Fundos de Investimento – Crédito Privado

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Olá queridos leitores, hoje entramos no final de nossa série sobre os fundos de investimento, e desta vez conversaremos sobre os fundos de crédito privado. Mas antes de tudo é preciso saber, você sabe o que são os fundos de crédito privado?

 

Eles têm como principal característica o fato de que precisam investir no mínimo metade de seu patrimônio em ativos de renda fixa, emitidos por emissores privados. Respeitando essa condição inicial, os investimentos podem ser diversificados, porém os principais são os Fundos de Renda Fixa e os Multimercados

 

De onde surgiu o nome?

Como já foi explicado nos textos e séries anteriores, quando entramos no mundo da Renda Fixa, normalmente ele vem atrelado a um crédito cedido a alguém. Quem tem o capital parado empresta para quem necessita e em troca recebe uma quantidade de volta em juros. 

 

Quando se trata de crédito privado, a contraparte ao invés de ser alguma instituição pública é uma instituição privada, por isso é chamado de crédito privado. Que pode ser tanto uma pessoa física quanto uma empresa privada.

 

Quais os riscos envolvidos?

Assim como qualquer investimento, há sempre alguns riscos envolvidos. No caso dos fundos de crédito privado, o maior risco é o de o investidor não conseguir seu investimento de volta, ou seja, tomar um calote. 

 

Porém existe uma das estratégias que podemos usar para evitar isso é dividir nossos investimentos. Quanto mais diversificado é o portfólio do fundo, menor é o risco, já que caso algum dos emissores se torne inadimplente, ele representará uma parcela pequena do portfólio.

 

Além disso, também existe o risco de liquidez, ou seja, o quão difícil é transformar seu ativo em dinheiro na hora que quiser se desfazer da operação. Alguns deles podem ter o foco a curto prazo, outros no longo prazo, então é de extrema importância que esse fator seja considerado antes de realizarmos o aporte.

 

Outro risco que também influencia bastante é o risco de mercado, assim como para qualquer outra modalidade de investimento. Nele estão englobados todos os fatores que podem influenciar o preço dos ativos do portfólio de forma ativa, como por exemplo fatores econômicos ou até mesmo uma alta ou queda em taxas de juros ou valores de moedas estrangeiras. 

 

Qual a rentabilidade?

Por fim, vamos entrar agora na rentabilidade, que é o ponto principal para a maioria dos investidores. Os fundos de crédito privado, por se tratarem de investimentos em empresas ou pessoas, têm seus riscos elevados. Por isso é esperado que os ganhos potenciais também sejam maiores, para que assim a relação de risco e retorno fique mais equilibrada.

 

Com isso, damos fim ao penúltimo episódio da nossa série sobre Fundos de Investimento. na quinta feira falaremos sobre os prós e contras dos fundos, então não perca!

 

Vale lembrar que nenhum dos ativos apresentados representam de forma alguma recomendação de alocação.

 

vamos juntos?

 

Lucas Strutz Haguiara.

Assessor de Investimentos Copaíba Invest – XP Investimentos

 

Se você perdeu o episódio anterior é só acessar pelo link abaixo:

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

WhatsApp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima