COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 257 Exibição de armas em “baile de rua” no Jaraguá desafia as Polícias; OMESC apresenta primeira escala de plantões com dupla jornada por um mesmo médico

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

. 257 Exibição de armas em baile de rua no Jaraguá desafia as Polícias; OMESC apresenta primeira escala de plantões com dupla jornada por um mesmo médico

 

PANCADÃO E ARMAS

Circula pelas redes sociais, sobretudo entre jovens, vídeos de um baile ao ar livre, um Pancadão, onde há exibição ao ar livre de armas de fogo. Trechos dos conteúdos foram enviados ao vereador Coronel Meira, ex comandante Geral da PM no Estado de São Paulo.

Ele mostrou indignação com a presença de armas expostas em um baile funk realizado ao ar livre no Parque Jaraguá, no último domingo, feriado de Natal. O material foi enviado ao comando da PM. Este tipo de ação, aborda Meira, exige trabalho conjunto das polícias Civil e Militar, de um lado, e a fiscalização pela Prefeitura contra a organização dos encontros. A Polícia apura a identificação dos jovens que portaram e exibiram as armas no meio da multidão de jovens.

Veja no link a seguir dois trechos exibidos na rede social:  pancadão e armas Jaraguá

ESCALA FURADA

A primeira escala apresentada pela OMESC de São Carlos para realização de plantões médicos para as UPAs Bela Vista e Popular Ipiranga está furada. A própria organização social reconheceu os erros na planilha que apresenta duplicidade de médicos e jornadas superiores até a 36 horas, seguidas, em mais de uma unidade.

Porém, a entidade (que só vai começar a atuar em Bauru para a Secretaria Municipal de Saúde) a partir do dia 01 de janeiro próximo (2022) só reconheceu os erros grosseiros na escala produzida para a distribuição de médicos até 8 de janeiro após insistência, em reunião pública hoje.

As impressões (a partir dos erros na planilha e da postura refratária pelo dirigente da OMESC em boa parte do encontro presidido pelo vereador Júnior Rodrigues) não foram positivas. O dirigente da Organização Social, João Luiz Queiroz, chegou a ser ríspido em íntervenções na reunião.

ESCALA DAS UPAS 

Se o objetivo da OMESC foi tentar passar a ideia de que está com plantões garantidos para a escala pelo menos até o dia 8 de janeiro (a primeira semana de sua atividade na cidade), a ação foi negativa. Um mesmo profissional teoricamente escalado para plantão de 12 horas na UPA Bela Vista também estava, na escala, no mesmo horário na Unidade do Ipiranga.

Além disso, a empresa apresentou não mais que 16 médicos, em uma lista onde não se pode aferir os nomes completos dos profissionais para checagem. Técnicos presentes à reunião enfatizaram que o ideal é que o cadastro contendo 10 profissionais escalados (número de um turno completo para duas UPAs, por exemplo) tenha retaguarda de 50 compromissados…

A direção da OMESC garante que sua prioridade é garantir as escalas e evitar acúmulo de filas. Tomara!!

AUDITORIA COHAB 

A Cohab contratou a empresa RAAC (que já prestou o serviço de acompanhamento externo das contas e despesas na gestão Gasparini Júnior, conforme exigido por lei) para o serviço de auditoria por 12 meses. O valor é R$ 30 mil, Como apontamos, a companhia não enviou os balancetes mensais de todo o ano… até agora!

Já a contratada, consta de sua participação na Cohab a não identificação da fraude apurada pelo Gaeco, em processos que investigam desvios de mais de R$ 54,7 milhões, entre 2007 e 2019.

SEDE DA EDUCAÇÃO

A secretária de Educação, Maria do Carmo Kobayashi, confirmou hoje, ao CONTRAPONTO, que a sede da pasta vai ser transferida para o prédio adquirido no Parque Vista Alegre. O imóvel da Staff está na lista de aquisições, por desapropriação, realizadas pela Educação na utilização das receitas obrigatórias de no mínimo 25% das entradas no caixa.

A matéria levantada pelo CONTRAPONTO, nesta terça, repercutiu no meio empresarial, imobiliário, entre educadores, políticos e também junto à comunidade. Veja conteúdo completo em: https://contraponto.digital/educacao-faz-maior-compra-da-historia-com-r-34-milhoes-em-desapropriacoes/?fbclid=IwAR2EfGt1dDf456iX6RpNVRuwy0yWD4blJa9IyCPMPz9oonB9yxSGrhEwomk 

É a maior aquisição em conjunto de imóveis pela Educação, em um único exercício, da história do segmento. Os negócios somam R$ 34 milhões. Conforme o material, o Centro terá deslocamento do projeto de instalação de creche padrão e outros serviços das imediações da Praça Machado de Mello para a Rua Gerson França – Rua Cussy Júnior – onde foram comprados três locais.

Veja a lista com os 13 imóveis negociados, localização e valores:

 

PEDIDO DE PROCESSANTE

O cidadão Mathias Muniz ingressou com pedido de abertura de Comissão Processante em relação a vereadora Chiara Ranieri, hoje. O pedido aponta que seria irregular contrato de aluguel do imóvel do Promai, no Centro, da família Ranieri, em função do mandato parlamentar.

O caso se enquadra nos chamados contratos uniformes (padrão), aponta a vereadora e era pertencente a seu pai, sendo, depois de seu falecimento, sendo transferido para a mãe e tendo sua gestão vinculada a uma pessoa jurídica da qual ela não faz parte, comenta Chiara. A parlamentar posiciona que a ação ainda está ancorada em uma espécie de vingança política contra suas críticas a posturas de agentes políticos, desde o início deste mandato. Chiara adiantou que vai acionar responsáveis por denunciação caluniosa.

ÍNDICE DE RECEITA

Bauru perdeu, para 2022, participação na fatia estadual de distribuição das receitas de ICMS de acordo com suas atividades. O fechamento de unidades, como a Mondelez, na área industrial, refletiu a queda. O índice do Município vigente é 0,5621% para efeito de cálculo da repartição por circulação de mercadorias e serviços no Estado. Para o próximo ano o índice fica em 0,5527%.

Apesar da desidratação da fatia do bolo de ICMS, a arrecadação vai muito bem neste ano. Até novembro, a cidade acumulou receitas de R$ 239,7 milhões, no galope do efeito da inflação alta e vendas via internet, contra R$ 183,7 no mesmo período do ano passado (janeiro a novembro).

 

1 comentário em “N. 257 Exibição de armas em “baile de rua” no Jaraguá desafia as Polícias; OMESC apresenta primeira escala de plantões com dupla jornada por um mesmo médico”

  1. O CANOVA mantêm seus péssimos hábitos, a RAAC já deixou suas marcas na COHAB e não foram positivos. Repetir essa ação é de péssimo gosto e deve ser rechaçada pela população bauruense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima