Prefeita aposta em Plano de Limpeza e compra de maquinários para reverter imagem do governo

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Aumentar as equipes próprias e equipamentos manuais na zeladoria é uma das ações do plano da prefeita
Comprar máquinas com parte do superávit de 2021 no caixa é destaque na ação de governo em elaboração

A prefeita Suéllen Rosim quer tirar do discurso aquilo que elegeu como prioridade logo no início de seu governo: Zeladoria. Envolvida na turbulência (esperada) do aumento da temperatura das reclamações exatamente no epicentro da temporada de chuvas (onde crateras de buracos por vazamentos de água e pedaços de asfalto se multiplicam tanto quanto sujeira e mato alto, em todos os cantos da cidade), a prefeita prepara a efetivação de Plano de compra de equipamentos para a Secretaria das Administrações Regionais (Sear) multiplicar o fôlego (hoje muito limitado) para as frentes de trabalho.

E não se trata de ações como a destinação de parte do leilão da possível venda da gleba de 550 mil metros quadrados (avaliada na origem em R$ 35 milhões), conforme projeto de lei aprovado nesta segunda-feira, em sessão. A prefeita não quer esperar esta medida. Até porque, há visível esgotamento da paciência do bauruense a espera de ações, nas ruas, e em volume diretamente proporcional ao aumento de pedidos por reparos, tapa buracos, limpeza e limpeza!

Chuvas em abundância significam pausa nas reclamações por falta de água pelo menos nos bairros abastecidos pelo rio Batalha (35% da cidade). Mas as águas trazem, junto, aumento exponencial por serviços de reparo. Não há uma rua inteira de algum bairro que não tenha mais de um buraco.

Ah! Se o leilão do terreno atrás da Quinta da Bela Olinda sair, a prefeita já escreveu, na lei, que vai usar parte para compra de maquinários. Mas apuramos que a medida em elaboração é bem mais ampla. O governo municipal prepara investir mais de R$ 10 milhões especificamente na Sear. Por exemplo. Máquinas roçadeiras, manuais e mecânicas, além de equipamentos leves (de uso de serviço) e médios e mais robustos estão na lista.

E a prefeita tem caixa pra isso! O superávit de receita em 2021 foi de R$ 113 milhões. Mesmo retirando os 25% obrigatórios à Educação e 15% à Saúde, além de uma quantia para a reposição salarial de 10,06%, há reserva no caixa. Experiência de outras gestões: e se não fizer, não investir já, o saldo se esvai no sumidouro da máquina pública…  Conta é o que não falta! ….

PLANEJAR E FAZER

Tão difícil como comprar é manter. Por isso, o governo tem preocupação que a vida útil dos equipamentos tenha condições de manutenção. No governo Gazzetta, por exemplo, a Sear adquiriu dezenas de equipamentos para roçada e capinação. Há, em cantos de áreas públicas e barracões e prédios, em mais de um “depósito” improvisado, inúmeros desses itens sem uso! Falta manutenção, recuperação, conserto. E falta gente, operadores, trabalhadores habilitados para tocar novas frentes de trabalho.

A pandemia, é verdade, congelou novas contratações. Por lei federal. Mas a reabertura dessas possibilidades de despesa vieram, coincidentemente ou não, no momento em que a prefeita Suéllen Rosim está ouvindo, aos montes, pedidos exaustivos na direção da já conhecida necessidade de resposta prática, direta, na direção da Zeladoria.

Outras frentes estão andando. Uma comitiva (de vereadores e integrantes do governo) vai bater às portas do Palácio dos Bandeirantes, nos próximos dias. O governo João Doria (PSDB), esperto no sentido do preparo das ações em ano de urnas – 2022 – está com o caixa cheio. O excesso de arrecadação veio com o planejado plano de anúncio de investimentos.

A tática inclui, é verdade, o “beija mão”. Prefeitos e vereadores que se “derem ao luxo” de comparecer à Capital podem ter atendidos até 5 equipamentos (frota). E Bauru estará lá, de comitiva e tudo, com MDB, PSDB e outros mais próximos ao governo estadual. Caminhões, motoniveladoras e outros itens já estão na lista.

Mas, reforçamos, o plano de contratações de insumos, mão de obra (ampliação de frentes de serviços) e máquinas está quase pronto! É a aposta de Suéllen para sair da tempestade de cobranças para, quem sabe, entrar na fase do governo de atendimento de demandas. E elas são muitas!

Nosso pitaco? Que o plano tenha êxito! A custo justo e gestão adequada.

1 comentário em “Prefeita aposta em Plano de Limpeza e compra de maquinários para reverter imagem do governo”

  1. “Chuvas em abundância significam pausa nas reclamações por falta de água pelo menos nos bairros abastecidos pelo rio Batalha”
    Todos os dias, sem exceção, aqui na Vl. Aeroporto não temos água da rede durante no dia. “TODOS OS DIAS”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima