COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 80 Pico 2 da Covid faz Estado por mais 6 UTIs no HE e outras 10 enfermarias no HC

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 80 ESTADO INDICA MAIS 6 UTIS NO HE E 10 ENFERMARIAS NO HC PARA NOVO PICO COVID

 

UTIs PARA COVID

O pico 2 da Covid é realidade! Os dados, a realidade, as famílias que precisam de atendimento, confirmam. Infelizmente, um segundo ciclo da tragédia, desta vez anunciada e, em boa dose, culpa dos cidadãos que usaram da ignorância e abusaram da sorte, nas festas.

Bom! O governo do Estado já sabe disso e não terá outra saída a não ser voltar a destinar 56 leitos UTI (dos mesmos 180 leitos existentes lá) só para caso grave Covid. Da mesma forma, a Secretaria de Saúde Estadual já negocia que o HC (provisório faz tempo) passe a ter 30 leitos de enfermaria (10 a mais que a estrutura de hoje) para atender casos leves da doença.

De outro lado, como o pico está em escalada no Interior, em várias regiões, a também DRS-6 trabalha para que a Famesp volte a destinar 60 outros leitos para enfermaria Covid (hoje são 48 para casos leves) no Hospital Estadual.

VAGAS NA REGIÃO

Esta semana a Diretoria Regional de Saúde discutiu a realocação de estruturas hospitalares em toda a região. Em Bauru, a reunião entre Doroti Conceição e Suéllen Rosim foi presencial. A prefeita, e o secretário de Saúde, Orlando Costa Dias, focaram a demanda em ampliação de leitos Covid e para OUTRAS DOENÇAS. 

Já o Estado sempre quis (e continua assim querendo) que o Município assuma serviços de média complexidade hospitalar. Na região, Jaú informaou à DRS-6 que contratou leitos particulares pra Covid e Botucatu tem contrato pronto. A Secretaria Estadual de Saúde está, de forma diagonal, digamos, pontuando que a Prefeitura de Bauru tem verba Covid no caixa e também tem de contratar leitos particulares…. (Antes que a Unimed e Beneficência ou Hapvida não tenham condições de prestar o serviço também por lotação… contou um interlocutor prestigiado no meio da gestão hospitalar local).

RADIOTERAPIA    

A prefeitura Suéllen não foi a São Paulo na quarta (13/01) para falar da necessidade da manutenção de serviços de radioterapia em Bauru. Mas diante da informação de que o convênio entre DRS-6 e o Centro de Radioterapia de São Carlos, Regional Bauru, vence em 25 de fevereiro próximo, ela inseriu o assunto na pauta.

O Estado informou que está discutindo a manutenção dos serviços para atendimento de pacientes de câncer para tratamento de curta e média duração em Bauru. Enquanto isso, os casos de longa duração já têm atendimento pelo Amaral Carvalho, em Jaú.

Não se trata apenas da lógica de que Bauru é cidade sede regional, mas de que não faz sentido técnico e nem de saúde que pacientes da maior população regional concentrada é que se desloque para outra cidade…

LÓGICA COVID

A secretária de Educação, Maria do Carmo Kobayashi, continua se desdobrando em busca de solução operacional, pedagógica, de saúde e de recursos humanos para o calendário educacional de 2021. Nesta quarta, ela teve nova reunião, com vereadores e técnicos do Comitê Covid.

Entre muitos desafios, a secretária ainda não declarou, mas é fato que existem unidades que não vão preencher o protocolo necessário (de biossegurança). Bom! Os boletins Covid mostram, claramente, que a escalada está em curso. Isto é fato, infelizmente.

ALTERNATIVA (?)

Como e qual será a engenharia para iniciar o ano letivo presencial (ainda que com escalas) com pico nos casos de transmissão não se sabe. O Estado diz que vai abrir (ensino médio).

O que a Educação local já definiu é que crianças com até dois anos não terão atividades na escola, ou berçários… Aguardemos… Pra quem quiser: detalhes da reunião de hoje, na matéria de Vinicius Lousada.

REUNIÃO EM SP

Através da imprensa oficial, a prefeita Suéllen informa que a reunião na Capital teve como tema central a volta às aulas. Mas Suéllen também aproveitou para levar ao Estado a situação da saúde na região de Bauru. Na foto, a prefeita de Bauru com o vice-governador Rodrigo Garcia.

A prefeita reiterou o pedido de aumento de leitos para atendimento de OUTRAS DOENÇAS. O governo do Estado já tinha protocolizado (na execução da ação exatamente por causa da defasagem de leitos na Justiça Estadual) a instalação de 10 leitos no Base. Mas a medida não avançou. E, como se sabe, o MP pediu e o Judiciário decretou o bloqueio de recursos.

Aliás, essa verba está em depósito judicial e, vale lembrar, pode ser acionada exatamente para atendimento de pacientes graves. Para tanto, o interessado (família) tem de exigir o atendimento imediato em leito hospitalar para o caso da Central de Vagas não efetuar o registro do leito.

CORTES DE ÁGUA

Trabalhamos em dobro hoje em uma mesma pauta. Durante 3 horas, cobrimos de forma online a reunião pública da presidência do DAE, realizada pela Câmara, para apresentação do plano de abastecimento prioritário para 2021.

Na hora do almoço, a presidência Flávia Souza já havia declarado, ao vivo, que o DAE estava retomando os cortes de água por inadimplência. A isenção tarifária para vulneráveis, em função da Covid, já caiu em 30 de dezembro.

Mas ambas as medidas são de forte impacto junto à população mais carente. Sem emprego e sem auxílio emergencial (também vencido vem dezembro), esses bauruenses certamente estariam (ou já estão) na lista de não pagadores. E falta de água em situação de pandemia é fora do razoável.

JORNALISMO ELETRÔNICO

Esta é uma das maravilhas do jornalismo eletrônico. Além da interatividade imediata, direta, com o leitor pelas redes sociais, em diferentes plataformas, a junção e a diversificação de conteúdos em texto, imagem, áudio, vídeo, vêm acompanhada da agilidade como ferramenta diária.

Publicamos as declarações da presidência do DAE logo no início da tarde. Disparamos pelas redes. No início da noite, quando voltava de SP de carro, a prefeita conversou, pelo telefone, com a presidente do DAE, Flávia Souza. E fomos acionados com a informação pela assessoria de imprensa de que foi tomada a decisão de prorrogar a realização de cortes de abastecimento de devedores pelo DAE e, também, mantida as isenções de tarifa social e especial (entidades) por mais dois meses.

Medida sensata.

BASTIDOR

Vamos contar mais essa… Duas ou três “mentes criativas” chegaram a especular que a decisão da prefeita era “marketing preparado”. Nos pareceu, do fato, que a novata presidente do DAE é que foi para a reunião pública preparada apenas para o trivial (anunciar a instalação de 3 necessários poços e 3 reservatórios – cujo planejamento de gestão e financeiro já eram conhecidos desde setembro de 2020.. Aliás, demos no CONTRAPONTO O PLANO 2021-2024 completo!).

Flávia de Souza parece não ter dimensionado que informar a retomada de cortes em plena entrada de segundo pico Covid era medida drástica. Da mesma forma, foi subdimensionado (ou não foi avaliado) o fator realidade-sensibilidade para se voltar a cobrar tarifa social cheia agora. Mesmo porque o número de beneficiários que cumpre os requisitos da lei é reduzido.

Ou seja: foi falta de “leitura de cenário” político, sanitário e social. E, gente! Sem melindre: o governo recém iniciado viu o desajuste depois da repercussão… e recuou. Sigamos!

SEM ESTOQUE

Se você não leu, ainda na entrada da noite, a matéria foi atualizada. Claro! E nela a informação, prestada pelo DAE, de que não há estoque de cimento e tubos para atacar mais de 3.300 vazamentos registrados, neste momento. Veja o texto completo em DAE NÃO TEM TUBOS PARA CONTER VAZAMENTOS.

BATALHA DAS ÁGUAS

A reunião pública sobre abastecimento de água em Bauru trouxe pontuações interessantes. A ideia de que reservatórios estejam ao lado de poços profundos, por exemplo, é uma citação lógica.

Contudo, entretanto, por conseguinte… data venia (como dizem os operadores de Direito)…. estabelecer que o Plano Diretor de Água (PDA) – lei municipal aprovada em 2019 – erra ao prever nova captação para o Batalha e que a saída é não utilizar a captação atual e abastecer tudo com poços…. é algo que merece muito além de opinião… Mas tudo bem! Pelo amor ao debate, ao dialogo público, temos uma sugestão prática:

Olha! Que tragam o especialista Di Bernardo, da Hidrosan, que assina o estudo do Plano Diretor de Água de Bauru, de 2013, para debater soluções consistentes neste tema. Faz sentido?

POÇO PRAÇA PORTUGAL

A reunião teve duas intervenções técnicas relevantes. Uma chamando atenção de que água subterrânea não é água confinada… bem abaixo de “nós”, no aquífero. A “esponja” que abastece 38% da cidade precisa de cuidados.

Mas outra indagação trouxe uma questão interessante (que não foi respondida pelos técnicos do DAE). Qual as condições (informações) do estudo para a perfuração de Poço na Praça Portugal, considerando altitude, custo-benefício com profundidade da bomba, consumo de energia e influência, ou não, de contaminação… etc. etc… Aguardamos a resposta através da assessoria de imprensa do DAE.

APLICAÇÃO FINANCEIRA

A Fundação de Previdência de Bauru (Funprev) informa que 2020 fechou com rentabilidade de 4,65%. O índice é bem abaixo da meta fixada pela União para o ano (10,64%). 5,86% de meta mais IPCA.

Mas o resultado é razoável, levando-se em conta a montanha russa surreal vivida pelo mercado mundial diante do ano da pandemia. No primeiro semestre, as aplicações amargaram desvalorização significativa nos papéis.

Mas as mexidas na carteira e a melhora no cenário levaram a restabelecer o “valor” dos papéis. A carteira tem mais de R$ 564 milhões aplicados, de 2020.

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima