Sistema Financeiro Nacional – B3

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

Olá queridos leitores. Neste episódio iremos falar sobre ninguém menos que a B3 ou “Brasil, bolsa, balcão” que é a bolsa de valores do Brasil.

Imagine a nossa sociedade há alguns anos. Certamente as pessoas faziam negociações e trocas de bens de uma forma bem mais arcaica do que hoje, ou seja, faziam tais operações pessoalmente e com a utilização de papéis. Durante essa época, essas relações possuíam pouca ou nenhuma transparência e proteção, além de quase não haver liquidez no mercado, pois muitas vezes era difícil achar um comprador para um vendedor, ou vice versa. Com o passar do tempo e a necessidade surgindo, as negociações foram se digitalizando, tanto que hoje podemos comprar um bem ou serviço com poucos toques na tela. E isso não poderia ser diferente para o mundo dos investimentos, fundada em 2017, a B3 foi criada pela união da BM&FBOVESPA e a Cetip e veio para promover a transformação digital desses meios no Brasil.

A Bolsa de Valores tem como principal objetivo satisfazer essas deficiências, proporcionando aos seus clientes um ambiente eletrônico para que tais negociações sejam feitas por esse ecossistema, o qual pode ser controlado e supervisionado. Isso tudo permite que os negócios feitos ali dentro possuam mais liquidez, pois concentram em um só lugar os compradores e vendedores, além disso, a tecnologia é utilizada para garantir mais segurança a todos os envolvidos no processo.

Também, por causa do meio eletrônico, como todas as ordens são ali acumuladas, fica mais fácil e possível se elaborar um preço médio dos ativos e promover transparência das operações.

Portanto, quando negociamos uma ação, debênture ou uma renda fixa, estamos fazendo essa transação utilizando-se do sistema digital da B3, por isso ela é de extrema importância para o funcionamento do mercado mobiliário!

Vale citar que a B3 fica localizada em são Paulo e tem o horário de funcionamento das 10h às 18h. Ela é a bolsa oficial do Brasil, sendo que é a maior depositária de títulos de renda fixa da América Latina e a maior câmara de ativos privados do país.

BSM

Um dos mecanismos da B3 é a BSM Supervisão de Mercados, ferramenta que tem como principal objetivo supervisionar as operações e fiscalizar se todos os personagens envolvidos estão cumprindo as regras.  

IBOVESPA

Agora falaremos sobre o IBOVESPA, o principal índice da bolsa brasileira, mas antes da definição em si, vamos voltar algumas décadas e imaginar um trabalhador da bolsa que ficou lá o dia inteiro, ouvindo sobre o compra e venda de ações o tempo todo, se perguntássemos pra ele ao final do dia: Como foi a bolsa hoje? Ele provavelmente te responderia: NÃO SEI! Isso porque mesmo trabalhando com diversas negociações, ele não tinha um indicador para a bolsa como um todo. Então a criação do índice veio para suprir necessidades como essa. O IBOVESPA é um índice que mede, por meio de um sistema de pontos, o desempenho médio das principais ações negociadas na B3.

Atualmente podemos até mesmo investir em um ETF que replica a performance desse índice, chamado BOVA11. Aliás, se você não sabe o que é um ETF, você precisa conferir nosso episódio que explica tudo sobre esse tipo de investimento.

Este episódio vai ficando por aqui, esperamos que você tenha conseguido aprender um pouco sobre a nossa bolsa de valores. No próximo episódio abordaremos sobre a profissão do gestor de investimentos. Fiquem ligados!

 

Murilo Vergara

Se você perdeu o episódio anterior é só acessar pelo link abaixo:

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

WhatsApp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima