Regras Covid, empregos, DAE e internações: atualizamos pra você

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

Atualizamos o noticiário pra você. E trazemos em TEXTO e em VÍDEO, o resumo pra você não perder nenhum assunto:

Se quiser assistir, ou ouvir, clique aquihttps://www.youtube.com/watch?v=-55XGThksgM&feature=youtu.be

Resumo em texto:

. ABASTECIMENTO DE ÁGUA – DAE vai perfurar três novos poços (Mary Dota II, Vila Falcão e Praça Portugal). Mas ainda precisa explicar o critério técnico para o poço na Praça Portugal e apresentar plano de curto e médio prazo para conter vazamentos.

A autarquia diz que não tem estoque de cimento e de tubos para resolver mais de 3.200 vazamentos em calçadas e ruas.

ÚLTIMA HORA – DAE REDUZ PRODUÇÃO DA LAGOA DO BATALHA À MENOS DA METADE. MOTIVO: ÁGUA TURVA DE NOVO. Carreamento de água de estradas, assoreamento e ausência de monitoramento.

Em razão desse problema, houve a necessidade de reduzir temporariamente a vazão de água da ETA para 215 l/s (litros por segundo), inferior ao produzido diariamente, em torno de 540 l/s.

. VOLTA ÀS AULAS — O governo Suéllen ainda não decidiu se autoriza a retomada, parcial, das aulas presenciais na rede municipal. A Secretaria da Educação adiantou que algumas escolas não poderão funcionar (problemas de  ventilação e reparos), caso essa seja a decisão.

Que se decida logo para o setor privado não ter de se virar em cima da hora. No setor público, parte do professorado deve boicotar, com greve.

. FASE LARANJA COVID – A prefeita Suéllen mantendo ou não a reclassificação realizada pelo governo do Estado para Bauru, os estabelecimentos continuarão abertos pelos próximos 15 dias. Se for adotada a fase laranja as regras reduzem percentual de lotação para o tamanho dos locais e horário de funcionamento (bebida alcoólica após às 20 horas, por exemplo).

A prefeita publica novo decreto que vale a partir de segunda-feira. Até este domingo não muda nada.

Questão: quantos testes pra Covido Município fez, nessas duas primeiras semanas do novo governo?

FISCALIZAÇÃO  –   Falamos no final da sexta-feira com o secretário de Saúde, Orlando Costa Dias, e ele disse que a fiscalização de estabelecimentos, festas e aglomerações vai ser ampliada, sobretudo nesta fase de elevada transmissão do coronavírus.

A presença dos  fiscais nas ruas, em horários ampliados, é pedagógico, essencial. Os moradores devem denunciar à Ouvidoria (que também está “esquecida” desde o final do ano e não deu notícia sobre plantão especial nesta fase).  Telefone : 3235-1156

INTERNAÇÕES –  Está dramática a situação em Avaré, Bauru e duríssima em Jaú e Botucatu. Não há capacidade para suportar internações UTI, casos graves, se mantida a atual escalada de novos pacientes no sistema.

O governo do Estado continua devendo ampliar a oferta de leitos UTI (e a necessidade é urgente tanto pra Covid quanto para OUTRAS DOENÇAS). Não é fato a informação veiculada de que o HC receberia 10 leitos UTI. São mais 10 leitos DE ENFERMARIA. Ainda assim, eram 40 e agora a quantidade pode ir a apenas 30. Abaixo da escalada atual de contaminação reconhecida pelo próprio Estado.

Veja no vídeo a avaliação do CONTRAPONTO para NÍVEIS DE EMPREGO EM BAURU, com levantamento exclusivo da estratificação de dados até o final de 2021.

SE CUIDA! O VÍRUS ESTÁ CIRCULANDO POR TODO CANTO!

Se inscreva no www.contraponto.digital para receber nossas reportagens de graça.

Tem opção para receber no seu email ou pelo TELEGRAM. Assina lá! Participe!

1 comentário em “Regras Covid, empregos, DAE e internações: atualizamos pra você”

  1. Nelson,
    Como já foi colocado por você quanto a contenção técnica necessária
    para segurar o carreamento do barro no batalha durante chuvas concentradas, projeto este que deve envolver os proprietários das áreas, este problema jamais será resolvido pois furar poços não resolve o problema de falta de agua, apenas ameniza !!! Ressalto que poço artesiano também pode ter um fim !!!
    E se nunca for feito um trabalho planejado e prioritário de diminuir ao longo dos anos os vazamentos da rede antiga de Bauru, a tendência é a cada gestão termos situação piores para os cidadãos. Hoje temos tecnologia para localizar tecnicamente principais vazamentos e fazer um trabalho no mínimo a médio prazo porem com uma equipe continua especifica para esta atividade, em função da verba que se tenha disponível !!!
    Sei que e fácil sugerir más se não começar cada vez a situação será pior !!!
    Afonso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima