“Transmissão está muito alta. Se não seguir regras, terá de fechar tudo”

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Dado Info Tracker (USP/Unesp) da sexta já colocava Bauru com taxa de 1,75. Conforme secretário índice de transmissão já foi para 1,9 . Situação é grave!

 

Seja você quem for, se está na onda da ivermectina, hidroxicloroquina, ou está entre os que criticam o governador, o presidente da República, o CONTRAPONTO apela para um alerta importantíssimo e que não pode esperar. A taxa de transmissão da Covid em Bauru é muito elevada. E se o esforço não for coletivo, não terá leito de internação para todos os que precisam. Está tudo lotado! A cidade precisa de todos e desde já!

O momento é tão difícil que apelamos para você focar em outro ponto. Por favor, NÃO AGLOMERE e FISCALIZE quem desrespeitar as regras no comércio, nos bares, nas baladas, nos supermercados, nos coletivos, nas festas em casa… Bauru está com taxa de transmissão muito elevada da Covid-19. O tal índice Rt atingiu, hoje (18/01) 1,9, conforme o secretário Municipal de Saúde, Orlando Costa Dias.

“A transmissão está elevada e seguindo assim fica fora de controle. Temos 15 dias para reverter esta situação difícil. Tenho otimismo que o bauruense, acredite ele no que quiser, entenda a gravidade e não aglomere, não realize nem permita que outras pessoas não cumpram o distanciamento. Estamos em um momento crítico. Converse com as pessoas, oriente, fiscalize. Nossa única forma de buscar ajudar que tenham leitos para internar todos é respeitar, não aglomerar”, disse o secretário e vice-prefeito ao CONTRAPONTO.

Comentamos com Orlando Costa Dias do registro já elevado da taxa de transmissão na ultima sexta-feira, onde o Rt do Info tracker (USP/Unesp) – no gráfico acima – apontava 1,75 para Bauru. “Já está em 1,9 hoje (segunda). Atualizei isso hoje. Está ficando fora de controle a transmissão. Porque as pessoas precisam não aglomerar. Se não seguir as regras não cai o índice e ai vai fechar tudo, não terá outro jeito”, alerta o secretário.

ALERTA E DADOS NO NO VÍDEO: 

 

FISCALIZAÇÃO

O secretário disse que, assim como conversou com o CONTRAPONTO na sexta, está ampliando as equipes de fiscalização a partir desta terça-feira. “Eu conversei com eles e como prometi a você (CONTRAPONTO) estamos ampliando as equipes, os turnos. E vamos ampliar ainda mais de quinta a domingo, que é quando festas, eventos, bares, abrem com mais frequência. Nosso caminho é o de orientar, conversar, mas ter a presença dos fiscais nas ruas. Eu pedi a eles (fiscais) que se façam presentes, que conversem, que insistam na gravidade deste momento”, comentou.

DENGUE

Ao assumir, em 4 de janeiro, o vice-prefeito e Suéllen Rosim já haviam anunciado que o combate a Covid e dengue eram prioridades.

Nesta segunda-feira, a prefeitura emitiu novos alertas de necessidade de controle também da dengue. As equipes da Vigilância Sanitária emitiram comunicados adicionais, anunciando intensificação das visitas casa a casa.

A região que concentra 75% dos casos (como no histórico dos anos anteriores) é a Noroeste. Segundo o diretor da Vigilância Ambiental, Roldão Pucci, “os moradores da vila Dutra, parque Jaraguá, Santa Edwirges, Bela Vista são os que merecem atenção dirigida nesta fase. Nesses bairros estão os maiores índices de presença do mosquito. Com as chuvas também esperadas para esta época, alternando com calor, as larvas eclodem e isso gera um ciclo de transmissão que precisamos controlar”.

E tem um agravante. A “falta” de abastecimento de água, até o final do ano gerou outro problema a ser enfrentado. Os técnicos da Saúde contam que em centenas de imóveis recipientes improvisados, cisternas sem controle e outros utensílios viraram “caixas d´água improvisadas. Em muitos endereços esses locais estão servindo agora a criadouro do mosquito da dengue. O abastecimento voltou ao normal, mas não foram retirados esses locais, ou estão sem manutenção”, complementa Roldão.

Veja os indicadores do boletim epidemiológico da dengue divulgado hoje pela Prefeitura:

Boletim epidemiológico

 

1 comentário em ““Transmissão está muito alta. Se não seguir regras, terá de fechar tudo””

  1. Maíra José de Oliveira faustini

    Como voltar as aulas nesta situação precisa adiar está volta se o próprio secretário da saúde está falando dos dias cruciaís como propõe a volta a cota de Orlando e Suelen

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima