COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 289 Drenagem da área e bacia da Estação e Parque linear ao custo de R$ 37 milhões serão levados ao Estado

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

N. 289 Drenagem da área e bacia da Estação e Parque linear ao custo de R$ 37 milhões serão levados ao Estado

 

ESTAÇÃO E PARQUE

O Grupo Marca apresentou projeto executivo com valores atualizados no memorial descritivo para as instalações de um parque linear e a macrodrenagem da bacia de contribuição que envolve áreas próximas da Estação Ferroviária. O executivo Avelino Cortellini conseguiu acionar parceiros para atender pedido de vereadores, a partir de contato da vereadora Chiara Ranieri, para  apresentar os dados em encontro nesta quinta-feira, no plenário, com 12 vereadores participantes.

Conforme os dados, o parque linear – que já integrava o projeto original desde 2001 – e as obras de macrodrenagem em diferentes pontos da bacia (da Estação) exigem investimentos de até R$ 37,3 milhões. O parque linear está estimado, hoje, em R$ 10,8 milhões, incluindo remodelagem da praça Machado de Mello, e as necessidades de drenagem R$ 26,5 milhões.

Agora, todos os vereadores, apresentam a proposta para a prefeita Suéllen Rosim para buscar o compromisso com o projeto. O passo seguinte será agenda com o governador do Estado, Rodrigo Garcia, que assume o cargo agora no início de abril e será candidato ao posto neste ano.

Esta foi a indicação do CAVALO ARREADO que adiantamos aqui, no início desta semana. Nos bastidores, um grupo de vereadores, de vários partidos, realizaram contato com a Casa Civil, o próprio Garcia (em sua última visita a Bauru, há poucos dias) e, ainda, com o porta voz da Secretaria Regional no Palácio dos Bandeirantes, Rubens Cury, para averiguar, antecipadamente, o apoio a projeto de porte para a cidade.

O último foi a Avenida Nações Norte, também em gestão do PSDB no Estado.

O QUE FALTA

Além do principal, os R$ 37,3 milhões, o projeto depende de passos paralelos. Um deles é buscar a doação pelo Governo Federal de área para o projeto do parque linear, ao longo da ãrea de ferrovia. 

Outro passo é integrar o projeto ao empreendimento de construção de moradias ao lado da Estação, como previsto no projeto original desde o governo Rodrigo e que nunca prosperou dentro da Prefeitura. São 600 apartamentos, um investimento previsto de R$ 150 milhões no Centro.  O tombamento precisa andar com este projeto. 

Ao contrário do que se discutiu, durante vários anos anteriores, reurbanizar o Centro e utilizar a região ferroviária exige investimentos elevados em macrodrenagem. A proposta apresentada na reunião envolve regenerar galerias do rio Bauru (R$ 4 milhões), desentupir e substituir drenos sob a Estação (R$ 8,2 milhões), construir a barragem da Água da Grama (R$ 1,4 milhão), interferir no leito do Rio Bauru (R$ 1 milhão) e na geometria e mudanças na Praça Machado de Mello (R$ 1,5 milhão), etc. A proposta inclui piscinão na região.  

TEMPERATURA

O último relatório que analisa temperaturas e climas no Brasil mostra que, na média, em todas as regiões o aumento foi de pelo 1,5 graus (Celsius), na maior parte das regiões. Isso aconteceu em diferentes estados. E, segundo pesquisadores, as mudanças tornam cada vez mais comum, chuvas torrenciais em curtos períodos de tempo.

Na reunião onde falou sobre as deficiências em macro e microdrenagem em toda a bacia de contribuiçáo do Centro, no sentido da Estação, o secretário de Obras, Leandro Joaquim, citou que em Bauru (como região) a média de aumento da temperatura média também atingiu o mesmo patamar (1,5 graus). Ou seja, os problemas com enxurradas violentas arrastando carros e tudo o mais, nas partes altas da Cidade, como posicionado aqui no mês passado, tendem a ser frequentes. 

COVID ÓBITOS 

Mais uma vítima fatal da Covid em Bauru. O paciente não resistiu enquanto era atendido em Unidade Municipal. O total de mortes nesta realidade soma 170 casos. Acentuam-se, entre as vítimas, idosos com comorbidades, mesmo com três doses da vacina. O sistema imunológico desta faixa etária (a partir dos 65 anos) não está conseguindo responder, de forma permanente, às variantes da Covid.

LEI DE ZONEAMENTO

Para diferentes técnicos ouvidos pelo CONTRAPONTO não faz sentido (e até pode piorar, desvirtuar a arbitragem de conflitos de vizinhança) a ideia de COMISSÃO TÉCNICA com representações da comunidade para atuar nestes casos.

Ruídos e reclamacões de incômodo serão muito mais frequentes com a lei de Liberdade Econômica. E o papel de regular e atuar, mesmo para orientar previamente e informar sobre penalidades, é do Poder Público. Ou seja, questões de natureza de uso do solo devem ser dirimidas pelos técnicos do Município. Delegar, neste caso, tende a gerar mais “incêndio” comunitário e contaminar interesses. E grupos técnicos para atuar, com diferentes técnicos de diferentes áreas, são formados dentro do Poder Público.

Tem medida que não se pode tergiversar, “fugir da raia”, da atribuição originária!

ESQUELETOS URBANOS

Obrigado pelas inúmeras contribuições de leitores para as paredes de construções inacabadas em vários pontos da região central, de anos.

Estamos preparando os novos capítulos do levantamento. PRÉDIOS FANTASMAS e NOVO ARRANHACÉU virão nos próximos dias… Aguardem!

 

 

   

 

 

 

1 comentário em “N. 289 Drenagem da área e bacia da Estação e Parque linear ao custo de R$ 37 milhões serão levados ao Estado”

  1. Na Praia Grande onde existe Ciclovia que possibilita ir e vir por toda Cidade com segurança, estão substituindo o asfalto que impermeabiliza o solo, facilitando as inundações por um melhorado paralelepípedo. As ruas ficam bonitas, pois podem ser coloridos, lisas para não afetar o trajeto e permeáveis.
    Não é necessário ir a outro país, na Baixada Santista tem muitos exemplos de sucesso para àrea urbana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima