COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 104 Castração de animais, faculdade de papel, fraudes com DAE e buraqueira

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 104 CASTRAÇÃO DE ANIMAIS, O HOSPITAL DE PAPEL, FRAUDES COM DAE E BURAQUEIRA 

 

QUARTA DE CINZAS

Não dá para não registrar (porque jornalismo diário forma história, inclusive) que esta é a Quarta Feira de Cinzas mais surreal dos últimos tempos. Não há quem, fora dos enredos mais apocalíticos, tenha pensado que teríamos um fevereiro de “Carnaval” com o som oco da insegurança, da miséria e da contaminação batendo à porta, a todo instante.

Mas pedimos licença para, em gesto singelo, reproduzir mensagem de alento…:

A VIDA É LINDA DE SE TOCAR!
Somos músicos, maestros de uma orquestra fantástica chamada Universo.
Se você tocar sozinho, ouvirei seu dom.
Mas que o som da vida não seja dissonante.
Mas se você tocar junto, haverá junção, equilíbrio, harmonia…
Empatia sonora de viver.
Que a vida lhe seja alegria além do carnaval!
Toque um a um os instrumentos abaixo e celebre a vida! Pra quem não viu, é um minuto de “relaxamento”, descontração…. Alerte sua CURIOSIDADE E ACESSE O LINK: http://www.audepicault.com/fanfare/fanfare.htm?fbclid=IwAR1nYYjqscpq2B7BePiOfouxsCP5MkapZLE6IvCWWFrQxSjc2a9db2CWb9Q
CASTRAÇÃO 
Manifestações diversas vieram em torno da paralisação do serviço de Castramóvel em Bauru, desde o ano passado, conforme reportagem: https://contraponto.digital/castramovel-esta-sem-uso-e-animais-lotam-entidades-o-que-fazer/
Entre os apontamentos, o mais vigoroso vem no sentido da confirmação de que a política da Causa Animal no Município precisa ser organizada, com as ações intersetoriais “amarradas”. A opção pelo pontualismo do trailer, como foi feito no governo passado, não resolve… Censo animal, orientação permanente (maciça), inclusive nas escolas (incluir a Educação nisso) e via CRAS (inserindo assistência social na temática), capacitação, treinamento e apoio do voluntariado, ação coordenada contra maus tratos (denúncias) e serviço de controle populacional de Pets efetivo.
E ainda faltará a ponta final: descarte de animais mortos (contaminação): item muito negligenciado e onde quase ninguém atua, nem as ONGs.
Este é o Duque. Sem castração,  de carona com seu tutor que recolhe recicláveis na região da Vila Aviação

BARBÁRIE

No País do divisionismo contaminante, da politização sem cura do vírus, do analfabetismo viral e da virulência social, o episódio do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) escancara os fragmentos da corrosão democrática.

Alguns optam por “aproveitar” a marchinha e mirar nos erros (evidentes) de postura, comportamento de alguns dos ministros do STF! E o sujeito “passa” como o Hobin Hood da moralidade…. (sic) E fica nessa ciranda onde a fragilidade institucional se curva ao abismo…

Enquanto isso, o poder de plantão se instrumentaliza com a gangue de Alagoas e os comparsas do Centrão… Gente do céu! Onde o povo acha que essa história vai parar? Se não aparecer (1) liderança lúcida (nem falei santa …. – sic -) pra aparar (não disse parar) esse trem desgovernado, vamos sair de 2021 em frangalhos e entrar em 2022 na realimentação da distensão social… ! (?)  HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE PAPEL

Em 2017, cobri na Reitoria da Universidade em São Paulo, como repórter do JC, a reunião do Conselho que aprovou (sob muitas críticas de alguns docentes e representantes dos estudantes) a transferência do Predião (12 andares) instalado no campus de Bauru para a Secretaria Estadual de Saúde.
A condição foi clara: o Estado assumiria o prédio e o custeio do Hospital Universitário (como ferramenta essencial à aprovação do curso de Medicina em Bauru pela USP). Os futuros servidores das estruturas paralelas (HRAC) seriam do Estado. A USP aceitou porque se livraria de um esqueleto vivo, onde se colocou dezenas de milhões de Reais para construir algo com defeitos e, até hoje, ocioso. Um escândalo, sem qualquer punição!
Por que o Estado topou? Porque Geraldo Alckmin estava sendo ‘pressionado’ pela Promotoria a dar solução a uma obra pública sem destino efetivo há anos, sob pena de ação civil por improbidade…. que também não veio!
O Estado se livrou do “problema”, em parte, mas de sua parte, não enviou (na época) o projeto de lei para a Assembleia para criar a despesa orçamentária. Mandou só no final do ano passado. Gente! Tem de cobrar o governador e a Assembleia Legislativa (para votar o projeto). Deputado ficar dando entrevista não resolve!
Por enquanto o Hospital Universitário integra uma espécie de Faculdade de Papel
É PÚBLICO!
O escandaloso projeto (caro e mal feito) do Predião da USP nunca foi engolido, nem pelo Estado, nem por conselheiros da universidade na Capital. Aliás, naquela reunião de Conselho (histórica), ficou claro que “USP Bauru” é sinônimo de curso/per capita/aluno caríssimo para o comando da Universidade.
Naquela reunião, um dos conselheiros, do alto comando, expôs em power point que o custo aluno em Bauru é muitas vezes maior do que em outros departamentos da USP… Isso precisa ser também debatido, dito! É dinheiro público! Não se pode tratar a (importante e respeitável)  USP como casulo, aristocracia intelectual…
LEITOS E DÓRIA
Sincomércio instala faixas em pontos da cidade pela abertura da lojas

O Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio) continua sua ação reivindicando a abertura das lojas. Hoje, foram espalhadas faixas reforçando a necessidade de funcionamento dos estabelecimentos na crise e a cobrança pela entrega dos leitos (sobretudo UTI Covid), prometidos pelo governo do Estado. Eles foram adiados para março, segundo o governo.

FALSO (?)

Já o governo do Estado espalhou pelas redes como sendo “falsa” a reportagem (veiculada de forma impressa na Capital) afirmando que o secretário Estadual de Saúde teria assumido que “reduzir o tempo de abertura das lojas é um erro”.

Olha! Quem “leu” o texto viu que ele vai além do “nariz de cera”… : a matéria ‘gasta’ quatro parágrafos para discurso em torno da politização do tema. E lá no meio traz a frase, isolada, atribuindo ao secretário (Jean) – em aspas – o apontamento sobre a redução de horário x contenção do vírus.

Pitaco: O secretário de Estado nem teria como negar o evidente erro adotado pelo Plano SP em “confinar” a circulação de pessoas em períodos menores (nas ruas) como ação para “combater o distanciamento”.

O Estado não errou só nisso. Criticamos, lá no início da pandemia, que adotar o mesmo Plano para Capital e Interior, ao mesmo tempo (quando o vírus nem tinha circulação nas cidades) asfixiou a economia dos Interior de forma precoce.

MAS…

As prefeituras de centros regionais, como em Bauru, também não adotaram medidas complementares (até hoje) de reescalonar horários de entradas e saídas (para os principais fluxos do transporte coletivo e aberturas de empresas maiores) na pandemia, com concentração de mais ônibus (e limite de lotação) desde o pico… entre outras inúmeras medidas… etc. etc….. Testagem em massa? (Nada!). Inquérito sorológico? (abandonado faz tempo!)…

FRAUDES

O DAE divulga o balanço de 2020 de fraudes registradas contra a medição regular de consumo residencial. Conforme a autarquia, a Seção de Fiscalização registrou 1.450 casos de infrações, fraudes e outras irregularidades em 2020. O sujeito faz ligação direta, enfia arame no hidrômetro, põe imã…. etc. etc…

Mas veja, em 2019 o total de registros no mesmo item foi de 1.595, informa a assessoria do DAE. Ou seja, em plena pandemia (com mais pessoas em casa), os registros caíram 10%… em relação ao ano anterior à Covid.

BURAQUEIRA

O DAE vai demorar muito tempo para dar conta do acumulado de pedidos de conserto de vazamentos. A própria presidência informou, em reunião pública logo no início de janeiro. que a demanda era de 3.273 pedidos, entre “buracos” na calçada e na rua.

Nesta quarta, matéria do JC do jornalista Vinicius Lousada, avalia que a demanda aumentou 149%, no comparativo com o mesmo “represamento” de pedidos em 2019. Estamos na segunda quinzena de fevereiro e a demanda acumulada é de 3.390… até o dia contabilizado pelo DAE)… 

Lembrei do ilustre Célio Bucceroni… quando presidiu o DAE, ele organizou força tarefa com regionalização, em várias frentes. A divisão de casos mais antigos, em uma frente, com os de maior gravidade, em o.utra, e a motivação das equipes surtiu efeito…

VALE-MERENDA

Valor referente a fevereiro será pago na sexta-feira pela Secretaria de Educação. A administração teve de atualizar todo o cadastro deste ano, para evitar pagamento irregular em relação a mudanças (naturais) sobre 2019 nas matrículas…

CARTA DOS 9

Nove parlamentares assinam carta aberta, na noite de quarta, dando apoio aos eleitos na Mesa, nas condições atuais. Com a maioria simples, pelo menos no plenário, o grupo tem condições de manter a disposição de eleição apenas para a vaga de vice, na próxima segunda-feira, na sessão.

Contudo, o PP pode ingressar com requerimento. E ainda não está descartado que a demanda vá ao Judiciário. Na condição atual, pensando em votação no plenário, só haveria eleição para vice-presidente, conforme carta assinada por Marcos Souza, Carlinhos do P S, Ubiratan Sanches, Estela Almagro, Sérgio Brum, Júnior Rodrigues, Beto Domingues, Marcelo Afonso e Edson Miguel.

ATERRO E LIXO

Audiência pública convocada pelo vereador Júnior Rodrigues, às 14h30 desta sexta-feira (19/02) vai discutir a situação do atual aterro sanitário e situação do lixo. A Emdurb fala em retomar a utilização do local,  medida que exige convencer a Cetesb e seria de médio prazo…

 

 

 

2 comentários em “N. 104 Castração de animais, faculdade de papel, fraudes com DAE e buraqueira”

  1. Boas considerações sobre o DAE. Uma autarquia que tem problemas há tempos, falta de água e tratamento de esgoto entre elas, também não conseguem simplesmente consertar o buraco feito. Na minha rua (Evandro Ruivo quadra 1) estamos esperando a mais de um mês uma solução para uma situação que me parece bem simples, qualquer planejamento mínimo atenua a situação que piorou na atual gestão.
    Depois das suas colocações a expectativa de solução arrefece, mas vamos continuar cobrando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima