Sem leitos, Bauru não escapará da fase vermelha. Estado aperta restrição e cidade regride para laranja

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
A reclassificação das regiões do Estado reflete a escalada de contaminação e lotação hospitalar

A reclassificação de Bauru para a fase laranja não reflete a evolução dramática de casos de novas contaminações no Estado de São Paulo. Especialistas ouvidos pelo  CONTRAPONTO tanto da Saúde estadual quanto municipal, de dentro e fora do Comitê Covid, enfatizam que a cidade (e região) não escapam da classificação VERMELHA se a escalada de ocupação de leitos UTI Covid não for contida.

A despeito do negacionismo e das repercussões políticas desmedidas, de dentro e fora dos governos, ao lidar, ou comentar, com a maior pandemia dos últimos tempos, sem vacinação o governo paulista recorre ao aperto nas restrições de circulação social para conter a transmissão da Covid.

Bauru, pelos dados, já estaria no patamar de classificação vermelha. A Diretoria Regional de Saúde (DRS-6) avalia a situação na cidade e na região como alarmante. Sem conter a situação deste momento o fato é que, tecnicamente, não haverá leitos UTI (para internar casos graves) em Bauru, Botucatu, Jaú e Avaré.

Em coletiva no início desta sexta-feira, o governo paulista apertou as restrições. Marília fica na fase vermelha e Bauru vai da amarela para a laranja:

“O aumento de 10% no número de internações, dado atual, é alarmante. E tivemos aumento também de casos de óbitos. E isso é resultado direto das aglomerações do final do ano. Não tem outra forma de conter o avanço da transmissão da Covid novamente em alta quantidade a não ser com restrição mais severa de circulação”

“Jovens estão levando o vírus para casa e matando pais e avós”.

“67,5% ocupação de UTI no Estado. Precisamos restringir mais horários e serviços para conter esta situação deste momento. Que já é maior do que o pico da pandemia. Se a velocidade de casos ficar assim, dramática, a situação será igualmente dramática. Temos de restringir de novo”.

Estas foram algumas das principais manifestações do governo, em coletiva com a presença de João Doria, na tarde desta sexta.

Bauru aguarda a posição da prefeita Suéllen Rosim para as regras de circulação. Donos de escola também aguardam, assim como a rede municipal, a decisão sobre o retorno ou não das aulas presenciais em fevereiro e em que condições.

Segundo Doria, São Paulo tem 6 milhões de doses prontas para utilizar. O Estado espera a liberação emergencial pela Anvisa. Se isso acontecer no domingo, na segunda-feira o Estado vai iniciar a vacinação, disse o governador João Dória.

A agenda inicial é dia 25 de janeiro, reforçou o Estado. Mas se a aprovação acontecer no próximo domingo, pelo governo federal, a antecipação será realizada, disse o Estado. São Paulo tem 200 óbitos por dia registrados hoje.

Bauru terá 32 equipes (pontos), com 150 profissionais, para horários das 8h às 20 horas de segunda a sexta, nesta primeira fase.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima