COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 56 Bauru agora terá duas arenas esportivas de porte?

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 55 BAURU AGORA TERÁ 2 ARENAS ESPORTIVAS DE PORTE NOVAS?

ARENA PÚBLICA 

Bauru vai ter, conforme a administração municipal, uma arena esportiva de porte própria, através de recursos a serem repassados pelo governo federal. Este foi o anúncio do convênio foi realizado pelo prefeito Clodoaldo Gazzetta.

O projeto do ginásio foi elaborado em 2014 pelo arquiteto Cláudio Ricci, após concurso promovido pela Assenag e a empresa Paschoalotto, sendo apresentado como a nova Arena Bauru. A construção exige R$ 15 milhões, que segundo a prefeitura está sendo formalizado através de convênio com o Governo Federal. O então vereador Roger Barude foi entusiasta deste projeto, desde a origem.

O ginásio será construído em um terreno de 119.285,25 m², na região da Avenida Nações Unidas Norte, e incluirá área para estacionamento ao público com aproximadamente 5 mil vagas, além de um local para bicicletário e ciclovia de acesso. A Arena terá capacidade para 7 mil pessoas, segundo a administração. (veja fotos oficiais divulgadas).

E segue a construção do Ginásio do Sesi, com capacidade para 5 mil lugares, nas proximidades do Horto Florestal. De cidade de porte médio com alguns poucos ginásios esportivos públicos decentes (em quantidade muito inferior à demanda nos bairros), Bauru passará a ter duas Arenas de porte, sem contar a Panela de Pressão (cuja manutenção requer investimentos).

 

TELEMETRIA NO RIO BAURU

Outra boa notícia do dia foi que a cidade poderá contar com a ferramenta da telemetria para o rio Bauru, na bacia. O sistema de telemetria hidrométrica permite o controle e contingenciamento de cheias.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de Bauru, Marcelo Rial, o software permite que, toda vez que houver uma chuva muito forte, com risco de transbordamento, a AES Tietê será acionada para providenciar o esvaziamento da calha do Rio Tietê, na usina hidrelétrica em Bariri e este esvaziamento diminui a possibilidade de cheias na cidade de Bauru.

CONTAS DO GAZZETTA

Se o prefeito cessante, Clodoaldo Gazzetta, for realizar alguma prestação de contas relativo a 2020, terá, como obrigação, listar os esqueletos que vão ficar no armário para a eleita Suéllen Rosin e que foram criados por ele.

Da crise da pandemia, já se sabe, até aqui, que pelo menos uns R$ 12 milhões vão ficar (de previdência do servidor) a ser paga pela eleita. E já a partir de fevereiro. Mas tem de listar dois esqueletos em avançada decomposição (sic)…

Tem mais R$ 4 milhões pelo caro (e capenga) estudo assinado no contrato leonino do prefeito com a Caixa, que impôs, via governo federal, que se não concluir o projeto de concessão do lixo (apenas para o destino final e transbordo), tem de pagar (reembolsar) o fundo nacional. Um absurdo (vale lembrar) que Gazzetta disse que seria de graça.

Aliás, eis um contrato que merece lupa da Promotoria. Afinal, pode o governo federal executar um contrato com uma cláusula abusiva desta? Eu pago o estudo para a cidade, mas se você não fizer a concessão tem de me reembolsar?

VENDA DA FOLHA

Outro esqueleto está no Judiciário. Finalmente, após um ano de demora, a Funprev ingressou com ação judicial para cobrar o equivalente a R$ 2 milhões (isso sem correção) que reclama ter ficado com a Prefeitura relativo ao pagamento pelo Bradesco pela venda da folha, em 2019.

O governo recebeu a bolada de mais de R$ 55 milhões, no total. O valor extraordinário, em final de ano,m foi “engolido” pelo aumento de despesas no governo, quase em sua totalidade. Mas deu pra comprar 10 caminhões de lixo para a Emdurb. Já os 10 parques lineares anunciados, e outras obras, não saíram.

Se a Funprev estiver correta, a administração terá de devolver o que reteve (ilegalmente segundo a fundação). A grana é do fundo do servidor. Existem, aliás, outros esqueletos judiciais (do passado) e também gerados ao longo da gestão Gazzetta.

Por essas e outras é que, toda vez que se fala em “equilíbrio nas contas municipais” o CONTRAPONTO insere o “depende do ponto de vista”. Gazzetta parcelou precatórios que tinham de ter sido pagos em seu governo. Mas os prefeitos, como ele, costumam justificar que sempre alguém deixa umas continhas para o outro…

PRORROGAÇÃO 

Por falar em Funprev, a presidência prorrogou a contratação da votação eletrônica. Não deu quórum mínimo de 50% para eleição dos conselheiros.

É bom recordar que a justificativa para contratar a empresa foi de que, com a pandemia, o voto online era necessário para atingir o quórum. E não deu!

Tem servidor reclamando que o regulamento apontaria que seria necessário chamar novas eleições…. Vamos aguardar.

DOSSIÊ

Por sinal, vem de três grupos diferentes da administração municipal a informação de que a assessoria direta de Suéllen Rosim já recebeu apontamentos com farta documentação sobre servidores que vivem a espreita de uma oportunidade no “alto escalão”, desde o governo Rodrigo. É a turminha que faz cara de bom, apresenta boa retórica de “projetos” a serem executados, mas não aponta as confusões que deixou pelo caminho, nem explica porque não conseguiu realizar…

Que o levantamento foi encaminhado, com nomes, documentos, um raio X dirigido, foi! Se a prefeita eleita vai observar, é outra questão…

SAIU FAÍSCA… ?

A passagem da equipe de transição pela Secretaria de Finanças foi tranquila. Éverson Demarchi mostrou os números, apontou os principais compromissos em andamento e as projeções para o início do ano.

Mas, da rádio peão, vem a indicação de que o ambiente não foi tão amistoso assim na reunião da equipe da prefeita eleita com integrantes da Secretaria de Obras…

VERBA COVID

O governo federal prorrogou por mais 12 meses o uso das transferências de recursos específicos para o coronavírus, pelos estados e municípios.

Isso significa que pelo menos o saldo existente poderá ser utilizado para despesas em Saúde e Assistência Social pela equipe da prefeita eleita. Ufa! Porque iniciar com o caixa vazio, temporada de chuvarada, risco de epidemia de dengue e retomada do crescimento de transmissão Covid já é difícil…

NOVIDADES NO CONTRAPONTO

O site Contraponto vai trazer mais informação pra vocês a partir deste domingo, com voletins diários elaborados por quem entende (e muito) de mercado financeiro e indicadores de economia!

Uma coluna especializada, diária, para que você tenha informações também sobre finanças… aqui!

Estreia no domingo! Contamos mais daqui a pouco… 

AÇÕES JUDICIAIS

O Jurídico da Prefeitura contestou a fundo as duas ações da COM Engenharia, que quer receber o total equivalente a R$ 1,7 milhões por atrasos em pagamentos na obra da ETE do Distrito.

Ocorre que, conforme a contestação, a própria empreiteira concorreu para atrasos, tanto com ações relacionadas a conteúdos (projeto) quanto na linha do “protelatório”….

A COM considera que a falta de projetos, pela Prefeitura, é que gerou os atrasos. Mas o Jurídico aponta, minuciosamente, que a empreiteira é que tentou se valer do “enrola e estica”…. e que, por isso, não pode querer receber em razão dessas circunstâncias, contesta a administração.

As ações estão na Vara da Fazenda Pública em Bauru.

 

 

 

 

 

 

 

5 comentários em “N. 56 Bauru agora terá duas arenas esportivas de porte?”

  1. Parece que a transição mais curta da história começa a escrever capítulos próprios e inéditos com enredos antigos sic…
    Bauru carece de transparência e o jargão da prefeita eleita deve ser usado sem moderação.

  2. Sobre a prorrogação da verba repassada pelo Governo Federal para o enfrentamento da Covid-19 com reprogramação para o ano de 2021, observei que existe o projeto de Lei nº 4078/2020 aprovado pelo Senado e encaminhado a Câmara dos Deputados, que por sinal está parado desde outubro. Se essa informação é oficial, poderia apontar a legislação?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima