Outros ativos de Renda Variável: Produtos Estruturados – Booster

Facebook
WhatsApp
LinkedIn

Olá, queridos leitores! No nosso último episódio falaremos sobre uma estrutura conhecida como “Booster”.

A Booster é uma operação em que o investidor dobra a participação na alta de um ativo, porém com uma limitação no lucro. Caso o ativo se desvalorize, o investidor participa normalmente dessa queda. Essa é uma operação sem custo para o investidor.

Essa estrutura é ideal para clientes que possuem o ativo na carteira e veem a possibilidade de uma alta moderada, visando acelerar o ganho. 

Para montá-la, é necessário ter ou comprar o ativo. Depois, o investidor deve comprar uma Call com strike igual ou próximo ao preço do ativo e vender duas Calls com strike superior. No vencimento das opções, temos 3 cenários possíveis, que explicaremos no final.

Em relação ao ganho máximo, este pode ser calculado pela diferença entre o strike da opção vendida e o strike da opção comprada, multiplicado por 2. Por outro lado, a perda máxima é ilimitada, já que o investidor participa da desvalorização do ativo na mesma proporção em que o preço cai.

Para um melhor entendimento, utilizaremos um exemplo disponibilizado pela XP Investimentos:

Um investidor comprou a ação XYZ há dois anos e o papel vem se desvalorizando, valendo R$10,00. O investidor não acredita que a ação irá ter uma forte alta e gostaria de recuperar o prejuízo de maneira rápida. Portanto, o investidor decide estruturar uma Booster, comprando uma Call A strike 10 e vendendo duas Calls B strike 12.

Abaixo, temos um gráfico e uma tabela explicando o funcionamento e os cenários e possíveis resultados da operação:

Gráfico – Material XP

 

Tabela – Material XP

 

Como podemos ver, existem 3 cenários:

  • 1º cenário → Ativo se desvalorizou, portanto o investidor arca com a desvalorização na proporção 1:1;
  • 2º cenário → Ativo está entre o valor de compra (A) e o dobro da diferença entre o strike da opção vendida e da opção comprada (C), limitado a 40%;
  • 3º cenário → Ativo está acima de C, portanto o investidor está com seu lucro máximo, independente da valorização do ativo.

 

Com isso, acabamos nosso episódio e, consequentemente, nossa série! Porém, ainda traremos inúmeros conteúdos importantes para vocês. Fiquem ligados!

 

Matheus Assunção.

 

Se você perdeu os episódios anteriores é só acessar pelo link abaixo:

 

Para investir melhor em renda variável, nada como contar com especialistas. Entre em contato conosco:

Telefone: (14) 3010–1818

WhatsApp: (14) 3245–4345 ou acesse clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima