COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 397 Conselheiros elegem comando da Funprev e lei do acordo terá de corrigir erro; Bauru perde participação no ICMS

N. 397 Conselheiros elegem comando da Funprev e lei do acordo multimilionário terá de corrigir erro; Bauru perde participação no ICMS e mais memória e homenagens ao Pelé de Bauru 

 

FRANÇOSO PRESIDENTE

A posse e eleição dos novos conselheiros da Fundação de Previdência (Funprev) não foi calma. Servidores estiveram presentes, criticaram a “dança de cadeiras” no comando, mantida em parte no atual governo e cujo revezamento acontece há vários anos. Um grupo defendeu Gilson Gimenes para Presidente. Ele esteve, nas últimas gestões, muito próximo do grupo que se reveja na fundação. Mas, nesta etapa, queria ser de novo presidente ancorado em mais de 1.500 votos entre os servidores.

Mas prevaleceu a candidatura de Davi Françoso, que teve cargos de confiança nos últimos governos e, aposentado recentemente, somou votos entre os indicados pela prefeita para ser o escolhido. Com a eleição definida, Gimenes manteve sua indicação. Mas levou apenas seu voto, contra 5 de Françoso.

O QUE FARÁ?

Davi Françoso é mais verborrágico do que os presidentes anteriores e tem experiência em funções do primeiro escalão. Restará, assim, por em prática a essência daquilo que se espera no comando do fundo do servidor: transparência nas informações e diálogo na construção de melhorias na gestão. Em nota distribuída pelo governo, o presidente eleito disse que suas prioridades são atualizar a legislação previdenciária (lei 4830) e perseguir o ajuste nas contas.

Como jornalista de formação (pela Unesp) e conhecimento em TI, tem, portanto, no currículo as condições para estimular e exercer o diálogo em torno do que é mais precioso: ajudar a gerir o fundo de milhares de servidores. A Funprev tem aplicações financeiras de R$ 462 milhões e uma folha mensal de benefícios que supera a R$ 22 milhões. Sob a gestão estão 11.052 servidores, sendo 6.966 ativos e 4.086 inativos. Números suficientes, por si, para entender por que os gestores do órgão são tão assediados pelas instituições financeiras.

CORREÇÃO DA LEI

Aliás, se a recomendação do novo comando é avançar, há necessidade de correção no texto da lei que instituiu o acordo por 35 anos para o equacionamento do déficit. No artigo que trata da taxa de administração (que o CONTRAPONTO apontou a necessidade de redução porque, desde junho de 2022, está em desacordo com norma federal da Previdência) o texto está errado. A fixação de despesa para o custeio da fundação em até 1,7% passou. Mas alguém pode ter copiado errado o texto…

A depuração da compensação previdenciária, a conclusão dos casos de prescrição (identificando valores, os processos e a explicação para as perdas), também é fundamental. A digitalização dos processos está nos planos. Será só ajustar o cronograma financeiro, diluindo dentro dos limites orçamentários novos…. E a profissionalização (permanente) dos servidores e integrantes do Comitê de Investimentos…. Desafios que se renovam.

Na foto, oficial, de divulgação, os conselheiros na primeira reunião do ano, nesta segunda. Davi Françoso é presidente e Marcos Garcia (ex-secretário de Finanças), presidente do Conselho Curador.

PELÉ DE BAURU

O levantamento de história do Edson que se tornou Pelé em Bauru, no início dos anos 50, continua gerando comentários. O professor Sebastião Clementino, por exemplo, conta que gostou da apuração do CONTRAPONTO, defende a instituição de dispositivos em memória do Rei da bola e ainda conta uma relíquia…

Sebastião cita que em 1962 foi filmado, em Bauru, a história de Pelé, no Baquinho. Ele revela, inclusive, que integrou o elenco, na ocasião. Esta película, entretanto, é pouco conhecida do grande público. “Seu texto está excelente, mas na minha opinião ficou faltando falar do primeiro filme do Pelé rodado em Bauru em 1962, filmado no Baquinho. Tive oportunidade em participar da filmagem. Quem fez o papel de Pelé, foi o jogador Feijão do juvenil do Palmeira que morreu aos 65 anos. Acho importante trazer essa história para explicar a relação de Bauru com Pelé. Acho que Bauru deve uma Estátua do Pelé com dignidade, pois já que não conseguiram manter a sua casa na 7 de setembro ou a outra casa na 15 de novembro pelo menos um memorial em sua homenagem. A cidade de Três Corações, onde Pelé nasceu, tem um busto de Pelé e Bauru onde Pelé aprendeu a jogar e também do Valdemar de Brito que foi o seu descobridor”, comenta o professor Sebastião Clementino da Silva.

Pra quem não leu o material, com muitas imagens e depoimentos, este é o link: Pelé, as histórias da infância em Bauru até a ida para o estrelato no Santos – CONTRAPONTO 

CARTÃO DO REI

Tem gente que guarda a “sete chaves” autógrafo do Rei do Futebol, outros enviaram com orgulho fotos ao lado de Pelé. Alguns tiveram o privilégio de ter camisa autografada. Nesta onda (necessária, justa, merecida) de homenagens, tomamos contato com Nilse Monteiro Vicente. Ela foi amiga do menino Edson Arantes do Nascimento quando ele iniciava o desabrochar de Pelé. (Em casa o apelido em Bauru era Dico e com a molecada Bilé…)..

Nilse tem o privilégio de ter se correspondido com Pelé durante a fama. Antes, em Bauru, consta que ela ensinou os primeiros compassos e acordes no violão a Pelé… E nesta trajetória, guardou com  carinho cartão do Rei, quando ele esteve em excursão na Costa Rica, em San Jose. A postagem é registrada em 3 de fevereiro de 1961, quando Pelé já era campeão do Mundo pela Seleção (Suécia 1958)… O endereço (da antiga vizinha e amiga) era a Rua Sete de Setembro, no Centro de Bauru…. veja as imagens:

 

Como divulgado pela imprensa do mundo todo, a despedida do corpo de Pelé se encerra nesta terça, com o velório no gramado da Vila Belmiro e sepultamento.

PERDA DE ICMS

Bauru passa a ter fatia menor do bolo da repartição da arrecadação de ICMS no Estado, neste ano. A atualização dos dados indica desidratação da economia local entre os segmentos que mais geram valor, como a indústria. Com a atualização dos dados, a projeção representa em torno de R$ 3,8 milhões a menos na repartição.

A continha, claro, poderá ser minimizada se a arrecadação continua em alta (como foi novamente em 2022), compensada com o crescimento de outros indicadores, ou setores da atividade econômica. Mas é fato que nossa fatia é menor a partir de 2023….

 

 

2 comentários em “N. 397 Conselheiros elegem comando da Funprev e lei do acordo terá de corrigir erro; Bauru perde participação no ICMS”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top