Covid mata mais do dobro de bauruenses agora do que antes

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

 

O gráfico identifica a evolução da Covid em Bauru. Como referendam especialistas em todo o País, a transmissão do coronavírus é mais rápida do que no ano passado e com muito maior número de casos graves proporcionais, o que explica, em boa parte, a lotação de leitos UTI nesta fase. Mas o vírus também é muito mais letal agora do que antes.

O infectologista e professor universitário, Fernando Monti, mostra em levantamento comparativo que a letalidade é mais do dobro nas últimas semanas. Ou seja, o número de pacientes em estado grave é maior e morrem muito mais agora do que em 2020. A “taxa” de óbitos estava um pouco acima de 1%, mesmo no pico da doença. Agora chega a 3,5%.

Ex-secretário de Saúde, Monti avalia o levantamento. “Estudei a letalidade da Covid em Bauru, desde o início da pandemia. Ou seja, quantos morrem em relação ao número de casos. Houve evolução acentuada da letalidade neste ano. Mais que dobrou”, aponta.

E quais as explicações possíveis para este cenário? O infectologista indica 4 variáveis. “Subnotificação de casos não graves, ou aumento da gravidade da doença nas pessoas agora,  ou piora da assistência do sistema de saúde ou melhora na definição do diagnostico dos óbitos”, elenca.

Conforme os números acima, obtidos de boletins oficiais, da Secretaria Municipal de Saúde, Bauru chega a 520 mortes (de 20 de março de 2020 a 23 de março de 2021). Em apenas 83 dias deste ano, a doença já levou 221 bauruenses, contra 299 em 9 meses e alguns dias do ano anterior.

Nesta terça-feira (23/3), a Prefeitura de Bauru informou mais 11 mortes. Desses registros, 4 pacientes aguardavam vaga para internação UTI junto ao Estado, mas não resistiram. Eles receberam atendimentos no Pronto Socorro/PAC, com medicação e respiradores. Bauru chega a 26 mortes de pacientes sem a chance de tentar resistir à doença em UTI.

DADOS ‘ESCONDIDOS’

No domingo, o CONTRAPONTO mostrou que os dados da doença são trágicos, infelizmente. Os óbitos oficiais por Covid somaram 299 casos em 2020. Mas apontamos, com base em informações prestadas pela Secretaria Municipal de Saúde, que os atestados de óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) somaram 247 pessoas na cidade, no mesmo período. Ao contrário do que muitos repetiram – leia em:Só se morre de Covid” – , o quadro é ainda pior do que os números mostram!

Assim, o aumento de óbitos por SRAG, em relação a 2019, foi de 1.543%, quando apenas 19 registros foram documentados. A explicação dos especialistas, conforme apurado pelo CONTRAPONTO, envolve subnotificação em massa, além de uma quantidade significativa de pacientes que tiveram a doença mas os resultados dos testes não acusaram (falso negativo).

Veja mais dados sobre o mapa Covid no infográfico, como totalização de casos, percentual de lotação de UTI nos hospitais públicos de Bauru e região, número total de pacientes e a atualização do programa de vacinação na cidade até agora.   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima