédio onde hoje está funcionando a Área Regional da Agricultura, na Avenida Rodrigues Alves, seja cedido à Prefeitura de Bauru.

A informação é de que o setor da agricultura do Estado, como Regional, vai funcionar junto ao prédio do DER, reformado para abrigar serviços regionais. Além disso, o MDB disse que a cidade vai receber veículos para Patrulha Rural, investimentos em recuperação de estradas e outras ações. Itamar Borges, Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento, é do MDB.

LIMPEZA PÚBLICA

Aposentado no comando da Polícia Militar em Bauru, recentemente, Fabiano Serpa assume a Diretoria de Limpeza Pública (DLP) da Emdurb. A informação foi prestada pelo gabinete da prefeita.

CONSELHO DE USUÁRIOS

O projeto de lei da prefeita que pretendia criar Conselho Municipal dos Usuários dos Serviços Públicos foi considerado não só “muito rim”, como sem sentido. Em votação, a proposta foi rejeitada por 15 votos a zero.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima