Sistema Financeiro Nacional – Banco Central do Brasil

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

 

Olá queridos leitores, no episódio de hoje daremos continuidade a nossa série sobre o Sistema Financeiro Nacional, abordando a sua principal entidade supervisora, o Banco Central, também conhecido como BACEN ou BC.

 

Essa entidade é composta por 1 presidente, cargo atualmente ocupado por Roberto Campos Neto e 8 diretores, cada um responsável por uma diretoria específica.

 

Se tornou independente após aprovação da “Lei da independência” em 9 de fevereiro de 2021, passo esse de extrema importância, uma vez que essa entidade tornou-se  mais independente dos órgãos do governo, pois agora não sofre mais diretamente com pressões político-partidárias, as quais sempre foram muito influentes nesse órgão.

 

O BACEN é uma entidade supervisora, ou seja, ele não tem como principal função a de criar normas e também não é um órgão executor, sendo assim, tem como essência fiscalizar se os demais órgãos estão seguindo aquilo que foi imposto pelos agentes normativos. Exemplificando: a CVM, órgão já estudado na nossa série, estabelece uma norma X, o BC vai verificar se as entidades operadoras estão seguindo essa norma imposta. 

 

Uma das principais funções do BACEN é a de alterar ou manter em manutenção a taxa de juros do país (SELIC). A cada 45 dias o Comitê de Política Monetária (COPOM) se reúne e decide qual será a taxa de juros que o mercado adotará até a próxima reunião. Podemos destacar também que, umas das mais importantes incumbências desse órgão é a de dar autorização para a impressão de papel-moeda no Brasil, algo que ocorreu muito em 2020 e 2021.

 

Como exemplo prático podemos abordar aqui o esquema de política cambial flutuante, onde o BACEN monitora as negociações de compra e venda de dólar e real, e atua de modo que se o mercado estiver demandando mais dólar do que seria capaz de ofertar, acabando por desvalorizar muito o real perante o dólar, o Banco Central entra no mercado vendendo dólares que estão em suas reservas internacionais, evitando que o real se desvalorize excessivamente. O BACEN também faz isso quando há mais oferta de real do que o mercado é capaz de oferecer.

 

Assim, terminamos mais um episódio da nossa série, no próximo iremos abordar um órgão/ conhecido por muitos, o Tesouro Nacional. Fiquem ligados!

Guilherme Lauris Torres

 

Se você perdeu o episódio anterior é só acessar pelo link abaixo:

 

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

WhatsApp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima