Como Investir em 2022 – Cenário Atual

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

 

Olá, queridos leitores! No último episódio falamos sobre como traçar objetivos e qual a importância deles na vida dos investidores. O tema de hoje será voltado para os principais fatores, do passado e do futuro, e que influenciarão o mundo dos investimentos.

 

Primeiramente, temos que ter em mente que é muito difícil prever o quanto um fato ou rumor afeta o mercado, no entanto, devemos ficar alerta aos dois e, além disso, devemos ficar atentos sempre a confiabilidade da informação, para nos prevenirmos das fake news.

 

ANO ELEITORAL

O principal fator que vem sendo aguardado a anos pelos investidores e não investidores é a tumultuosa corrida presidencial do ano de 2022. Normalmente, os anos de eleição, principalmente a de chefe do Poder Executivo, tendem a ser mais voláteis do que o normal. Tal característica se dá por causa das incertezas sobre quem será eleito o novo presidente da república, este que pode levar o país para um caminho que os investidores aprovem ou para um caminho contrário, sendo rejeitados pelos mesmos. Essa incerteza faz com que a bolsa fique mais volátil devido ao maior risco do Brasil no momento.

 

Contudo, por mais estressado que o cenário eleitoral de 2022 pareça, é o primeiro ano, onde os dois principais polos são conhecidos dos eleitores e do mercado.

 

TAXA DE JUROS

Outro aspecto que vem afetando o Brasil é a elevação da taxa de juros. Essa está em tendência de alta devido a alta inflação que se originou por conta das tomadas de decisões devido a crise do coronavírus. É interessante lembrar que, durante a pandemia, a taxa de juros chegou ao patamar de 2%a.a e hoje encontra-se, ainda em tendência de alta, no patamar de 10,75%a.a, maior patamar desde abril de 2017. É interessante ressaltar que a elevação de juros não é um movimento específico do Brasil e sim mundial.

 

PEC DOS PRECATÓRIOS

A PEC dos precatórios é um assunto que também trouxe volatilidade para a bolsa brasileira. 

Essa proposta tem como o objetivo abrir espaço para aliviar o financeiro do país e abrir espaço para o governo ter recursos para a execução do Auxílio Brasil, que é uma formatação nova do Bolsa Família. Por ser um importante passo para a economia do país, a promulgação ou não da PEC traz instabilidade para a bolsa, pois os passos tomados pela Câmara dos Deputados e Senado Federal podem ou não agradar o mercado.

 

Apesar de todo tumulto criado sobre esse assunto, o mercado viu na conclusão da PEC dos precatórios uma saída “menos amarga” dentre todas as possibilidades que ela poderia resultar.

 

CORONAVÍRUS E FLUXO ESTRANGEIRO

Além desses pontos já citados, tem-se ainda, a preocupação com o coronavírus, este que no início do ano de 2022 bateu recordes de novos casos, assustando a população mundial, fazendo com que diversos países voltassem a fechar fronteiras e aumentar as exigências com relação ao vírus. Ainda nesse ano, o fluxo estrangeiro direcionado à bolsa brasileira está em patamares elevados, uma vez que a bolsa, segundo os analistas de mercado, chegou a patamares de preços atrativos, fazendo com que os ativos brasileiros se tornem atraentes aos estrangeiros.

 

Com isso, acabamos mais um episódio da nossa série! No próximo episódio, falaremos sobre como a inflação afeta a economia. Fiquem ligados!

 

Guilherme Lauris Torres.

 

Se você perdeu o episódio anterior é só acessar pelo link abaixo:

 

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

WhatsApp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima