Fundo de Investimento Imobiliário – FOFs (Fundo de Fundos) Imobiliários

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

Olá, queridos leitores! Nos últimos episódios falamos sobre os Fundos de Tijolo e os Fundos de Papel. Hoje, falaremos sobre o último tipo de Fundo Imobiliário da nossa série: os FOFs Imobiliários.

 

O QUE SÃO OS FOFs IMOBILIÁRIOS E COMO FUNCIONAM?

Os fundos imobiliários do tipo FOF (Fundo de Fundos) são aplicações que reúnem recursos de um grupo de investidores, visando rentabilizar um portfólio de outros fundos imobiliários. Assim, ao comprar uma cota, o investidor possui, indiretamente, uma maior quantidade de ativos na sua carteira.

Os FOFs imobiliários são administrados por um gestor, que é responsável por decidir as melhores compras e vendas para o fundo.

No momento em que os investidores compram cotas de um FOF, o gestor é responsável por efetuar a compra de novas cotas de outros fundos no mercado. É importante ressaltar que existe uma regra básica para os FOFs: as cotas de fundos que compõem sua carteira precisam ser da mesma categoria em que ele está inserido, ou seja, os FOFs imobiliários só podem comprar cotas de fundos imobiliários.

No caso dos FOFs que são negociados na Bolsa, 95% dos lucros devem ser distribuídos para os cotistas. Assim, os dividendos são importantes e ainda há a possibilidade de lucrar com a valorização das cotas.

 

QUAIS AS VANTAGENS?

Uma das principais vantagens dos investidores ao aplicar seus recursos em FOFs é a diversificação da carteira. É necessário apenas a compra da cota para seu investimento ser direcionado a diversos outros investimentos. Essa diversificação é importante, além da redução de riscos, para atrair investidores que não possuem capital para comprar muitos ativos.

A gestão profissional presente nos FOFs é outra vantagem para quem investe nesse tipo de FII, porque as escolhas para montar a carteira do fundo são do gestor, que é uma pessoa qualificada e tem pleno conhecimento sobre o assunto. Esse fator faz com que o investidor economize esforços ao investir e permite que investidores iniciantes participem dos investimentos em FIIs.

O investimento em FOFs possibilita, também, a exposição a fundos que são exclusivos para investidores qualificados ou profissionais. Dessa forma, é outro motivo que beneficia os investidores iniciantes.

 

GESTÃO ATIVA E PASSIVA, QUAIS AS DIFERENÇAS?

A gestão de um FOF (ou qualquer outro fundo) pode ser ativa ou passiva e isso depende da política adotada pelo fundo.

No caso de FOFs com gestão ativa, é permitido ao gestor montar e alterar a carteira do fundo conforme suas convicções, sem seguir, necessariamente, qualquer índice de referência. Em fundos desse tipo, a qualidade da leitura de mercado do gestor é fundamental, a fim de buscar resultados que sejam excedentes ao principal indicador.

Esses fundos, geralmente, possuem taxas de administração maiores que os fundos de gestão passiva, visto que exigem equipes de trabalho maiores, uma dedicação maior e existe a chance de retorno excedente (alfa). Resumidamente, o alfa mede a capacidade do gestor de ultrapassar o retorno de mercado em algum período, trazendo um lucro extra.

Os fundos de gestão passiva, por outro lado, limitam a atuação do gestor na construção da carteira, fazendo-o seguir um índice pré-definido. O objetivo desses fundos é acompanhar o mais próximo possível o benchmark (índice de referência).

Chegamos ao fim de mais um episódio e finalizamos os três principais tipos de FIIs. No próximo episódio falaremos sobre os objetivos e retornos ao investir em um Fundo Imobiliário. Fiquem ligados!

 

Matheus Assunção.

 

Se você perdeu os episódios anteriores é só acessar pelos links abaixo:

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

WhatsApp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima