COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 360 Acordo para votar julgamento de Suéllen neste domingo está ameaçado e leitura pode avançar por mais dias

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 360 Acordo para votar julgamento de Suéllen neste domingo está ameaçado e leitura pode avançar por mais dias; sessão alcança 831 páginas, a metade do total 

 

ACORDO AMEAÇADO 

O segundo dia de leitura do processo integral referente ao julgamento da prefeita Suéllen Rosim atingiu a metade do total de páginas (1.623). Mas, apesar da leitura de 831 páginas, a possibilidade de acordo para encerrar o procedimento neste domingo está ameaçada. A sessão será retomada neste domingo, às 9 horas.

No final deste sábado, parlamentares já discutiam que não há consenso sobre entrar já na fase de discursos e votação. Assim, a hipótese de encerramento do processo neste domingo pode não ser viabilizada. Pode! Não é impossível que as conversações não avancem. Mas o que foi conversado ontem (sexta) sucumbiu.

Se assim for, a leitura das cerca de 800 páginas restantes entrará pelo domingo e seguirá no início da segunda-feira.

SESSÃO DE SEGUNDA

Se assim for, a sessão de segunda-feira seria adiada. Há previsão no Regimento Interno para esta alternativa (artigo 77). Com isso, a longa jornada de leitura, a princípio e dependendo do ritmo, pode ir até terça-feira.

Como adiantamentos, o julgamento tem de ser encerrado (com votação pelo plenário até a quinta-feira, dia 22 de setembro. Isso porque, conforme a norma federal (decreto 201/67), Comissão Processante tem de ser encerrada em até 90 dias da data inicial.

Júlio César, Sérgio Brum, Beto Móveis, MIlton Sardin e Edson Miguel, no plenário do Legislativo  (17/09/2022)

LICENÇA DE MARCOS 

A licença por 30 dias, anunciada pelo vereador Marcos Souza ontem, a partir de segunda-feira (19/09) pode tanto ser mantida como adiada. Thais Viotto, sua primeira suplente pelo PSDB, está ansiosa para exercer o mandato, ainda que por duas semanas….

Depois, por igual período, será a vez de Gilson Rodrigues. Marcos espera o encerramento do domingo para atualizar a previsão de licença do mandato.

ORAÇÃO 

Um grupo compareceu logo pela manhã à frente do Legislativo para realizar oração, em favor de Suéllen Rosim. Na galeria, os participantes compareceram com camiseta amarela. A partir do início da tarde, o local ficou praticamente vazio.

CICATRIZES

Em mais de uma conversa no sábado, entre os que acompanham a leitura do processo de julgamento de mandato, esteve presente o tema abordado pelo CONTRAPONTO ainda antes do final de semana: cicatrizes.

Ou seja, em sendo arquivado o processo em relação à prefeita, do julgamento é inevitável que fiquem cicatrizes políticas – algumas de difícil reparação.

E não se trata somente das relações, ainda que institucionais, entre Suéllen e os opositores no Legislativo. A personalidade da prefeita dificulta aproximação mesmo entre moderados.

Ou seja, não será fácil, embora necessário para a preservação ainda que de pautas mínimas coletivas, pela cidade, a acomodação política. Obter maioria para aprovação de projetos estruturais será tarefa mais dura do que o percurso trilhado até aqui.

POR 12 VOTOS 

Integrantes do grupo favorável à cassação de Suéllen continuam conversando com lideranças e interlocutores considerados essenciais na relação com parlamentares que, hoje, estão mais próximos da prefeita. E o grupo ligado à prefeita está, claro, renovando as conversações ao longo do cansativo processo de leitura e acompanhamento do caso….

 MUSEU MUNICIPAL 

A secretária Municipal de Cultura, Tatiana Sá, acompanhou parte do andamento da sessão com a prefeita, também neste sábado. Ela explicou que foi publicado edital para a retomada das obras que faltam relativas às instalações do Museu Histórico, no Centro. O edital terá sessão de abertura no dia 18 de outubro.

O processo não trata da Estação Ferroviária, cuja reforma está vinculada a estudo para proposta de concessão (vinculada a obrigação de realização também da drenagem no entorno), conforme noticiado pela prefeita Suéllen Rosim ao CONTRAPONTO.

RACHA ELEITORAL?

Não estaria muito bom o clima entre os candidatos Raul Gonçalves e Eduardo Avallone. A divisão de receitas para suportar o planejamento de despesa das campanhas parece não ter agradado.

Aliás, da lista publicada ontem, pelo CONTRAPONTO, sobre verbas do “Fundão” eleitoral para as candidaturas, Eduardo Avallone já aparece com R$ 1,085 milhão, cinco vezes mais do que o valor inicial. As atualizações vão sendo processadas à medida dos registros de dados pelos candidatos ou legendas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima