COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 376 Cientistas da Unesp Bauru usam inteligência artificial para suporte no diagnóstico de Parkinson; e mais: veja o alerta para as finanças da Prefeitura indicado no comportamento da receita do ICMS

N. 376 Cientistas da Unesp Bauru usam inteligência artificial para suporte no diagnóstico de Parkinson; e mais: veja o alerta para as finanças da Prefeitura indicado no comportamento da receita do ICMS

 

AÇÃO DO PT

O diretório Municipal do PT em Bauru informa que ingressou hoje com ação judicial para garantir transporte público gratuito para eleitores comparecerem para votar em suas unidades no domingo, no segundo turno. Atualizaremos a informação assim que obtivermos acesso ao processo.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL 

Cientistas do Laboratório de Pesquisa do Movimento Humano (Movi-Lab), do campus de Bauru da Universidade Estadual Paulista (Unesp), usaram inteligência artificial para ajudar no diagnóstico e na identificação do estágio da doença de Parkinson. A reportagem da Agência Fapesp é3 de Luciana Constantino,

Conforme a publicação, pesquisa publicada na revista Gait & Posture mostrou que algoritmos de aprendizado de máquina (machine learning ou ML, na sigla em inglês) podem auxiliar na identificação dos casos da doença por meio da análise de parâmetros espaço-temporais do andar da pessoa.

DIAGNÓSTICO DO PARKINSON

Quatro características da marcha se mostraram significativas para o diagnóstico – comprimento, velocidade, largura e consistência da largura do passo (chamada de variabilidade). Já na detecção do estágio da doença, a variabilidade da largura do passo e o tempo em que a pessoa ficou com os dois pés no chão (apoio duplo) foram os dois fatores que mais se destacaram.

Fabio Augusto Barbieri, coautor do artigo e professor do Departamento de Educação Física da Faculdade de Ciências da Unesp, explica na reportagem que “o estudo traz uma inovação se comparado à literatura científica: usamos uma base de dados maior para fazer o diagnóstico. Escolhemos a marcha como parâmetro por acreditar que o andar é um dos fatores mais comprometidos em pacientes com a doença de Parkinson e não envolve sintomas fisiológicos”.

PESQUISA EM BAURU

A pesquisa recebeu apoio da FAPESP por meio de três projetos. Dela participaram 63 pacientes do Ativa Parkinson, um programa multidisciplinar e sistematizado de atividade física para pessoas com a doença desenvolvido na Unesp de Bauru, além de outros 63 indivíduos saudáveis, todos com mais de 50 anos. Os dados foram coletados ao longo de sete anos e alimentaram o banco usado no processo de aprendizado de máquina.

A partir das informações das pessoas saudáveis, os cientistas montaram a chamada linha de base, assinalando os parâmetros esperados do desempenho do andar para a faixa etária analisada. Foram medidos largura, comprimento, duração, velocidade e cadência dos passos de cada indivíduo, além de informações como o tempo em que cada um ficou com um pé no chão e ambos os pés no chão, a variabilidade do andar e a assimetria entre os passos.

APRENDIZADO DA MÁQUINA

O grupo usou os dados para criar os dois modelos diferentes para o aprendizado da máquina – o de diagnóstico da doença e o de identificação do estágio em que ela estava nos pacientes. Nessa etapa, os pesquisadores contaram com a participação de colegas da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (Portugal).

Foram analisados cinco algoritmos – Naïve Baise (NB), Support Vector Machine (SVM), Decision Tree (DT), Random Forest (RF) e Logistic Regression (LR). O algoritmo NB alcançou uma precisão de 84,6% no diagnóstico de doença de Parkinson.

Para a identificação do estágio da doença, os algoritmos NB e RF apresentaram os maiores acertos. Em geral, as avaliações clínicas trazem uma precisão em torno de 80%. O desafio é avançar neste parâmetro.

PRÓXIMOS DESAFIOS

A doença de Parkinson provoca degeneração das células situadas em uma das regiões do cérebro responsáveis pela produção de dopamina, substância que conduz as correntes nervosas (neurotransmissores) ao corpo. A falta ou diminuição da dopamina afeta os movimentos, gerando sintomas como tremores, lentidão, rigidez muscular e desequilíbrio, além de alterações na fala e na escrita.

O diagnóstico atualmente é feito com base na história clínica do paciente e em exame neurológico, sem um teste específico. Não há dados precisos de casos, mas estima-se que entre 3% e 4% da população acima de 65 anos tenha doença de Parkinson.

Agora os pesquisadores acreditam que a técnica empregada neste trabalho possa ajudar a buscar novas compreensões sobre os mecanismos da doença e a identificar padrões de caminhada.

ALERTA DO ICMS

A longa jornada na apuração de dados sobre arrecadação no setor público ajuda na compreensão das chamadas sazonalidades. O CONTRAPONTO vem apontando, desde o início do ciclo de receitas nas alturas, em 2021, que as cidades regionais (em um primeiro momento) se beneficiam das elevadas taxas inflacionárias. Mas depois, a maré de caixa cheio acomoda.

E um dos indicadores para “medir” qual é o período de parada, ou estabilização é o ICMS. O repasse estadual faz a distribuição das fatias faturadas em comércio e serviços de acordo com os dados da atividade de cada cidade. Bauru, ainda antes da pandemia, perdeu participação.

Bom! Em setembro, apontamos aqui que a arrecadação de ICMS da fatia destinada a Bauru estagnou. A arrecadação fechou em R$ 20,98 milhões neste ano, contra R$ 20,1 milhões de setembro do ano passado.

Os dados de outubro, divulgados pela Secretaria Estadual da Fazenda, confirmam essa tendência. Apenas R$ 17,8 milhões foram repassados neste mês (cujo calendário fiscal se encerrou hoje), contra R$ 18,3 milhões de outubro de 2021. A queda nominal é de R$ 2,6%. Em valores reais a perda encosta em 10%, considerando inflação na conta.

Como o repasse da União (FPM) continua com crescimento, a média de todas as receitas continua boa. E, de outro lado, como o acumulado de superávits é extraordinário, desde 2021, a situação é bem confortável. Mas o planejamento da gestão financeira já terá de frear o ímpeto para não ter dificuldades lá na frente, em 2023… que está logo ali.

ALUGUEL DA SECRETARIA 

A Secretaria de Esportes mudou de sede, em outro prédio alugado. Deixou o imóvel na avenida Duque de Caxias e agora está na Rua Capitão Gomes Duarte, 14-60.

COORDENADORES ESPORTIVOS 

A Secretaria Municipal de Esportes (Semel) terá a incumbência de não deixar ocorrência interrupção nos programas de orientação esportiva, em várias modalidades, a partir da extinção dos cargos (hoje em comissão) de coordenadores, conforme projeto de lei enviado pelo Executivo à Câmara.

Conforme Flávio Oliveira, a administração vai realizar chamamento público para contratar Organização Social (OSC) para manter atividades. De outro lado, alguns dos cargos serão preenchidos por concurso – mas que ainda terão de ser realizados e se as vagas forem criadas em lei. O secretário disse que a proposta é de preencher as vagas de forma gradativa.

R$ 30 MILHÕES A MAIS

Quanto mais a Prefeitura demora na apresentação da proposta de equacionamento do déficit previdenciário, mais caro a solução fica para a cidade. O cálculo para adequação de cerca de R$ 323 milhões, apresentado no início do ano (como manda a lei) já está em R$ R$ 353 milhões., E vai crescer um pouco mais …

Em nova rodada com a presença de secretários municipais e dirigentes da Funprev, hoje, na reunião pública da Comissão de Fiscalização e Controle, a vereadora Estela Almagro voltou a cobrar que o único documento até agora no processo é a implaqntação da Reforma Federal – duríssima para o funcionalismo.

A prefeita disse, em entrevista, que não vai mais adotar a EC 103/2019 (a Reforma). Mas é preciso que as equipes do Jurídico e Finanças sentem com o comando da Funprev para finalizar os itens da nova proposta.

Estão no pacote, a vinculação das receitas da venda da folha de pagamento (com recorte de R$ 25 milhões na média). Este item implica em pelo menos R$ 175 milhões, pelo prazo de 35 anos (período do equacionamento).

O ajuste na taxa administrativa da Funprev, que o CONTRAPONTO revelou estar em desacordo com a nova normal federal desde julho (e a fundação omitiu a informação do público), para 1,7% significa outros R$ 8,5 milhões.

OUTRAS MEDIDAS  

A equação do acerto ainda contém garantias com vinculação de verbas não tributárias (como venda de imóveis, outorgas, etc.), definição de lotes para serem incluídos na dedução da conta e os R$ 10 milhões já anunciados pela Prefeitura, para janeiro de 2023, no sistema.  As chamadas receitas patrimoniais podem injetar R$ 3,5 milhões por ano no sistema, também sem afetar o Orçamento.

Mas tudo isso precisa ser reunido em documentos e processo para envio em consulta ao Ministério da Previdência, em Brasília. Os técnicos disseram hoje que conseguem essa finalização em 10 dias. Depois da consulta à União é que seria enviado projeto de lei ao Legislativo.

O dia do funcionalismo público é sexta-feira. Mas a agonia quanto ao equacionamento das regras atuais para o planejamento da aposentadoria ainda não está finalizado….

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top