COLUNA CANDEEIRO 25092020 NELSON ITABERÁ

N. 93 Doria morde isca com toda chumbada e Suéllen adia Instituto

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

N. 93 DORIA MORDE ISCA COM CHUMBADA E SUÉLLEN  ADIA CRIAR INSTITUTO

 

FARPAS 

O governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB) perdeu a estribeira, fora da liturgia do cargo, ao adjetivar o comportamento da prefeita de Bauru, Suéllen Rosim, no controle local da Covid. Está errado governador!

Mas, olha! Antes que a plateia considere outro viés, o CONTRAPONTO posiciona que essas farpas só alimentam as bolhas da rede social. Não serve pra ninguém. Muito menos para Bauru.

No popular, o que Doria fez foi “morder a isca com chumbada e tudo”. Desceu de sua função de governador para lançar frases que não produzem nada, a não ser ao desconforto.

EM BOTUCATU

Já o prefeito de Botucatu, Pardini, teve boa notícia de reunião com o mesmo governo do Estado, hoje. Em seu Facebook, ele disse: “Acabo de sair de uma reunião em São Paulo com a confirmação da reabertura do Hospital Estadual em Botucatu a partir de amanhã, terça-feira. Ao lado do Secretário de Saúde André Spadaro, do Supertintendente do Hospital das Clínicas de Botucatu Dr. André Balbi, do presidente da Famesp Antônio Rugolo e do chefe de gabinete da Reitoria da Unesp, César Martins, recebi a notícia do Secretário Executivo de Estado da Saúde Eduardo Ribeiro.

Segundo ele, também está “alinhado” tratativas “avançadas para ampliação de leitos COVID de UTI e de enfermaria no HC. Um plano de trabalho será elaborado ainda durante esta semana entre a Superintendência do HC, Diretoria Regional de Saúde e Secretaria Estadual de Saúde, para definir as necessidades e capacidade de ampliação da assistência”.

FISCALIZAÇÃO 

Esta é uma função essencial (o ano todo) e – ainda mais – neste período para a tentativa de controle da pandemia. Insistimos nisso. Parte da população abandonou qualquer noção de respeito ao distanciamento. E ai a função reguladora do poder público tem de funcionar.

Conforme a administração, no final de semana foram 108 casos registrados para fiscalização de descumprimento das regras Covid. Mas é preciso entender os números, por dentro.

90 casos foram de denúncias de moradores. 18 foram de busca ativa (quando a fiscalização detecta algo errado e sai atrás – medida importantíssima no cenário). Mas apenas 19 denúncias foram procedentes.

ESTRATIFICANDO

E isso significa fracasso na fiscalização? Não! É evidente que infratores, seja em estabelecimentos, seja em eventos ou festas residenciais, por exemplo, vão dificultar o flagrante. Os fiscais não devem considerar em vão o trabalho. A presença na comunidade dos agentes é pedagógica. O munícipe infrator tem de “sentir” que a fiscalização está lá.

Por isto mesmo, 71 casos aparecem como improcedentes: 71. De outro lado é preciso ver se a Prefeitura não está sendo benevolente com infrator. Apenas 1 auto de infração foi emitido, de comemoração da torcida do Palmeiras pelo título da Libertadores no sábado.

O número de fiscais ainda é muito pequeno para a gravidade e abrangência da situação sanitária nesta fase.

CAMPINAS

As prefeituras, e não só a de Bauru, sabem que não terão vida fácil na tentativa da volta às aulas. No setor público o boicote e as resistências virão. No setor privado, a fiscalização também tem de estar presente. E ai falta pernas. O que é mal!

E se ocorrerem casos, o calendário vai “embolar”. Em Campinas, no bairro Taquaral, uma escola particular suspendeu as aulas (retomadas desde 20 de janeiro) porque sofreu com surto. Um aluno apresentou resultado positivo pra Covid e outros seis estão com os sintomas. E veja, é preciso registrar, que não é possível dizer que “pegou” a doença na escola.

A mobilidade social dessas pessoas, jovens, tem relação direta com as incidências.

Há pouco tempo, em entrevista à TV Cultura, o superintendente do Butantan, Dimas Covas, disse (quando o governador Doria não tinha decidido a volta à escola ainda) que era contra a medida. Porque, segundo ele, isso representa 15% a mais de mobilidade social (com os estudantes no trajeto de casa para as escolas)… Chegamos em uma fase difícil, incontrolável (não só da transmissão) mas do dissenso social.

PARAGUAÇU

Não é consenso no mundo jurídico (ao contrário) de que a aprovação de leis que “incluem” todas as atividades comerciais como essenciais vinguem. Marília, que aprovou mais uma lei dessas no final de semana, “morreu na praia” no ano passado. Bauru vai tentar…

Falando em abrir e fechar, a Prefeitura de Paraguaçu Paulista, na região de Marília, teve melhor sorte no conflito judicial a respeito de não seguir o Plano SP. O Ministério Público ingressou com ação civil pública para obrigar o prefeito a cumprir as regras do governador.

Mas o juiz local não concedeu liminar. O MP recorreu ao TJ com agravo de instrumento e insistiu com pedido de liminar para fechar tudo. Mas o desembargador Eduardo Gouvêa manteve a decisão de primeira instância e não concedeu a liminar.

Em síntese, o desembargador decidiu que a Prefeitura exerceu a competência suplementar no tema, fixando 30% de lotação máxima e abertura das lojas das 11h às 17h. As regras são menos restritivas que a determinada para a fase vermelha…

A decisão tem como detalhe que em Paraguaçu, a Prefeitura demonstrou que o número de leitos dobrou na pandemia e que, hoje, haveria demissão em massa no comércio.

Quer ler a decisão da juíza Patrícia Érica Luna da Silva? Clique na palavra decisão Paraguaçu. Quer ler o agravo? Clique em cima de recurso TJ

ABRIGO DE RUA

O assunto esteve na tribuna na primeira sessão do ano. E por mais de uma vez. Críticas ao fechamento do serviço de Abrigo de rua em pleno pico da pandemia, mesmo com alegação do governo de que houve “acomodação” dos vulneráveis em outros locais.

O custo da ação é muito baixo diante do efeito social! E não é definitivo. Entidades protetoras de animais criticam que não foram avisadas da ação! Insensibilidade!

SESSÃO DA CÂMARA

Publicamos no site o resumo da sessão de hoje, a primeira do ano e do mandato. A prefeita Suéllen Rosim retirou o projeto de criação do Instituto do Planejamento (IP) – e não pretende retomar o assunto neste momento – e o projeto de concessão do lixo foi adiado.

Também informamos que uma sessão extraordinária está marcada para esta quarta, às 13h, para votar projeto de inclusão de atividades comerciais (bares, restaurantes, shoppings, manicure, salão de beleza, barbeiros) como essenciais em Bauru….

O vereador Marcelo Afonso, único eleito da chapa junto com a prefeita, é o líder do governo.

PEDIDO

A prefeita Suéllen está recebendo muitos pedidos… mas um pode desgarrar para ter efeito. As academias podem (condicional) conseguir inclusão para funcionar, com as limitações…

O setor já havia se mobilizado em outro período da pandemia. Agora, pode sair. Até quarta…

LEITOS

Bauru fecha a primeira segunda-feira de fevereiro com todos (100%) os leitos UTI de casos graves Covid ocupados em hospitais públicos em toda a região.

Detalhe: o HE continua com as mesmas 50 vagas de UTI Covid. Já foram 56 no topo da pandemia. Na região, ao contrário, o Estado ampliou as vagas de 134 UTIs para 150. Na região. Em Bauru, nada! Até hoje.

MATO NA UPA

Uma ação com voluntários eliminou o matagal no entorno da UPA Vila Ipiranga. O serviço foi realizado por equipes da Prefeitura, com a ajuda de voluntários.

Sem o trabalho dos detentos, a Prefeitura não tem fôlego para atender à demanda.

ASFALTO

O DAE informa que está realizando reposição de calçadas e asfalto na Zona Norte. O volume de pedidos é gigantesco. Como dissemos aqui, a presidência disse que faltou cimento no estoque.

De qualquer forma, na sessão da Câmara foi apontado (vereador Manoel Losilla) que a qualidade dos serviços está pior, que a reposição de pavimento continua ruim e que os vazamentos aumentaram em janeiro…

ARTHUR LIRA

O Centrão amarra de vez o governo Bolsonaro até 2022, com a eleição do “capo” alagoano Arthur Lira para presidir a Câmara.

Olha… entre raios e trovões… Baleia Rossi traria “mais proveito” hipotético para o Interior, por ser de Ribeirão Preto e ligado aos Mandalitti. Capitão Augusto (que não tinha chance de vencer) se juntou a Lira e o bloco do Centrão….. Mas este ano não vai ter Carnaval….

Então a festa será “em outro nível” mesmo…. (sic)…

 

 

1 comentário em “N. 93 Doria morde isca com toda chumbada e Suéllen adia Instituto”

  1. Vale lembrar que Bolsonaro apoiou tanto Maia quanto Alcolumbre para comandarem o Congresso Nacional no primeiro biênio dessa legislatura. Por incompetência política e rabo preso, a coisa ficou só no “toma lá, toma lá”… o “da cá” que é bom, nada. Depois da sofrida aprovação da reforma da previdência, nenhum grande projeto vindo do Planalto decolou no Congresso. Em compensação, o dito “Centro Democrático” conquistou o juiz de garantias, a lei de abuso de autoridade, o veto que manteve o por de ministros do STF em decisões monocráticas, etc, etc, etc. Sem falar nos cargos com orçamentos bilhonários que já estão nas mãos do centrão e o recorde em emendas parlamentares. Mas, segundo os governistas, a agenda “liberal” de Bolsonaro e Guedes não avançou no Congresso por culpa de Maia e Alcolumbre.
    Agora, mais uma vez, Bolsonaro tem eleitos os seus escolhidos em ambas as casas do Congresso Nacional. Vejamos quais serão as desculpas para os próximos dois anos…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima