Desvendando a Renda Fixa – Primeiros passos

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

Nos últimos dias encerramos nossa série sobre cripto ativos, escrita pelo nosso assessor João Vitor Correia. Depois de entendermos os principais tópicos sobre as tão faladas criptomoedas, hoje daremos início a uma nova Série, dessa vez para aprendermos mais sobre a Renda Fixa, que pode ser muito mais complexa que somente um IPCA, ou Tesouro Selic.

A Renda Fixa no Brasil

Atualmente o investimento em Renda Fixa é o mais popular no Brasil, representando cerca de 86,5% de todo o capital investido. Com a pandemia e a queda na taxa básica de Juros, atingindo sua mínima histórica, os investimentos nessa modalidade ficaram cada vez menos atrativos, levando as pessoas a migrarem para outras opções, como por exemplo a Bolsa de valores . Porém, com a retomada da economia e os recentes aumentos na Selic, a Renda Fixa volta a ficar cada vez mais interessante, já que é possível obter altos rendimentos com grau de segurança maior que o da Bolsa.

O que são investimentos em RF

Como o próprio nome já diz, os investimentos em renda fixa tem uma coisa em comum, antes de aportar o dinheiro, regras já são pré estabelecidas, como por exemplo como será definida a taxa de rentabilidade, quanto tempo durará o investimento e se é possível sair antes do prazo ou não, caso haja alguma necessidade de se reaver antes o dinheiro.

Temos também a opção de investir com o governo ou com empresas privadas, podemos também escolher entre com ou sem o fundo garantidor de crédito, que protege seus investimentos de uma possível inadimplência pela parte liquidante do título, dentre diversas outras opções. Mas não se preocupe, todos esses tópicos serão explicados durante nossa série, além outros muito mais complexos que a maioria dos investidores não está habituada a discutir.

Como Começar?

Para começar a investir na renda fixa, é necessário abrir uma conta em uma corretora, caso ainda não tenha nenhuma, o que acha de abrir com a gente? Entre em contato conosco por aqui. Após aberta a conta, é necessário um investimento inicial muito baixo para começar, com menos de R$100,00 já é possível adquirir cotas de investimento.

Mas antes de qualquer coisa, é necessário ficar atento a alguns pontos, como por exemplo os prazos de validade. Certas modalidades não podem ter seu dinheiro resgatado antes do prazo, a não ser com o pagamento de taxas, que acabam inviabilizando os investimentos.

Outro ponto importante é a rentabilidade, o que muitas pessoas confundem é que mesmo se chamando investimentos de renda fixa, em alguma das modalidades o retorno só é definido no fim do período aplicado, como os pós fixados por exemplo. A única garantia que se tem é de qual será o critério para o cálculo, diferente da renda variável que não se sabe qual será a rentabilidade e nem como será calculada.

Com isso concluímos nosso primeiro capítulo da nova Série, fiquem ligados pois no próximo episódio falaremos sobre quais são os possíveis investimentos em renda fixa.

Vamos juntos?

Lucas Strutz Haguiara

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

Whatsapp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima