COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N: 358 Julgamento de Suéllen começa nesta sexta-feira e processo deixa rachaduras políticas inevitáveis

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N: 358 Julgamento de Suéllen começa nesta sexta-feira e processo deixa rachaduras políticas inevitáveis para o atual mandato

 

JULGAMENTO

Não adianta desperdiçar energia com contagem ou simulações de véspera. O julgamento do mandato da prefeita Suéllen Rosim começa nesta sexta-feira, às 8 horas, no Legislativo. E seja qual for o desfecho da votação em relação às denúncias abordadas na compra de 6 dos 16 imóveis adquiridos pela Educação, no final de 2021, as trincas (algumas profundas) serão inevitáveis.

Suéllen só perde o mandato se tiver 12 votos dos 17 possíveis aprovando o relatório que indica sua cassação. E não é nada simples ter 2/3 do total da representação parlamentar. Uma conjuntura de fatores (e variáveis) interfere na decisão (individual) dos votantes.

Não há como apontar placar taxativo. O governo, claro, distribui a sensação de que contaria com 8 votos certos de seu lado. Se não faltar nenhum desses na sessão, se um líder de segmento do “topo” do comando do votante não atuar para o convencimento derradeiro, se e se as rusgas acumuladas, com alguns, não gerarem confiança na tentativa (de boca de furacão) em que se sentiu “deixado de lado”…

Isso pra ficar em algumas variáveis. A participação popular, ou em massa, de grupos, durante o processo de julgamento pesa… Mas será uma sexta-feira, com sessão longa, mesmo que não sejam lidas as mais de 1.600 páginas…

VOTAÇÃO 

O julgamento é especificamente de conduta político-administrativa. Os que entenderem que Suéllen Rosim não foi omissa, nem negligente, nas compras da Educação, votam contra o relatório da Comissão Processante. Os que tiverem o convencimento de que as compras tiveram as falhas apontadas, votam “sim”.

Se alguém faltar à votação, a decisão será dada pelo resultado dos presentes. Seja qual for o quórum presente, são necessários 12 votos para cassar mandato.

O prédio do Legislativo abre às 7 horas para preparativos finais. Quem quiser assistir na íntegra o julgamento, poderá acompanhar, ao vivo, pela TV Câmara (nos canais aberto 31.3 UHF digital e 10 pela Net), ou pela Rádio Câmara (93,9 FM). E, ainda, pelo youtube da emissora pública e site do Legislativo.

A publicidade do julgamento integral é ampla. Quem quiser assistir na galeria ou saguão interno do prédio terá de ver, na sua vez, a capacidade total de 100 lugares, com apresentação obrigatória de documento original de identificação com foto. A imprensa com credenciamento estará cobrindo a sessão.

DISCURSOS LONGOS

A Mesa da Câmara estabeleceu que a prefeita poderá falar por até 60 minutos, sem apartes (interrupções) ou reserva de tempo.

Em seguida, cada parlamentar pode discursar por até 15 minutos, também sem reserva e apartes.

A defesa da prefeita ainda tem direito a mais 2 horas para apresentação de prova oral, pelo advogado Jeferson Daniel Machado ou com algum conteúdo pela própria prefeita, neste tempo.

A votação é por ordem alfabética dos parlamentares presentes.

Serão 3 votações, para cada um dos quesitos da denúncia: omissão, negligência e falta de decoro no exercício do cargo.

RACHADURAS

 

Seja qual for o desfecho, o longo percurso em torno das apurações relativas às compras de imóveis da Educação já trouxe rachaduras políticas. E algumas de difícil remoção ou ajuste pela prefeita. O estilo bélico da prefeita Suéllen Rosim, sempre que confrontada – mesmo para conteúdos de natureza política ou de crítica à sua gestão -, gerou muitas cicatrizes.

O problema é que, mesmo com excesso de arrecadação acumulados, sucessivamente, com centenas de milhões de Reais a mais no Orçamento em mãos, a prefeita não mostrou habilidade em conduzir o processo político. Independentemente do que ela, pessoalmente, pensa a respeito de trejeitos ou perfis, inclusive de seus adversários políticos, a jovem prefeita e sem experiência em gestão pública tropeçou na ausência de planejamento e na falta de jogo de cintura para lidar com os embates próprios do meio.

Em permanecendo no comando da prefeitura, Suéllen continuará tendo dificuldades para costurar maioria para votações em que são necessários 12 votos (lei de zoneamento, concessão do lixo, por exemplo).

RESULTADO

Em resumo, tensa hoje (evidentemente) e mesmo demonstrando convicção de que não teria o total de 12 cotos contra ela necessários para deixar a função de prefeita, Suéllen Rosim também sabe que, no mínimo, está longe de ter os mesmos 12 votos necessários para aprovar mudanças estruturais que terão impacto pelos próximos 10, 20 anos…!

E, pior que isso, se não deixar o piloto automático da reação com dose vingativa (na forma de lidar com seus fiscalizadores) poderá ver mesmo projetos que exigem maioria simples (9 votos) rejeitados….

Ou seja. As trincas estão expostas! Claras! Mais do que tentar se livrar de perder o mandato, nesta sexta-feira, a jovem prefeita (e jornalista) tem de dar uma guinada em sua postura, comunicação pessoal, institucional, e na forma de interlocução com os meios e os parlamentares…

AS COMPRAS 

Comprar imóveis de afogadilho, incluindo no pacote algumas decisões absolutamente fora da realidade para o uso – como a ex-escola Damásio na Zona Sul para abrigar curso de formação de professores, em lugar com valor do metro quadrado caro e de difícil acesso para professores que não têm veículo) – o que registramos apenas como exemplificação de citação – é um dos ingredientes do estilo da prefeita:

‘Se não posso contar com você para o que quero, faço do jeito que quero”…

Em gestão pública isto é efeito bumerangue puro!

 

6 comentários em “N: 358 Julgamento de Suéllen começa nesta sexta-feira e processo deixa rachaduras políticas inevitáveis”

  1. O estilo suicida de governar, o ala “velho Lobo” não gera frutos políticos, nem pessoais e muito menos para cidade.
    A falta de traquejo, de engajamento e de postura, leva o município para uma máquina do tempo de mão única…

  2. Parece que este ano de 2022 acontecerá a mesma situação, com o aumento de arrecadação a prefeitura terá que investir mais em educação , só que estamos a três meses do final do ano e não vimos nenhuma ação na aplicação desses recursos na área da educação, será que vão comprar imóveis novamente.

  3. Torço e desejo que isso tudo se transforme em muita pizza, Suellen Rosin está fazendo um ótimo governo em nossa cidade que desde que aqui cheguei em abril de 1980, não passou um só prefeito sequer com o desempenho que ela tem apresentado. Porisso meus caros, isso é tudo politicagem e não aceitar que uma mulher, ainda jovem e de origem negra, linda e cheia de virtudes, tenha vencido as eleições em 2020, e ainda no primeiro turno direto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima