Outros ativos de Renda Variável: Contrato a Termo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Olá, queridos leitores! No último episódio apresentamos os derivativos de maneira geral e suas principais utilizações. Hoje, falaremos sobre um dos tipos de derivativos: o Contrato a Termo.

 

MERCADO A TERMO

Antes de falar sobre os contratos a termo, é importante saber onde essas negociações são realizadas: no mercado a termo.

O mercado a termo funciona pelo acordo de compradores e vendedores com a liquidação em um prazo pré-determinado. Nesse acordo, é acertado o preço, a quantidade de ativos e o prazo de liquidação do contrato.

Sua principal diferença em relação ao mercado à vista é o momento de liquidação. No mercado a termo a liquidação ocorre em uma data futura, enquanto no mercado à vista os contratos são liquidados no mesmo momento de compra.

 

O QUE SÃO OS CONTRATOS A TERMO E QUAIS SUAS CARACTERÍSTICAS?

Os contratos a termo, portanto, são contratos que viabilizam as operações no mercado a termo. Eles podem ser realizados tanto na bolsa de valores, quanto no mercado de balcão.

No ambiente da Bolsa de Valores, os contratos a termo são padronizados, contendo as seguintes características:

  • Descrição do ativo negociado;
  • Quantidade de ativos;
  • Prazo do contrato (deve ser entre 16 e 999 dias corridos); e
  • Condição de liquidação, permitindo a antecipação.

Além da padronização, os contratos realizados na Bolsa não possuem risco de crédito, visto que a B3 atua como contraparte central da negociação.

Quando realizados no mercado de balcão, os contratos a termo não precisam ser padronizados, ou seja, permitem maior nível de detalhamento. O risco de crédito é presente no mercado de balcão, pois não possui algum participante como contraparte central.

Nos contratos a termo, é comum que seja exigida uma margem de garantia. Essa margem serve para reduzir os riscos de liquidação. No caso dos vendedores, a margem de garantia, ou cobertura, é o depósito de todos ativos-objetos do contrato. No caso dos compradores, a margem exigida pode ser depositada em dinheiro ou ativos, como CDBs ou títulos públicos. 

 

OPERAÇÕES

Os contratos a termo possibilitam a realização de duas operações chamadas de operação caixa e financiamento.

A operação caixa consiste na realização de uma venda no mercado à vista e uma compra, do mesmo lote de ações, no mercado a termo. Ao realizar essa operação, o investidor gera um caixa para realizar outras operações que precisa e não perde seus ativos, visto que comprou para uma data pré-estabelecida.

A operação de financiamento, por outro lado, consiste na compra de ações no mercado à vista e venda, do mesmo lote, no mercado a termo. A diferença entre os preços é a remuneração do investidor pelo prazo de financiamento.

 

UTILIZAÇÕES

Como vimos no episódio anterior , os tipos de derivativos possuem diversas utilizações. No caso dos contratos a termo, suas possíveis utilizações são para hedge, especulação e alavancagem.

No caso da estratégia de hedge, ou seja, estratégia de proteção da carteira contra variações de preços, o investidor consegue travar o preço por meio da operação a termo, assegurando-se contra flutuações do mercado. 

Os investidores que visam a especulação também atuam no mercado a termo. Em um cenário de alta expectativa de um ativo, o especulador pode comprar esse ativo a termo, aceitando que estará pagando um pouco mais caro que o preço atual, mas sem desembolso inicial de caixa, com objetivo de lucrar no vencimento.

Por fim, as operações a termo permitem alavancagem, visto que não é necessário desembolsar o valor total da operação no ato. Assim, o investidor pode aproveitar oportunidades, mesmo sem ter o capital disponível. É importante ressaltar que as operações de alavancagem têm um alto risco, portanto o investidor deve avaliar qual o seu perfil de risco, antes de realizar qualquer tipo de investimento.

Com isso, acabamos mais um episódio da nossa série! No próximo episódio continuaremos falando sobre derivativos, apresentando os contratos futuros! Fiquem ligados!

 

Matheus Assunção.

 

Se você perdeu os episódios anteriores é só acessar pelo link abaixo:

 

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

WhatsApp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima