COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N.55 Suéllen define 12 nomes na equipe de transição

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 55 SUÉLLEN DEFINE 12 PARA A EQUIPE DE TRANSIÇÃO

 

TIME DA TRANSIÇÃO

A prefeita eleita Suéllen Rosin (Patriota) definiu 12 nomes para compor a equipe de transição de governo, até o final do mês. A tradição é que a maioria dos que integram esta fase de levantamento de informações participe do governo, em seguida. Mas isso não acontece com todos. Na transição de Gazzetta, por exemplo, coronel Messias teve ampla participação e fez estudo para redução de estrutura e de despesa com horas extras e cargos, mas não integrou o governo. (E pra não perder a memória: seu estudo também não foi aproveitado!).

0s 12 ESCOLHIDOS

O time de transição de Suéllen tem o ex-vereador e ex-presidente da Câmara, Luiz Carlos Valle (candidato a prefeito pelo Podemos), sua vice na chapa na última eleição, Gislaine Magrini, o vice-prefeito Orlando Costa Dias, a diretora da Sebes Ana Sales, o engenheiro Marcos Saraiva, o professor da Unesp Nilson Girardello, o ex-presidente do Conselho do Município, Raeder Poliese e o ex-presidente da Unimed, Guilherme Pupo.

Entre os nomes também estão Gustavo Bugalho (advogado), Marcos Amorim, Glauber Woida (de Lençóis Paulista) e Kaio Ruiz (ex-cargo de confiança de Gazzetta na Semma via PDT, na época). Os nomes menos conhecidos do nosso meio serão pesquisados para menções na sequência…

PAPEL DA TRANSIÇÃO

A lista traz indicações que confirmam sondagens em relação a aproximações e naturais composições com o governo da prefeita eleita, desde já. A convergência de perfil conservador, de Valle, se confirma. Comentários do bastidor são de que Valle (pela experiência política) foi citado como alguém interessante para o Gabinete (onde a prefeita terá de resolver o fato de ser novata no meio). Mas o engenheiro teria preferência pelo DAE (onde a existência de recursos para abastecimento e esgoto são vitrines para melhor projeção em projeto político futuro…)

A questão é ter claro que EQUIPE DE TRANSIÇÃO é um grupo técnico, com capacidade de levantamento, diagnóstico, sobre estruturas e ações de governo.

Guilherme Pupo foi convidado pelo médico Orlando para ajudar no levantamento das ações e programas na Saúde. Como já geriu a Unimed, Pupo (respeitado no meio profissional) poderá colaborar com diagnóstico técnico e mais profundo. Mas Pupo pode não ficar na gestão, por falta de tempo. Seu consultório é disputadíssimo…

A mesma profundidade (conhecimento do meio e das ações no setor) Suéllen terá, por exemplo, de Ana Sales (profissional da Sebes). (A assistência social tem problemas na gestão atual. Carlos Fernandes não tem perfil de gestor).

Outros membros da equipe de transição trazem, apesar do pouco tempo de levantamento e apontamento de dados, bagagem profissional em suas áreas, como o professor universitário Girardello e o engenheiro Marcos Saraiva, por exemplo. Alguns dos indicados vêm da relação do grupo da prefeita eleita com o segmento religioso que ela participa, natural na formação de parte de sua equipe.

A presença de Kaio Ruiz destoa. O jovem alçou cargo na gestão Gazzetta por apadrinhamento e, na eleição de agora, ‘tocava’ Raul! Pode ser que o nome indique tentativa de aproximação entre a prefeita e Manoel Losilla, vereador reeleito que tem o apoio do grupo Mandaliti (a quem Kaio serviu na pré-campanha). Em tempo: Losilla disse que não indicou nomes e não tem ligação com Ruiz. Que a equipe, em si, tenha condições de cumprir seu papel, nesse curtíssimo espaço de tempo… Aguardemos!

ENTENDER O MEIO

A vivência no meio público traz experiências que, se bem aproveitadas, se transformam em bagagem para voos futuros (daqueles que se colocam à disposição para atuar em governos) ou ajudam, e muito, na sequência da carreira profissional. Há inúmeros exemplos para citar. Um recente? O engenheiro Ricardo Olivatto, veio da iniciativa privada (onde atuou em grandes obras) para manejar as engrenagens “duras” da máquina pública. Saiu com “baita” aprendizado e retornou ao setor privado melhor do que entrou!

Mas nem sempre é assim. Alguns bons técnicos que experimentaram o setor público não conseguiram perceber que falta de jogo de cintura e de compreensão comportamental em torno das reações do funcionalismo fazem muita diferença.

Se sair dando patada, gritos, surtos, se queima rápido e vira presa fácil. A “engrenagem”, além de malandros (que existem em todos os setores, públicos ou privados), tem o nada sutil adicional de que boicotes operacionais e funcionais não só atrapalham a vida da gestão, como geram cascas de banana que muitos, de fora, não conseguem avistar…

E teve quem mordesse a isca de tal modo (em rio raso) que saiu texto com discurso na rede social…. Eita! Pessoa que morde a linha e o carretel com chumbada e tudo…. ! Sai na chuva e não sabe se molhar… !

SONDAGENS

Ah… ! Não podemos esquecer. Mesmo a coluna tendo advertido que sondagens são citações, aqui e acolá, de nomes que foram discutidos, avaliados (e não necessariamente serão escolhidos ou convidados para algum posto no governo), não faltaram “sabichões” tanto para fazer patrulha imatura contra nomes quanto para tentar exorcizar profissionais…. Gente! O ser humano é maldoso… mas por vezes nos mostra inigualável capacidade de superação na mandraquice… (sic!).

Sondagens, antes de mais nada, deveriam ser recebidas como homenagem ao citado. Significa, a princípio, que o nome “aventado” em uma natural conversação sobre perfis goza de algum respeito entre vários… Eita povo dedicado a “maldição” sem causa… . (rs)… Relaxem!

OS MOTES

Já dissemos aqui (e vamos repetir). A sociedade vai cobrar da prefeita eleita que a equipe a ser escolhida por ela seja competente, séria, com capacidade técnica e (claro, tomara) alguma aptidão emocional para lidar com pressões e o jogo político.

Isso porque o mote de Suéllen foi “a nova política”, “não fazer conchavos”… etc. etc… discurso que Bolsonaro também usou para se eleger em Brasília mas, agora, já sabemos que abandonou para abraçar o Centrão (cheio de caciques corruptos da velha política) para sobreviver em seu mandato…

Ok!

OBSTÁCULO ESSENCIAL

Mas há, além da necessidade de formação de grupo pela prefeita eleita, o obstáculo profissional de origem: o salário incompatível pago a um secretário de uma cidade de quase 400 mil habitantes. Um secretário (a) da Educação, vai responder pela maior equipe de professores e técnicos do Centro do Estado, a maior folha de pagamento , o maior contrato de transporte escolar, a maior compra de materiais escolares, a maior aquisição de alimentação para crianças… etc…. e receber em seu holerite (líquido) menos de R$ 8.000,00!

Olha! De forma técnica, pensando em modelo gerencial e de política executiva, é uma tarefa difícil encontrar nomes que aceitem o tamanho do desafio com essa remuneração! E o tema é tratado com hipocrisia, de forma rasa e no “encosto” da pobreza social! Assim não dá para discutir evolução em gestão com seriedade, concordam?

E pior! O achatamento da remuneração de secretários gera outro problema estrutural: ataca diretamente a evolução das carreiras dos especialistas de governo! Me perdoem, mas para cobrar resultados e perfis é preciso enfrentar a remuneração que se pratica em Bauru!

SONDAGENS

Hoje circulou o nome do engenheiro aposentado pela Sabesp, João Carlos Herrera, como discutido para função técnica. Ele implantou o sistema de gestão e governança na Sabesp, com êxito! Entende ( e bastante) do setor. É conselheiro do DAE e de perfil conciliador, sereno.

Jair Vella (contador) está entre as sondagens para a Cohab. Magrini, vice do Valle, citada para Sedecon (onde há interesse pela indicação por integrante do grupo de Suéllen), Bugalho para o  Jurídico, Saraiva em Obras…. e Girardello na Seplan…

Se forem essas as escolhas, estão coerentes com os currículos … Aguardemos…

IMPOSTO DE RENDA

Gente de nossa terra Sem Limites, bauruenses, por que nosso recolhimento no final do ano para fundos, como da Criança e Adolescente, de recursos que já vão ser de fato pagos para o Imposto de Renda em 2021, não são depositados, por antecipação, para que a verba fique aqui, seja utilizada na cidade?  Ainda dá tempo! É até o final do ano! Contate seu contador e recolha parte do que terá de pagar para o IR….

R$ 6 milhões

A Prefeitura não tem verba para resolver, em definitivo, o problema da erosão no Pinheirinho. Mas tem um terreno na região que, por obra do destino imobiliário, tornou-se boa opção para a instalação de projeto habitacional.

O Secretário de Obras, Sidnei Rodrigues, defende a venda desse lote para gerar o recurso que falta para conter a erosão, na mesma área de influência. Melhor! O edital de “venda” pode exigir o projeto executivo e a instalação da canalização, de mais de 1.100 metros, até o Córrego da Grama, com as obras complementares.

Se sobrar verba disso, entra para o caixa. Mas agiliza, resolve o problema dos moradores e gera mais uma frente de empregos e investimentos via construção civil naquela região…

O que acham? ….

TARIFA DO LIXO

Decisão de longo prazo para questão estrutural na cidade exige calma, serenidade, seriedade, transparência, diálogo social amplo e explicações detalhadas.. TUDO O QUE O PREFEITO GAZZETTA não fez na concessão do lixo, cuja consulta pública está em andamento.

Sobre a tabela com valores para cobrar do povo pela “inovação” no destino final do lixo, a Prefeitura (me perdoe a dureza) não tem NENHUMA MORAL para querer criar qualquer cobrança! As gestões Rodrigo e Gazzetta cobram do bauruense pelo tratamento de esgoto e não fizeram a obra!

E não há espaço contributivo para o povo pagar mais nada! A sociedade está sendo achacada pela incompetência do Poder Público (em todos os níveis) todos os dias!

No mérito: a questão não é indicar TABELA com valor da tarifa do lixo, mas explicar como se chegou a esses valores baseado no consumo de água. O fato da lei federal facilitar essa forma de cobrança (por pedido do setor privado aceito pelo Congresso para abocanhar o espaço na área de saneamento) não quer dizer que o método seja justo e regular! O cidadão tem o direito de saber qual a lógica entre o que ele consome de água e a quantidade de lixo que ele produz, tecnicamente…

E, não se esqueçam: Gazzetta disse que o CUSTO DO PROJETO DO LIXO SERIA DE GRAÇA (não é verdade). E disse que a nova cobrança ia ser deduzida do IPTU! Mostre como, o modelo! (?)… A obrigação de explicar vai ficar pra Suéllen. (Assim como os R$ 4 milhões do caríssimo estudo que Gazzetta assinou, no contrato).

FIO DA MEADA

Hoje, em importante reunião técnica, de depuração, um especialista nos indagou se o fio da meada seria utilizar Brasília para “despistar” …. quando o mar revolto pode indicar outros caminhos… Navegantes…. !

Não se incomodem com a charada… esta é uma modalidade utilizada para coluna de bastidor… Vamos depurar o embarque nessa história!

 

 

13 comentários em “N.55 Suéllen define 12 nomes na equipe de transição”

  1. Talvez, mas só talvez, a repercussão dada aos nomes “sondados” possa ter dado uma amostra grátis do que a sociedade espera da Prefeita eleita.
    O descontentamento de nomes já consolidados na pouca eficácia ou nenhuma, possa ter ajudado sic…
    Nomes como o do ex-presidente do Conselho municipal (única função travar o município), nos dá a amostra grátis do que está por vir… Oremos!

  2. Nelson, discordo em parte da matéria acho que um cientista político como o jovem Kaio ruiz que você citou tem muito a colaborar independente de política, jovens são bem vindos assim como a prefeita, abraço.

    1. Ola Yago. Obrigado por sua contribuição. De fato, currículo jovem é bom, mas desde que a porta de entrada não seja velha: por indicação política para acomodação, como foi o caso do Kaio na Semma. Abc!

      1. Nelson, permita que eu discorde novamente, não sei se você tem algum problema pessoal com o Kaio, pois a critica que você fez, foi só voltada a ele, ou se é por ele ser jovem, por que indicações políticas foram todos os nomes, ou existe indicação técnica em cargo de confianca? Não creio ! A critica voltada só a uma pessoa não é do seu feitio, pois seu blog sempre foi imparcial e espero que continue sendo… Não existe ao meu ver INDICAÇÃO TÉCNICA ( EXCETO SE FOR FUNCIONÁRIO DE CARREIRA) e pra isso serve o concurso, alias você citou a formação acadêmica de todos seria legal que acrescentasse na matéria a formação do jovem, acho inoportuna também a colocação de aumento de salários com um país em crise, aquele abraço.

  3. DOUGLAS APARECIDO CIRILO

    Nelson, a discussão sobre a remuneração dos secretários é muito importante. A discussão não é simples, na média, as pessoas não estão preparadas para reconhecer e gratificar corretamente os bons profissionais. Fica ainda mais difícil quando saímos de uma gestão desastrosa, aí a avaliação é de que R$ 8 mil seja muito. Se isso não mudar, os prefeitos vão continuar com opções reduzidas. É preciso coragem para propor esse debate na Câmara. Abraços.

  4. Bom dia
    Primeiro quero dar os parabéns pela reportagem.
    Infelizmente os veriadores dê bauru vive no país dás maravilhas e nem sabe o que o gazeta anda aprontando

  5. Parabéns pelas análise da equipe de transição, gostaria que o jornalista Nelson , desse um ênfase na matéria da DOACAO , imposto de renda, muito importante para cidade, matéria específica e grande repercussão…. SUCESSO

  6. Satisfeito com os nomes de transição.
    Novidade pra mim essa remuneração de secretários. Eu não abraçaria a missão por menos de 10k líquidos.
    Sucesso a todos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima