PM faz treinamento técnico contra assaltos a banco por quadrilhas

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Treinar para dar resposta à altura da organização crescente do crime organizado, sobretudo contra assaltos que utilizam grandes estruturas operacionais pelos bandidos na busca de grandes quantias de dinheiro nas centrais bancárias do Interior. A Polícia Militar do Estado de São Paulo, por meio do 4º Batalhão de Polícia Mi litar do Interior, realizou nesta madrugada (27/09) exercício simulado de acionamento do Plano de Reação para dar resposta às ações criminosas de quadrilhas violentas e fortemente armadas.

Bauru tem sido alvo dessas ações de porte, sobretudo pela cidade ser sede regional de distribuição de grande quantia de valores (em espécie), como as Centrais do Banco do Brasil, de guada de joias pela Caixa e empresas do mercado privado de segurança que transportam dinheiro.
Conforme a PM, foi realizada ação que simulou roubo em estabelecimento bancário no Centro da cidade de
Bauru. A ação da Polícia Militar contou com acionamento de diversas forças policiais especializadas,
utilização de técnicas de gerenciamento de incidentes graves, formação de gabinete de gestão de crises e
teste de estratégias de atuação conjunta, envolvendo, inclusive, policiamento militar rodoviário, ambiental,
Corpo de Bombeiros e Base Aérea (Águia).

O treinamento contou ainda com a participação dos policiais militares do efetivo administrativo e operacional, além da Força Tática do 4º BPM/I e 13º BAEP. “O treinamento foi bem sucedido, alcançando seu objetivo, uma vez que , além de treinar os Policiais Militares, possibilitou o aprimoramento de técnicas de planejamento e emprego operacional de diversas forças policiais militares que certamente contribuirão positivamente para manutenção e restabelecimento da ordem pública e defesa da sociedade paulista, sobretudo da cidade de Bauru e sua região”, avalia o comando da PM em nota distribuída à imprensa.

A troca de informações (serviço de inteligência) entre as diferentes polícias (incluindo a Civil, a gerência do Sistema Penitenciário, Federal e outras forças e órgãos de segurança) foi uma das críticas levantadas durante o episódio de gerou vítimas e fez cidadãos de refém em assalto de grandes proporções, pelo crime organizado, realizado em Araçatuba (SP), há poucas semanas

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima